BELEZA

Toque oriental na maquiagem

Preço atrativo e ampla variedade de produtos despertam o interesse das consumidoras brasileiras pelos cosméticos produzidos na Coreia do Sul

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2015 08:00 / atualizado em 13/10/2015 18:28

Em uma rápida pesquisa na internet é possível encontrar centenas de resenhas de brasileiras analisando minuciosamente as embalagens, a composição e os resultados de cosméticos coreanos. O vídeo mais visto no YouTube sobre esses produtos ultrapassa as 32 mil visualizações. Muitas dessas garotas são blogueiras de beleza profissionais, e, além de criarem um nicho de mercado entre as seguidoras, despertam atenção mesmo em públicos até então desinteressados pelo assunto, como naturalmente ocorre no meio on-line.

Para entender o sucesso desses produtos, mais do que estar a par das características dos bons cosméticos, é necessário conhecer um pouco sobre a cultura da Coreia do Sul. Segundo a professora Júlia Lee, como as escolas não permitem que os alunos usem maquiagem antes dos 16 anos, as adolescentes costumam apenas usar acessórios. A partir dessa idade, as meninas passam a experimentar lápis de olho, sombra e batons em cores neutras.

A maquiagem completa e elaborada é mais usada pelas universitárias. Isso não significa, porém, que a vaidade não seja incentivada desde cedo nas meninas coreanas. Isabel Se Oh, 20 anos, conta que a tia e a avó são as principais responsáveis por compartilhar indicações de marcas e dicas de beleza. "A vaidade é algo que influencia bastante as coreanas, mas, hoje em dia, também cresceu muito o mercado voltado para os homens", observa a jovem brasiliense, descendente de coreanos.

A estudante Rebekka Kim, 22 anos, conta que aprendeu com a mãe a função que cada cosmético desempenha. A rotina de cuidados faciais dela inclui sabonete, tônico, hidratante e BB Cream. O próprio BB Cream, um dos produtos mais vendidos hoje no mundo todo, é criação da Coreia do Sul. Ele agrega hidratante, maquiagem de cobertura média à alta — dificilmente encontrada mesmo em marcas já consagradas —, e protetor solar.

Júlia Lee explica que o foco das coreanas é a pele, que deve ficar o mais natural e saudável possível, ainda que maquiada. Por isso, a formulação dos cosméticos prioriza ingredientes naturais que, além de corrigir, tratem a cútis. Em formulações voltadas ao controle de oleosidade, por exemplo, é possível encontrar extrato da flor camélia. Já para peles maduras, o grande trunfo são os reconstrutores e regeneradores, como extrato de caviar.

O preço também é um dos fatores atrativos. A economia da Coreia, por ser voltada às exportações, é em geral muito competitiva. Isso, primeiramente, incentiva o aumento da qualidade dos bens. "Muitas marcas coreanas estão no mercado há mais de 50 anos e vêm investindo pesado em tecnologia e inovação por meio de ativos diferenciados, veículos nunca antes pensados e novas formas de apresentação com apelo mais jovial", diz o dermatologista Orlando Moraes.

Além disso, com o foco nas exportações, a moeda coreana, o won, mantém-se desvalorizada em relação ao dólar, e, com isso, é possível garantir uma mercadoria mais barata aos consumidores estrangeiros. Os efeitos disso são sentidos na prática por Rebekka. "Acho os preços acessíveis, bem próximos de alguns produtos brasileiros, tendo uma variedade bem maior", ressalta. Para Isabel, o sucesso que a música pop coreana (k-pop) alcançou mundialmente foi fundamental para que os holofotes se voltassem para o país. Por volta de 2009, grupos como Girls Generation e Super Junior tornaram-se fenômenos mundiais. A jovem conta que muitas amigas se interessaram por assuntos variados sobre a Coreia do Sul após ouvirem esses grupos. Patricia Oh concorda: "Acaba sendo um meio de propaganda tanto do vestuário atual e popular de lá, quanto da maquiagem em voga".

Um dos obstáculos para esse segmento é a limitação da cartela de cores de maquiagem, por ser baseada principalmente no tom de pele asiático. Além disso, há a dificuldade de encontrar lojas físicas. É possível comprar os cosméticos citados em sites de leilões, diretamente de vendedores coreanos, e a entrega internacional pode demorar até três meses. Outra opção é adquiri-los em sites brasileiros que, por serem intermediados por outras vendedoras, têm um preço um pouco mais alto, mas garantem a pronta entrega.

 

 

 

1. Perfect Cover BB Cream, Missha (R$ 178)

 

2. Petit BB, Holika Holia (R$ 45)

3. Egg Pore, Etude House (R$ 87)

4. Tony Tint, Tony Moly (R$ 28)

5. BB Cream Power Perfection, The Face Shop (R$ 68)

6. Gel Calmante Soothing & Moisture, Nature Republic (R$ 23)

7. The Green Tea Seed Deep Cream, Innisfree (R$ 86)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.