Encontro com o Chef

Amor de panela

Um casal querido e movido a gastronomia fala sobre o prazer de compartilhar receitas e reunir os amigos ao redor da mesa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/06/2016 08:00 / atualizado em 02/06/2016 18:52

Sair para jantar está, claro, entre os programas preferidos do casal Esdras Nogueira e Mariana Escosteguy Cardoso. Mas, para realmente vê-los em um momento de intimidade gastronômica, o ideal é procurá-los na Ceasa. “Gostamos de ir lá aos sábados, fazer uma grande feira e já cozinhar algo bem maneiro para o almoço. O tempo que dedicamos à comida é muito grande”, explica Mariana.


Apesar de ser membro da banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, Esdras precisou mesmo foi dos seus dotes culinários quando do início do relacionamento. Aliás, a comida é algo que os une tanto que, antes mesmo do namoro, eles já conversavam sobre os pratos que os deixavam mais apaixonados pela boa mesa. “Nós cozinhávamos antes de namorar e continuamos a fazer isso durante o namoro. Tanto que preparamos tudo no nosso casamento.

 

Foi uma semana preparando cassoulet e caponata para 150 pessoas”, lembra o saxofonista.

 

Assim, nada mais justo que eles começassem a espalhar o amor que sentem pela comida para outras pessoas. Foi quando surgiu a ideia dos jantares Lá em casa, nos quais eles decidem um cardápio e preparam tudo na cozinha deles — os comensais podem ser casais ou solteiros, ninguém vai ficar sem ter com quem conversar. A ideia cresceu e virou o blog Coma lá em casa, no qual os dois divulgam não só receitas, mas discutem vários temas relacionados a gastronomia, desde o som ideal para acompanhar o que vai ser preparado — “Música e comida têm tudo a ver, né? São duas atividades nas quais você está se entregando para as outras pessoas”, filosofa o músico — até dicas de restaurantes legais em outros países.


Cozinhando todos os dias, Esdras e Mariana se esforçam para não deixar que isso se torne uma rotina. Então, toda refeição precisa ser bem aproveitada e toda ocasião merece ser acompanhada de bons pratos. Por exemplo, na última vez em que viajaram com dois casais amigos — “E dois solteiros que foram bem-sucedidos em levar todos para a balada”, brinca Mariana —, a organização da empreitada tinha a mesa como foco principal. “Durante a viagem, vivemos em função da comida todos os dias, registrando tudo, tirando mil fotos. Foi muito legal”, lembra ela.


Mesmo que, entre os casais que eles conhecem, o mais comum seja que uma das partes da dupla tenha mais pendor para cozinhar bem, a comida sempre desempenha um papel decisivo para que esses relacionamentos possam se tornar ainda mais fortes. “Cozinhar é um momento muito afetivo. O fato de você conhecer o que está fazendo torna aquele momento especial para a pessoa que vai comer. É uma sensação muito massa”, resume Esdras.

 

Chawanmushi

 Ricardo Theodoro/ Divulgação
 

Rendimento: 6 ramekins

Tempo de preparo: 30 minutos

 

Ingredientes

2 colheres de sopa de hondashi (tempero à base de peixe - transforme em vegetariano usando caldo de cogumelos no lugar)

1 colher se sopa e duas colheres de chá de mirin (condimento japonês)

2 colheres de chá de shoyo

Um toque de óleo de gergelim

Alguns ramos de shimeji e/ou alguns shitakes

3 ovos

Cebolinha picada para finalizar

 

Modo de preparo

Combine o rondashi, 1 colher de sopa de mirin e 2 xícaras de água morna. Transfira 1 colher de sopa dessa mistura para um pote menor e junte o shoyo, o óleo de gergelim e o restante do mirin. Reserv. É o seu molho.

 

Coloque um ou dois raminhos de shimeji e/ou alguma fatias bem finas de shitake em cada potinho e cozinho por 3 a 5 minutos no vapor (na panela de bambu). Você quer que o cogumelgo comece a amolecer. 

 

Misture os ovos e a mistura inicial de hondashi com cuidado. Evite criar bolhas. Vá com calma. Peneire.

 

Divida a mistura dos ovos em ramekins ou potinhos. A mistura não vai crescer em volume então use o tamanho de porção que desejar. Se quiser, acrescente ervilhas, cubinhos de peito de frango (pré-cozidos), camarão etc.

 

Cubra cada potinho com filme PVC e leve ao vapor na panela de bambu por uns 10 minutos (se sua porção for maior, aumente o tepo). O pudim deve estar firme, mas, se você der uma balançada, ele ainda deve se mexer um pouco.

 

Finalize com uma colherzinha do molho e um toque de cebolinha. 

 

 

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.