Quer morar nos Estados Unidos?

Fizemos três perguntas para Luis Miranda, empresário, 36 anos. Luis abriu um negócio nos EUA, conseguiu um visto e foi morar lá. Hoje, ensina brasileiros a seguir o mesmo caminho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/06/2016 09:00 / atualizado em 30/06/2016 16:04

 

Luis Miranda, 36 anos, mora nos Estados Unidos desde 2014. Em 2011 abriu uma empresa de consultoria no país e desde então ensina brasileiros que querem seguir seus passos. “Tenho uma teoria de que não interessa o caminho, e sim o objetivo final. Eu investi lá, começou a dar dinheiro e optei por tentar viver lá. Descobri que nós somos um bando de enganados”, afirma.


O empresário começou com um canal no Youtube gravando vídeos respondendo perguntas de amigos sobre imigração e, hoje, tem mais de 200 mil curtidas em sua página no Facebook. “Não tenho segredos, conto tudo da minha vida, da adaptação. As minhas decisões foram dando certo, ando errando pouco.”


Por que é interessante morar nos Estados Unidos?


Eu tenho uma conhecida concursada, que ganha o teto no serviço público. A empregada doméstica que trabalha na minha casa, nos Estados Unidos, tem uma qualidade de vida muito melhor do que a dela. Tem acesso à segurança, à saúde, boa educação. Tem um carro melhor, uma casa melhor, um ar condicionado melhor.


Ganhando lá, em dólares, o que ela ganha aqui, essa conhecida seria milionária. Lá é mais fácil alcançar seus objetivos, mas o brasileiro cria uma ilusão de que tudo nos Estados Unidos é perfeito. Não é. Muita gente vai para lá ilegal, e você vai sofrer, vai se tornar estatística, vai ter um subemprego. O americano precisa desse tipo de mão de obra, mas é interessante que o imigrante ilegal que continue fazendo este trabalho. Assim, não dá para crescer. Não é só ir para ficar rico.


Qual é um bom jeito de conseguir morar nos Estados Unidos legalmente?


Abrir uma empresa, como eu fiz, é um bom caminho. Qualquer pessoa pode abrir uma empresa lá, independente da sua nacionalidade. Quem tem uma pastelaria de sucesso aqui e acha que funcionaria lá, pode abrir. Não precisa pagar contador, não paga imposto para abrir a empresa, só as despesas de operação. Não existe essa carga inicial que existe no Brasil para abrir um negócio. Os impostos são calculados de acordo com o lucro da empresa, e pagos sempre no final do ano. E, para fechar, são 48h. Quando abri a minha empresa, bancos e agências de auxílio ao empresário entraram em contato querendo me ajudar a crescer. Ser empresário nos Estados Unidos é algo bem visto, enquanto o Brasil ainda enxerga de forma estranha.


Se você abre uma empresa lá, pode pedir um visto de L1, de um ano, renovável por mais dois. Com três anos de residência, você ganha o Green Card automaticamente. Com cinco anos, pode aplicar para cidadão americano. Nada te impede de abrir um negócio com visto de turista ou de estudante. Outra opção, para quem tem o dinheiro, é investir 500 mil dólares no país.  


Vale a pena mesmo abrir empresa lá?


Minha empresa cresceu sem esforço. Meu risco era só perder o capital inicial que eu investi. Resolvi tentar. O americano é tão acomodado, e o brasileiro é tão lutador, que a equação é favorável pra o nosso lado. Eles se recuperaram da crise de 2008 e agora a economia está mais forte do que era. É um momento excepcional.  

  


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.