Moda

Alpargatas, sapatilhas e rasteirinhas ganham cada vez mais espaço na moda

Os saltos altos perderam a supremacia no guarda-roupa feminino. O sucesso dos sapatos baixos parece estar ligado ao surgimento de uma nova escala de valores, mais feminista, apontam especialistas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/07/2016 10:40 / atualizado em 28/07/2016 16:25

Divulgação
Eles foram, durante muito tempo, a representação soberana da sensualidade e do status feminino. Mas o cenário mudou, as mulheres mudaram, e o que antes era mandatório em certas ocasiões hoje é visto como uma opção a mais. Os saltos altos competem atualmente de igual para igual com os sapatos sem salto. Esses últimos, aliás, levam vantagem no quesito conforto.

O WGSN, portal especializado na identificação de tendências, publicou recentemente uma pesquisa mostrando que os sapatos sem salto já representam 41% do total dos calçados no mercado do país. Sofia Martellini, trendhunter do WGSN, afirma que o movimento feminista é um fator de mudança no comportamento de compra das brasileiras. "Acho importante ressaltar que há, neste momento, uma liberdade de escolha. Existem sapatos sem salto que são extremamente sofisticados. Com certeza, é uma coisa que veio para ficar", analisa. Sofia acredita que o salto alto não vai deixar de existir, pelo menos não num futuro próximo. "Tem mulher que se sente mais empoderada por se sentir mais bonita, então é um sapato que vai continuar existindo", defende.

Já Arlindo Grund, consultor de moda e stylist, acredita que a mudança se deve ao novo dia a dia feminino. Ele lembra que, antigamente, as mulheres reservavam os saltos altos para sair à noite. Com o passar do tempo, elas expandiram esse uso em nome de uma suposta elegância, mas perceberam também que poderiam ter a saúde prejudicada. A retomada dos saltos baixos, dos tênis, das sapatilhas e das sandálias rasteiras foi exatamente em prol do conforto. "As mulheres abriram os olhos e perceberam que os saltos dão, sim, uma postura, mas que a altura das sapatilhas e dos tênis não tira credibilidade. Inclusive, a mulher brasileira é tão sensual que não precisa de salto — de sapatilha, ela já fica sexy", aposta.

Consuelo Blocker, jornalista e consultora de moda, é referência quando o estilo envolve os pés no chão. Na sua conta do Instagram, com 100 mil seguidores, ela sempre posta produções de estilo superinteressantes, compondo com sapatilhas, tênis e rasteirinhas. "Eu sempre usei. É o meu estilo. Eu vivo uma vida muito informal, então posso usar. E, para o verão, eu gosto de me sentir quase descalça com as rasteirinhas. É uma coisa que uso até de noite", elogia. A consultora revela já ter recebido críticas negativas de algumas leitoras por essa preferência, mas continua considerando o salto baixo muito moderno e versátil. E para quem quiser colocar os pés no chão com muito estilo, Consuelo tem uma sugestão: "Tente a sapatilha com amarrações do Aquazzura. Todo mundo copiou. É a transição perfeita".

 

Divulgação

Divulgação
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.