São Paulo Fashion Week abre temporada de inverno e aposta em moda comercial

A combinação entre a alfaiataria e o jeans deram um tom moderno e sofisticado à coleção apresentada pela Animale

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/03/2017 09:16 / atualizado em 14/03/2017 11:07

Marcelo Soubhia / FOTOSITE


O conceito See Now Buy Now tomou conta da semana de moda de São Paulo. O resultado são coleções cada vez mais comerciais. É fácil para o consumidor se enxergar usando as peças desfiladas na passaleras.

Com uma pegada moderna, a Animale começou a SPFWN43. A coleção, desenhada por Vitorino Campos foi inspirada na Itália, com referências de Florença, Veneza, Roma e Milão. As peças vieram assimétricas e com recortes geométricos, as rendas e babados foram responsáveis pelo tom romântico e feminino. Detalhes em estampa de cobra fizeram o contraponto e trouxeram um quê de sensualidade.



A combinação entre a alfaiataria e o jeans deram um tom moderno e sofisticado à coleção apresentada pela Animale. Pela primeira vez na história da marca, modelos apareceram com sapatos baixos, quebrando o tom sempre sexy do salto alto. Esse é o sinal de que a Animale está investindo na tendência street e despojada que tem tomado conta do mundo da moda. Já é possível encontrar peças da nova coleção nas lojas da marca.

Depois da Animale, foi a vez da Uma mostrar que também incorporou de vez o fast fashion. Raquel Davidowicz afirma que já é possível encontrar peças nas vitrines e que as outras chegarão em pouco tempo.

Leia mais notícias em Revista

As clientes vão encontrar looks alongados, minimalistas e com preocupação especial com o conforto. O cinza e o vermelho forte apareceram em peças de tricô, algodão e tafetá tecnológico.

A Uma apresentou sua nova coleção na Pinacoteca, sem música e iluminado pela luz natural, despertando a reflexão e uma espécie de “respiro”, que Raquel afirmou ser necessário.



O terceiro desfile do dia apresentou um festival de saias e vestidos para o público masculino, João Pimenta incorporou o agender em suas peças. A alfaiataria sofisticada do estilista veio combinado com moletons, camisetas e casacos de chuva. Uma fusão entre a alta moda e o street style.

Os materiais esportivos, como o neoprene, foram apresentados em designs cheios de sobreposição e com estilo arquitetônico. O oversized veio contido e elegante, pontual.

Lilly Sarti veio logo em seguida, com uma coleção inspirada na evolução do ser humano, voltada para as modificações orgânicas e celulares. A cintura marcada foi a grande estrela do da passarela, aparecendo combinada e ombros marcados e tecidos cintilantes.

Começando com peças mais pesadas e escuras, as modelos vão mostrando diversas faces do glamour feminino. No fim, o rosa pink e berrante chama atenção misturado a tons terrosos. As referências passam pelos anos 80, 70 e 90.

Fechando o primeiro dia de desfiles da temporada, a Osklen trouxe o frio para a passarela. A participação de Oskar Metsavaht no exercício criativo do filme Soundtrack foi a inspiração para a criação da coleção.
A trama se passa Antártida e se relaciona com a história de Oskar. A primeira peça desenvolvida pelo estilista foi um casaco de neve.

Cores claras com tons de azul, rosa, cinza e laranja mescladas ao off white ajudaram na construção da atmosfera. O oversized dominou a passarela em sarja, veludo, cashmere e tricot de alpaca, entre outros.

As sobreposições fizeram contraste as formas estruturas. Os moletons e parkas foram as estrelas da passarela.

A beleza do desfile, assinada por Amanda Schon, da Nars, ajudou a criar o clima invernal. Os cabelos úmidos e a make clara com manchas avermelhadas na pele, simulando queimaduras de frio, ajudaram o público a entrar no clima.

Selton Mello e Seu Jorge, que fazem parte do elenco do filme, foram destaques na fila A.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.