SPFW: quarto dia de desfile traz coleção inspirada no boxe

Os cinturões, bermudas compridas, regatas e camisetas ganharam tons sensuais misturados à renda e com recortes de lingerie

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/03/2017 11:45 / atualizado em 17/03/2017 12:02

MARCELO SOUBHIA / FOTOSITE

O quarto dia da semana de moda de São Paulo começou animado. À La Garçonne trouxe uma coleção inspirada no boxe e mesmo apresentando 70 looks na passarela conseguiu prender a atenção do público. Era quase como se as pessoas estivessem realmente assistindo a uma luta, os olhos atentos tentavam captar todas as informações que as modelos traziam em passos rápidos. 

Ao som de Je T’aime, Moi Non Plus, os passos firmes tinham uma certa agressividade e sensualidade. A marca de Fábio Souza e Alexandre Herchcovitch completou um ano e mostrou peças com bastante xadrez, caveiras e dizeres como Love e À La Garçovitch. 

Os cinturões, bermudas compridas, regatas e camisetas ganharam tons sensuais misturados à renda e com recortes de lingerie. As saias masculinas também foram protagonistas no desfile, misturadas com sapatos pesadas, elas ganharam aspecto mais forte. 

As peças já estão à venda. As que foram produzidas com a Hering estão divididas em dois pontos, as mais conceituais estão disponíveis na À La Garçonne, as comerciais podem ser compradas no site www.alagarconnehering.com.br.

As linhas em parceria com a Vans e com a Hardcore Footwear podem ser encontradas na loja ALG. 

Juliana Jabour também apostou no mundo do esporte na hora de criar suas peças. A inspiração foi o motocross e a coleção dá continuidade ao projeto da estilista de unir o esportivo e o streetwear.

As cores fortes, como vermelho tomate, azul bic e amarelo, e os grafismos mais agressivos dos macacões, moletons e camisetas ganham tons românticos com inspirações vitorianas. Golas altas, babados, volumes e dobraduras em seda, tule e couro suavizam as recortes fortes de couro. 

Juliana apresentou uma coleção que une streetwear, sportswear e o new romantic, agradando a diversos estilos e públicos. 

No momento reservado ao Projeto Estufa, iniciativa com o intuito de incentivar novos nomes da moda, as marcas Llas e Cacete Company mostraram suas coleções. 

Fundada pelas irmãs Lorena e Laura Andrade, a marca Llas trouxe coleção inspirada na Índia e na África, onde elas estavam.

Aplicações muito coloridas e crochê adornaram peças transparentes e tecidos reaproveitados. As faixas de tecido, inclusive, foram usadas na criação de ponchos soltinhos. 

Depois da Llas, foi a vez da Ca.ce.te, lançada em 2015. Raphael Ribeiro e Tiago Carvalho tem estilo irreverente. O street style é o foco da marca, que trouxe camisetas, shorts e calças com pegada bem urbana. 

A seda, estampada em serigrafia manual traz um ar mais fashion para as peças despojadas. Touquinhas e underwear com a logo da marca deram um toque especial ao desfile. 

A Cotton Project, marca que se apresentou em seguida também veio bem casual. A palavra que vem a cabeça a cada peça apresentada é conforto. 

O moletom combinado com calças moles, cardigans e chinelos com meia foi a forma que Rafael Varandas encontrou de mostrar que a moda pode ser casual e confortável. É possível estar bem vestido e relaxado ao mesmo tempo.

Em tons terrosos e cores esmaecidas, a marca também trouxe gorrinhos e a polêmica pochete, que embora ainda seja criticada por muitos, já tem espaço garantido nas passarelas. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.