MODA

Vista-se do bem

Marcas locais investem em uma moda sustentável. Além de terem um conceito diferente de produção, também inovam no design moderno das coleções

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/03/2017 08:00 / atualizado em 20/03/2017 10:21

Por Marília Padovan (texto) e SAvio Drew (produção) — estagiários sob a supervisão de Flávia Duarte
Minervino Junior/CB/D.A Press

O mercado de moda em Brasília conquista cada vez mais espaço no país. Marcas locais estão surgindo e se tornando adeptas a novas vertentes de produção consciente, com o intuito gerar benefícios sociais e ambientais. Esse é o caso da grife Larsan que, tendo em mente que a moda está cada vez mais específica e individualizada, foi planejada para desenvolver alfaiataria masculina para ciclistas pensando no calor, na mobilidade e no estilo deles. Deixar o carro em casa e ir trabalhar de bicicleta nunca foi tão simples e fashion.

Apesar da dificuldade de viver de moda no Distrito Federal, o designer  Daniel Larsan, estilista e criador da marca que leva seu sobrenome, conta que seu público é específico: são pessoas geradoras de tendências, mas totalmente conscientes da sua existência e do impacto disso no mundo. A alfaiataria assinada por ele foi criada com o intuito de estimular a responsabilidade socioambiental e, assim, ternos e coletes feitos para ciclistas foram desenhados meticulosamente. “A ideia é fazer uma moda que passe alguma informação, porque isso sempre chama atenção, já que a moda comunica. O que você está usando fala algo sobre você.”
Minervino Junior/CB/D.A Press

As peças para ciclistas têm, na parte de trás, um zíper que, quando aberto, deixa exposta uma faixa que reflete o farol do carro para evitar acidentes. Além disso, os produtos são feitos com tecidos maleáveis que proporcionam maior conforto térmico, como a lã fria. No inverno, ela protege da baixa temperatura e, no verão, evita sudorese e a sensação de calor. “Mas é um tecido lindo e sensível.” 

Para camisas, o material usado é 100% algodão. “Algodão egípcio, peruano e os tricolines tradicionais brasileiros”, completa Daniel. Para o criador da Larsan, é importante que a moda seja segmentada, pois é um desejo geral ter uma identidade própria, refletida no look diário.

Em 2015, Daniel foi eleito estilista revelação pelo Capital Fashion Week e também foi finalista na Casa de Criadores, em São Paulo. Dentre todas as conquistas e alegrias da marca, a mais relevante aconteceu no ano passado, quando a Larsan foi selecionada pelo ministro da Cultura para representar o Brasil em um evento de moda em Bogotá, na Colômbia. “Foi demais! Apresentei a marca e o conceito para pessoas da América Latina inteira. Foi ótimo trocar experiências culturais com todo nosso continente”, comenta Daniel. 


A marca de São Paulo, Vanessa Montoro, está há 13 anos no mercado e tem como estilo peças feitas de crochê com seda pura e sustentável. Conhecida pela sofisticação, a grife é certificada pelo Sistema B vai lançar uma coleção cápsula com a formadora de opinião do mercado de luxo Duda Portella, que mora em Brasília, com o intuito de inovar e trazer um ar mais jovem e descolado às peças. A ideia é misturar diferentes estilos usando o crochê, como em kimonos e em saias mídi. A coleção será lançada em abril de 2017.

Sistema B é um movimento global que pretende redefinir o conceito de sucesso nos negócios e identificar empresas que utilizem seu poder de mercado para solucionar algum tema social e ambiental.
Minervino Junior/CB/D.A Press


Modelo: Bruno Amorim 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.