Encontro com o Chef

A doceira Maria Amélia compartilha com as filhas o amor pela culinária

Conhecida na cidade pela criação de deliciosos bolos e doces, Maria Amélia contou com o apoio incondicional de várias "mães" ao longo da trajetória. Hoje, ela compartilha com as filhas todo o amor pela gastronomia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/05/2017 08:00 / atualizado em 12/05/2017 18:57


Maria Amélia Dias costuma dizer que, ao longo da vida, vários anjos cruzaram o seu caminho. Mais que isso, verdadeiras mães. Faltam dedos na mão para enumerar as mulheres que desempenharam papel materno na sua trajetória. A começar pelas “dindinhas”, como carinhosamente chama as avós, de quem herdou o nome. Vindas do Líbano, as irmãs Maria e Amélia fincaram raízes em Bambuí, pequena cidade mineira. Lá, descobriram que uma menina de 7 anos estava abandonada no hospital e pegaram a pequena para criar.


Deijanira cresceu, casou-se e teve uma filha, a quem batizou de Maria Amélia. Desde cedo, a garotinha via extasiada as avós adotivas prepararem lindos e deliciosos doces. “Os meus primeiros bicos de decorar foram das minhas dindinhas”, recorda-se a doceira, que aos 13 anos já era uma boleira de mão cheia. O tempo foi passando e os doces e bolos de Memeia, como é conhecida em Bambuí, ganharam fama. “As pessoas me procuravam, levavam os ingredientes e eu preparava, sem cobrar nada.”

Foi aí que entrou em cena mais uma “mãe” de Maria Amélia. Dona Terezinha era a doceira mais respeitada da cidade. “Eu sonhava em ter o bolo dela na minha festa de casamento, mas não tinha dinheiro”, recorda-se. A fama de Memeia chegou aos ouvidos da doceira de Bambuí e ela chamou a jovem para uma conversa. “Ela me ensinou tudo o que sabia e ainda me orientou de como cobrar pelo meu trabalho.” Foi o empurrão que precisava para transformar o hobby em profissão. Emocionada, Maria Amélia mostra o bilhete escrito à mão por dona Terezinha e que guarda emoldurado: “Filha não é só aquela que geramos, mas aquela que aprendemos a amar e a admirar”.
 Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press

Outra “mãe-amiga” morava em Brasília. “Quando tinham as festas dos filhos da Daniela, eu vinha para cá fazer os doces, e todos achavam deliciosos.” Daí, começaram a surgir as encomendas originárias da capital, onde também vivia a cunhada — mais um “anjo-mãe”. Maria Amélia atravessava 640 quilômetros para entregar os docinhos, quase sempre acompanhada da “mãe-madrinha” Gislene, a quem chama carinhosamente de tivovó. “Daniela começou, então, a insistir para eu me mudar para cá.” O ano era 2001 quando a doceira desembarcou em Brasília com o marido, duas filhas pequenas e muita disposição para trabalhar.

Daquele tempo, as filhas, Rafaela e Renata Dias, lembram-se das horas e horas enrolando docinho. “Quando minha mãe dizia que tinha uma encomenda de 100 docinhos, dava até vontade de chorar”, brinca Rafaela. Em Brasília, essas 100 unidades se multiplicaram para 200, 500, 1.000... “Não houve um dia em que eu ficasse sem trabalho.” Quatro anos depois, ela já estava com a primeira loja, um nome respeitado e mais um filho, Luiz Eduardo. “Ele nasceu praticamente na cozinha.” Hoje, a doceira conta com 84 funcionários na oficina, no Jardim Botânico, e duas lojas franqueadas.

O amor de Maria Amélia pelo que faz acabou contagiando as filhas. A mais velha, Rafaela, administra o café da Asa Sul e admite que gosta mais de comer do que pôr a mão na massa. “Brinco que sou o controle de qualidade da Maria Amélia Doces. Quando não gosto de um produto, mando voltar na hora”, garante. A mais nova, Renata, tem encontrado o seu próprio nicho dentro da gastronomia e sonha com o dia em que abrirá um bistrô vegano.

Vegetariana desde os 9 anos, Renata Dias parou de comer ovo e produtos lácteos há um ano. No ano passado, a ex-estudante de veterinária decidiu seguir os passos da mãe. “Comecei a pegar as receitas da minha mãe e ‘veganizá-las’. No início, fazia apenas salgados, depois parti para os doces. São muitos experimentos até chegar ao resultado final.” Todos os meses, Renata promove um disputado brunch vegano e as encomendas andam a todo vapor. Para celebrar o dia de hoje, mãe e filha nos brindam com duas receitas: uma tartelete tradicional, feita por Maria Amélia, e um pudim vegano, criado por Renata.
 
Pudim vegano
(Renata Dias)
 
 Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
 
Pudim
Ingredientes
1 e 1/2 xícara de tapioca granulada
700ml de leite de coco
300ml de água
1 xícara de açúcar demerara
1 e 1/2 xícara de coco ralado
1 colher de extrato de baunilha
Óleo para untar

Modo de fazer
Em uma panela, coloque o açúcar, o leite de coco, uma xícara de coco ralado e o extrato de baunilha. Misture bem e leve ao fogo. Vá adicionando a tapioca granulada aos poucos para não empelotar. Pare de mexer quando a mistura se tornar um creme grosso. Unte a forma de pudim, coloque a mistura e deixe esfriar em temperatura ambiente. Leve à geladeira por quatro horas.

Calda
Ingredientes
1 xícara de açúcar demerara                       
1 xícara de água quente

Modo de fazer
Derreta o açúcar em fogo médio até ficar escuro. Adicione a água e mexa até o açúcar se dissolver. Desenforme o pudim e coloque a calda por cima. Você pode acrescentar frutinhas no topo e uma folhinha de manjericão para enfeitar.


Tartelete de limão com frutas vermelhas
(Maria Amélia)

 Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
Massa
Ingredientes
300g de farinha de trigo
75g de açúcar de confeiteiro
150g de manteiga
1 ovo

Modo de fazer
Misture com as pontas dos dedos todos os ingredientes até formar uma massa. Abra a massa na forminha de tartelete ou de empada e leve ao forno preaquecido a 180ºC. Quando dourar (é rápido, portanto, fique de olho), retire do forno e deixe esfriar.

Recheio
Ingredientes
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
Suco de limão a gosto

Modo de fazer
Misture os ingredientes e vá mexendo até formar um creme. Não precisa ir ao forno. Coloque sobre a massa já fria e decore com frutas vermelhas.

Serviço

Maria Amélia Doces
Área Especial 3, Condomínio Solar de Brasília Quadra 3, Jardim Botânico
Telefone: 3546-8900 / 3242-0810 (loja da Asa Sul)

Renata Dias Cozinha Vegana
Instagram:
@renatadiascozinhavegana
WhatsApp: 99974-6594
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Carmelita
Carmelita - 16 de Maio às 23:40
Tudo delicioso. Os docinhos são super variados, maravilhosos. Os bolos, ai que pecado! Huuummm. Não tem coisa melhor!