Saúde

Dor como se estivesse pisando em agulhas alerta para fascite plantar

Doença acontece quando o tecido que sustenta o arco do pé se inflama

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/12/2017 07:00 / atualizado em 01/12/2017 14:25

Quando acorda e se levanta, a pessoa sente uma dor forte e aguda na parte inferior dos pés. Ao longo do dia, a sensação tende a diminuir, mas, cada vez que se levanta após um longo período sentado, lá está a dor, de novo. Esse é o principal sintoma da fascite plantar, uma inflamação que ocorre na região da sola do pé.

A doença se manifesta principalmente entre 40 e 60 anos e tudo acontece a partir de um tecido fibroso no pé, a fáscia plantar, explica o médico Leônidas Bomfim, coordenador de ortopedia do Hospital Santa Lúcia e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do DF. O tecido se estende do calcanhar até a ponta dos dedos e tem a função de sustentar o arco plantar.

“Quando há inflamação desse tecido, a caracterizamos como fascite plantar. Ela pode ocorrer devido a microtraumas nessa região, esforço repetitivo, impactos, sobrecarga ou processos degenerativos”, afirma Bomfim. O início súbito de exercícios de alto impacto — como a corrida de rua, o crossfit ou outra modalidade que impacte diretamente o calcanhar — é considerado uma das causas comuns do problema, que afeta parte da população.
Reprodução

De acordo com a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), estudos recentes têm demonstrado que a dor da fascite plantar pode estar associada “a uma alteração estrutural mais condizente com processos degenerativos” causados pela prática exagerada de exercícios físicos ou pela idade, por exemplo. Mas, entre as causas mais frequentes encontra-se o aumento de peso da população brasileira.

Dados do Ministério da Saúde apontam que uma em cada cinco pessoas no Brasil está acima do peso. Em 10 anos, o percentual dos que sofrem com sobrepeso saltou sete pontos percentuais — de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Se o Índice de Massa Corpórea (IMC) aumenta, o indivíduo carrega uma carga além da prevista, o que favorece a inflamação da área.

Devido à dor crônica recorrente, a fascite plantar interfere diretamente na qualidade de vida do paciente. O processo inflamatório provoca limitações, como dificuldades para caminhar e praticar atividades físicas e de lazer. Por isso, ao surgir qualquer suspeita da patologia, é importante procurar um especialista para fazer o diagnóstico e providenciar a intervenção mais adequada.

O tratamento conservador e não-invasivo é o recomendado para quase todos os pacientes, orienta Bomfim. “Ele consiste em reduzir o processo inflamatório local, identificar os fatores de risco e reabilitar o paciente”, adianta o médico.
Tags: saúde
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.