Encontro com o Chef

Chef brasiliense celebra novo restaurante em parceria com marido português

União de brasileira e lusitano rendeu frutos como o restaurante na Vila Planalto e a felicidade da vida a dois

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/12/2017 07:00 / atualizado em 28/12/2017 15:02

Foi amor à primeira vista. A brasiliense Yannah Raslam passava as férias em Fortaleza quando, literalmente, esbarrou com o português João Manuel Coelho, também a passeio por terras cearenses. Eles estavam na Praia do Futuro, em um sábado ensolarado. Os dois não trocaram telefone ou endereço, mas a jovem deu a deixa: “Se quiser me ver de novo, vá ao Pirata (bar mais badalado da cidade) na segunda”.

Casa lotada e, mesmo assim, João Manuel conseguiu encontrar Yannah. Desde esse longínquo dia de 2005, nunca mais se desgrudaram. “Ele voltou para Portugal e eu, para Brasília. Mas um mês depois eu já estava na Europa, visitando-o.” E assim viveram, por dois anos, na ponte aérea, até que decidiram se casar. A ex-bancária mudou-se, então, para Alcobaça, cidade natal do marido, onde fez uma imersão nos costumes e na cultura gastronômica local.

“Quando fazemos um encontrozinho só com os mais próximos da família, logo reunimos umas 50 pessoas à mesa”, diverte-se João Manuel. “E cada um assume uma função na cozinha. Os homens, geralmente, ficam responsáveis pelas carnes e as mulheres, pelos doces e guisados”, detalha. Essa convivência lusitana aguçou em Yannah a paixão que já tinha pelas panelas. A brasiliense fez um curso de confeitaria e, aos poucos, foi aprendendo as receitas da família do marido.

O casal fazia planos de voltar ao Brasil e, por aqui, abrir um restaurante. E assim foi. Depois de três anos vivendo em terras portuguesas, os dois desembarcaram na capital, em 2009, e abriram o Bistrot do Manuel, cuja cozinha era, na verdade, comandada por Yannah. “Nós somos uma típica família portuguesa. A mulher fica na cozinha e o homem, no salão”, brinca João Manuel.

Em 2015, o casal decidiu vender o restaurante, que continua em funcionamento no Lago Norte sob outro comando, e seguiu com novos projetos no ramo de alimentação. Em agosto deste ano, porém, abriram uma nova casa, desta vez na Vila Planalto. A Tasca da Vila, descrevem os proprietários, é genuinamente portuguesa. “Se você fizer uma pesquisa no Google, vai encontrar vários restaurantes chamados Tasca da Vila, em Portugal. Por lá, tasca significa petiscar e, em cada vila do país, há um lugar assim”, resume João Manuel.

Yannah, ao lado de João Manuel, montou todo o cardápio com as receitas aprendidas com a família do marido. No menu, há, inclusive, as sete maravilhas da gastronomia lusitana, segundo eleição promovida em 2009 e que contou com o voto de mais de 1 milhão de portugueses. Lá, estão o pastel de Belém, a alheira de Mirandela, as sardinhas assadas, o arroz de marisco, o caldo verde, o leitão da Bairrada e o queijo Serra da Estrela.
Gustavo Breder/Esp. CB/D.A Press
 

Inovações

Para a chef, o seu maior prazer é quando um cliente chega ao restaurante e, depois de saborear um dos seus pratos, diz que ele trouxe uma lembrança familiar ou de Portugal. “Trazer à tona essa memória afetiva não tem preço.” Quando fui entrevistá-la, Yannah fez questão de me proporcionar esse prazer, ao me servir sardinhas assadas, depois de eu contar que elas me traziam ótimas lembranças de uma antiga viagem que fiz a Lisboa. De fato, não tem preço.

Por ainda ser muito recente, o Tasca da Vila tem, aos poucos, passado por transformações, tanto nas instalações quanto no cardápio. Além das sete maravilhas gastronômicas, oferece o tradicional bacalhau, claro, preparado de diversas maneiras, carnes, polvos, peixes de águas profundas e tantas outras delícias executadas à moda lusitana.

A brisa dos Liz, doce que originou o quindim, é outro destaque da casa. “Quando a família real se mudou para o Brasil, as escravas tiveram que se virar com os ingredientes que tinham à mão para executar as receitas portuguesas. Como pelas bandas de cá era difícil encontrar amêndoa, base da brisa do Liz, elas substituíram por coco e deram um nome africano”, explica Yannah a origem do quindim.

Para 2018, o casal pretende oferecer almoço executivo, no qual, cada dia da semana, haverá uma especialidade. “Uma das grandes referências da culinária portuguesa são os guisados, preparados em panelas gigantes. Como somos um restaurante à la carte, não podemos servi-los hoje. Mas, com esse sistema, reservaremos cada dia da semana para uma dessas receitas”, explica Yannah. Hoje, o restaurante já dispõe, somente aos sábados, de leitão à Bairrada, também preparado em grande quantidade.

Para a ceia de réveillon, a chef ensina aos leitores uma receita simples, rápida e deliciosa: o bacalhau de natas, ótima pedida para brindar a chegada do ano-novo. Hoje, ao lado de Yannah e do filho do casal, Ivan, de 6 anos, João Manuel celebra também o aniversário. E quem podia imaginar que aquele encontro por acaso, na Praia do Futuro, resultaria nesta parceria profissional e pessoal que já dura mais de uma década?

Serviço

Tasca da Vila
Acampamento DFL, Rua 1, Lote 1, Vila Planalto
Telefone: (61) 3327-7343
Aberto de terça a sexta-feira, das 11h30 às 22h, e sábado, domingo, segunda e feriado, das 11h às 16h

Bacalhau de natas

Gustavo Breder/Esp. CB/D.A Press
 
Ingredientes
2 postas de bacalhau dessalgadas (cerca de 400g)
250g de batata-inglesa descascada e cozida
60ml de aceite
300ml de creme de leite
1 colher de alho picado
Um punhado de salsa picada
Queijo parmesão
Sal a gosto

Modo de fazer
Ponha um fio de azeite nas postas de bacalhau e leve ao forno por cerca de 20 minutos.
Enquanto isso, corte a batata já cozida em cubos pequenos e frite em óleo quente até ficar levemente dourada.
Tire o bacalhau do forno, retire o osso, as espinhas e a pele e desfie grosseiramente.
Em uma panela, aqueça o azeite, refogue o alho e ponha a batata e o bacalhau. Misture bem.
Acrescente o creme de leite, a salsa e a pimenta.
Prove e, se precisar, acerte o sal.
Ponha tudo em um recipiente, salpique queijo parmesão por cima e leve ao forno para gratinar.
Sirva com salada (à moda portuguesa) ou arroz (à moda brasileira).
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.