Publicidade

Estado de Minas ENCONTRO COM O CHEF

Sucos artesanais atraem pela beleza aliada ao sabor natural

Experiência na arte de transformar os tons dos tecidos na indústria têxtil inspira jovem empresário na criação das bebidas


postado em 11/02/2018 07:00 / atualizado em 08/02/2018 19:12

Quando chegou a Brasília, em 2009, Marcelo de Angelo estranhou a falta de feiras públicas na cidade. Afinal, em São Paulo, cidade onde nasceu, há uma — ou várias — em cada bairro. “Não entendia por que as pessoas tinham o hábito de comprar frutas e verduras em supermercados. Eu sempre frequentei as feiras, costumava ir já no final, para garimpar produtos mais baratos. Comprava uma bandeja de figo a R$ 1. E comia muito bem”, relembra.

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Marcelo, então, teve uma ideia: convidou 10 famílias amigas e começou a fazer as compras delas. No início, funcionaria como uma espécie de estudo para conhecer melhor o hábito de consumo do brasiliense, mas a ideia era transformar a pesquisa em negócio.

O sucesso foi tanto que, em pouco tempo, a Quitanda Fácil, primeiro empreendimento do jovem no DF, tinha uma média de 10 clientes diários. Em um primeiro momento, Marcelo comprava apenas as frutas, as verduras e os legumes. “Com o tempo, porém, tinha gente incluindo até vinho na lista.”

O tino comercial de Marcelo vem de berço. Nascido em uma família abastada, ele viu a mãe, empresária, quebrar e perder tudo. Foi morar na periferia e, aos 13 anos, precisou batalhar o primeiro emprego. Depois de atuar como pintor de paredes, foi trabalhar em uma indústria têxtil. Começou na limpeza e foi galgando funções até chegar a gerente do setor de coloração. Em sociedade com um amigo, abriu a própria empresa de serigrafia.

Mas aí a vida de Marcelo voltaria a mudar. Evangélico, ele costumava viajar o Brasil em acampamentos da igreja. Foi assim que conheceu a mulher, brasiliense, e se mudou para a capital. Historiador de formação — “costumo dizer que foi o hobby mais caro que eu já fiz”, brinca —, o jovem trabalhou como pesquisador ambiental, mas queria voltar a ser o próprio patrão.

Tudo fresquinho

Depois desse parêntese, voltamos à história da Quitanda Fácil. Com o sucesso do negócio, alguns clientes começaram a incentivar Marcelo a levar os seus produtos, extremamente frescos, a eventos, como brunch e coffee break. A estreia foi em um vernissage na Câmara dos Deputados.

Aos poucos, a empresa foi ganhando outro perfil: servia, agora, sanduíches naturais, patês e outras comidinhas, tudo criado e preparado pelo empresário. Mas um detalhe começou a chamar atenção: os sucos sempre roubavam a cena.

Veio, então, outra guinada na vida de Marcelo. “Fui fazer um curso do Sebrae e, à medida que as aulas iam ocorrendo, eu tinha a clareza de que estava fazendo tudo errado. Estava gastando muito tempo fazendo a feira dos clientes e ganhando muito pouco com isso. Percebi que os sucos eram o meu diferencial.”

O ano era 2014, época do boom de food trucks em Brasília. Marcelo, então, comprou uma Kombi e saiu pela cidade vendendo os seus sucos coloridos, expostos em suqueiras estilosas. A Sucopira virou uma empresa independente da Quitanda Fácil, que deixou de vender produtos in natura para se transformar em um bufê. “Hoje, tenho um chef que fica à frente da empresa. Ele monta a festa de acordo com o gosto do cliente.”

Trabalho braçal

Já a Sucopira é presença certa na maioria dos eventos de food truck da cidade — hoje, são três Kombis em circulação. Marcelo também fornece sucos para restaurantes e, claro, para os eventos da Quitanda Fácil. “Chegamos a processar 7 toneladas de fruta por mês”, conta o empresário.

E tudo é feito artesanalmente, um trabalho braçal. Máquina só entra na hora do envase, para garantir a dosagem correta. “Também não temos corantes ou conservantes e o nosso teto de uso de açúcar é de 4% do total da composição.”
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Para este domingo de carnaval, Marcelo propõe o preparo do Citrus, um dos carros-chefe da Sucopira.  O suco é à base de limão e tangerina, que têm muita vitamina C, o que ajuda a aumentar a imunidade, e cenoura, rica em betacaroteno, que pode dar um plus no bronzeado. “Ele é bom tanto para os dias de carnaval como para ajudar a curar a ressaca pós-folia”, ensina.

E a sua relação de amor com as cores, originária da época em que trabalhou na indústria têxtil, Marcelo trouxe para a Sucopira. Ele confessa que, apesar de contar com a consultoria de uma nutricionista, o seu foco ao criar os sucos são mesmo as tonalidades. “Eu me concentro em trabalhar com grupos de cores. Naturalmente, esses alimentos acabam combinando entre si.”

Entre os sucos expostos na Sucopira, cinco tons estão sempre presentes: rosa (limão com amora); laranja (laranja, limão e cenoura), amarelo (maracujá com manga ou cajá); vermelho (melancia com limão) e branco (graviola com coco). “É claro que temos muitos outros sabores e cores. No auge da Frozen, chegamos a criar um suco azul. Quando estávamos fazendo os testes, usamos até repolho roxo nos experimentos, mas ninguém aguentou o cheiro”, diverte-se.

Suco Citrus

Ingredientes
200g de cenoura descascada
120ml de suco de limão
150ml de suco de tangerina (pode substituir por laranja)
700ml de água
30g de açúcar (ou ao gosto do consumidor) ou mel

Modo de fazer
Triture a cenoura no suco da tangerina e do limão, espremido à mão.
Em seguida, coe e acrescente a água.
Adoce com açúcar ou mel.
 

Serviço

Sucopira e Quitanda Fácil
WhatsApp: 99225-9449
E-mail: contatosucopira@gmail.com

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade