Games com temática de cuidar de animais e empreendimentos despontam na rede

Com temáticas parecidas ao do Tamagotchi, jogos têm por objetivo cuidar de animais, desde simples monstrinhos a zoológicos inteiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/03/2013 11:37

Zynga/Divulgação


Ter um animal de estimação não é fácil. É preciso espaço, alimentá-lo, levar ao veterinário, além de dar atenção e carinho. Por isso, muitas pessoas nem cogitam ter um bichinho real em casa. Mas, na década de 1990, com os avanços dos games, surgiram opções virtuais para aqueles que gostariam de ter um pet. Um dos precursores foi o Tamagotchi. O brinquedo se assemelhava a um chaveiro com botões e um pequeno visor, que mostrava o pet virtual. Avisos sonoros indicavam quando era o momento certo para as atividades do dia a dia.

Augusto Berto, 22 anos, relembra a mania de sua infância. Quando criança, seu pai chegou a ter uma loja de brinquedos na 412 Sul. E em uma das viagens para compra de novos aparatos, trouxe um Tamagotchi, novidade da época. No começo, Augusto revela que não achava muita graça, mas, depois, passou a cuidar como se fosse um bicho real. “Toda hora ele apitava, então, comecei a carregá-lo no bolso. Assim, acabei criando um laço afetivo. Sentia que se não cuidasse, realmente ele morreria.”

Do mesmo modo que Augusto, muitos adoraram o brinquedo e passaram a levá-lo a todos os lugares. A febre era tamanha que alguns colégios chegaram a proibir o uso do aparelho em sala de aula, pois diversos alunos deixavam de prestar atenção às lições para cuidar do bicho. “Eu perdi vários na mão de professores, mas como meu pai era dono da loja de brinquedos, nem me importava muito e continuava levando o aparelho todos os dias”, conta Augusto.


Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.