Jogador brasileiro gasta até R$ 150 por mês com jogos eletrônicos

Estudo feito por um site de descontos revelou ainda que a internet é preferência na hora da compra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/09/2015 16:18 / atualizado em 22/09/2015 17:24

OLIVER BERG

A pesquisa A Intenção de Compra dos Gamers no Brasil, feita pelo site Busca Descontos, revelou que 48% dos usuários brasileiros gastam, em média, R$ 150 por mês em jogos eletrônicos. O estudo, feito de 11 a 17 de setembro, com mais de 2.600 pessoas, mostra ainda que destes 48%, 31% consome de R$ 50 a R$ 100, todos os meses, e 35% está disposta a gastar mais durante o Brasil Game Day.


Para Patrícia Soderi, diretora de Novos Negócios do Busca Descontos, apesar do cenário econômico desfavorável, os jogadores brasileiros continuam sendo consumidores fervorosos. “Prova disso é que o gamer brasileiro ainda gasta um tíquete médio considerável por mês e, está disposto a aproveitar descontos para ultrapassar esse valor no Brasil Game Day”, explica.

 

A internet continua sendo o local favorito do gamer para comprar jogos eletrônicos. A pesquisa mostrou que 48% dos entrevistados prefere os e-commerces; 20%, as lojas de desenvolvedores; e 6%, sites estrangeiros. As lojas físicas representaram 21% das intenções de compra. Com relação a categoria dos jogos, Aventura lidera com 30%; seguido por RPG (22%), Esportes (20%) e Simulação (17%).  

 

Brasil Game Day

O Brasil Game Day é o maior saldão de jogos, consoles e acessórios para videogames do pais. Durante 24 horas, consumidores terão a oportunidade de aproveitar descontos oferecidos por centenas de lojas para comprar produtos do universo gamer. Neste ano, o BGD tem início na noite de 23 de setembro e vai até a meia-noite do dia 24. O estudo revelou que, para 2015, a intenção do brasileiro é gastar até R$ 200 com o evento. 

 

Confira alguns dados da pesquisa:

BuscaDesconto/Divulgação
 

 

Com informações de Álef Calado. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.