ANÁLISE

Conservador, FIFA 16 continua o principal simulador de futebol

Postura de não mexer em time que está ganhando deve mudar nos próximos títulos, para enfrentar a concorrência com mais competitividade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/01/2016 16:32 / atualizado em 21/01/2016 17:16

EA Sports/Divulgação
 

 

A afirmação de que determinado jogo não apresenta nenhuma novidade em relação ao seu antecessor pode ser, naturalmente, interpretada como uma crítica. No entanto, seria precipitado aplicar tal leitura ao FIFA 16, simulador de futebol lançado pela EA Sports em outubro do ano passado. Estabelecido como o principal jogo do esporte, a versão atual da franquia preferiu adotar uma postura mais conservadora para enfrentar a concorrência, com mudanças e atualizações apenas pontuais.

A jogabilidade e os gráficos continuam impressionantes, com maior ênfase nas nuances, como a força de um passe e a marcação em cima na hora de dar um chute, tudo colaborando (ou atrapalhando) para o sucesso das jogadas. Detalhes como a expressão dos jogadores, o grito das torcidas e até o spray utilizado pelo juíz para determinar a localização da barreira - novidade do FIFA 16 - contribuem para aquele que é, talvez, o maior triunfo da experiência do entretenimento produzido pela EA Sports: a sensação de se estar em um estádio assistindo uma partida de futebol ou, no mínimo, em frente à TV acompanhando o passatempo nacional em um domingo a tarde.

E por falar em passar os domingos em frente à televisão torcendo e sofrendo, uma boa novidade para os fãs do futebol local é a volta dos clubes brasileiros, com exceção de Flamengo, Corinthians - que possuem acordos de exclusividade com o concorrente, Pro Evolution Soccer, da Konami - Sport e Goiás. Por não contar com todos os participantes brasileiros da principal divisão, a EA preferiu colocar os clubes na aba “Resto do Mundo”, ao invés de ter sua própria categoria, como era o costume.

 

EA Sports/Divulgação


Modos populares
Dois dos modos mais populares do jogo, o Carreira e o Ultimate Team, bastante responsáveis pelo sucesso da franquia, contam com poucas, mas funcionais novidades. No primeiro, além de uma interface mais simples e amigável, os produtores do jogo adicionaram uma alternativa de treino entre os jogos, possibilitando uma evolução mais rápida da equipe. Já em relação ao segundo, as novidades foram na parte visual: é possível, por exemplo, escolher mais de uma carta consumível para cada jogador, por exemplo, uma carta de cura, condição física e habilidade sem precisar selecionar o atleta a cada atribuição de card. Outro novo modo dentro do Ultimate é o Draft, uma série de quatro partidas na qual o jogador pode montar seu time dos sonhos, com jogadores difíceis de serem encontrados como Messi e Cristiano Ronaldo, por meio da moeda do próprio jogo.

Para todos
Outra característica notável deste FIFA16 foi o esforço dos criadores em criar um jogo que fosse possível ser desfrutado para todos os usuários, mesmo aqueles que não tem nenhuma experiência com títulos passados. A acessibilidade é garantida pelo botão R3 (no PS4), que habilita um modo de assistente técnico, indicando qual a próxima ação que deverá ser tomada, seja um passe ou um chute para o gol.

A adição do futebol feminino é outro fator que deverá chamar a atenção de um novo público para o jogo, especialmente do modo fiel que foi feito ao ritmo do esporte bretão jogado pelas mulheres, não sendo não apenas uma cópia da modalidade masculina.

 

EA Sports/Divulgação


Conclusão
“Em time que está ganhando não se mexe”. Sim, o provérbio ainda é verdade para Fifa, e a versão 16 do jogo demonstra que nenhuma outra fabricante ainda conseguiu reproduzir com a mesma fidelidade da EA Sports a emoção e a diversão de desfrutar uma partida de futebol ao lado dos amigos. A inclusão do futebol feminino também demonstra que a empresa está a par com as tendências mundiais de maior preocupação com a representatividade. No entanto, se a EA quiser manter seu reinado futebolístico por mais anos, terá que prestar atenção no que a Konami está fazendo com o Pro Evolution Soccer, que pretende ganhar de volta o reinado que tinha adquirido antes do próprio Fifa. E como o futebol é melhor explicado por meio de clichês, em jogo de time grande não tem favorito, e quem ganha é o torcedor!

Informações técnicas:
- Publicação: Electronic Arts
- Desenvolvimento: EA Sports
- Plataformas: PC, PS4, XOne, PS3 e X360
- Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos
- Jogadores: 1-4
- Preço: R$ 129,90 (PC), R$ 230 ( Xbox One e PlayStation 4)

Nota: 8,5

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.