Zuckerberg diz que se 'solidariza' com Apple em sua batalha na justiça

A Apple está no centro de uma batalha legal depois que um juíz americano exigiu que a companhia ajude o FBI a acessar o conteúdo criptografado do iPhone de um dos autores radicalizados do tiroteio em San Bernardino

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/02/2016 16:29

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que se "solidariza" com a gigante americana Apple e seu chefe Tim Cook, engajados em uma batalha contra a justiça americana sobre a privacidade de dados.

"Somos solidários com Tim e Apple", assegurou em um discurso muito esperado no Mobile World Congress, em Barcelona, %u200B%u200Ba maior exposição do mundo de telecomunicações.

 

Leia mais notícias em Tecnologia

 

"Eu não acredito que exigir um 'backdoor' da codificação será eficaz para aumentar a segurança, ou que seja a coisa certa a fazer", acrescentou.

A Apple está no centro de uma batalha legal depois que um juiz americano exigiu que a companhia ajude a polícia federal (FBI) a acessar o conteúdo criptografado do iPhone de um dos autores radicalizados do tiroteio em San Bernardino, que matou 14 pessoas no início de dezembro na Califórnia.

A gigante americana afirma que o software solicitado pelo FBI para acessar este smartphone não existe. No entanto, peritos independentes concordam que os engenheiros da Apple têm a capacidade de criá-lo. Mas alertam que um tal 'backdoor' poria em risco a proteção dos dados de centenas de milhões de usuários.

Zuckerberg também assegurou que a rede social que ele fundou tem regras estritas contra conteúdo que possa promover o terrorismo. "Nós não queremos pessoas que fazem esse tipo de coisa no Facebook," disse ele.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.