TESTAMOS

Tudo sobre o Redmi 2, primeiro smartphone da Xiaomi no Brasil

O celular de entrada custa em torno de R$ 600. Seu principal concorrente é o Moto G

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/02/2016 17:37 / atualizado em 25/02/2016 13:28

Rafaella Panceri/Esp.CB/D.A Press

A Xiaomi é uma empresa da China pouco conhecida entre os brasileiros. A marca produz desde celulares e tablets a medidores de pressão, televisores e purificadores de ar. O Redmi 2 é o primeiro dispositivo da Xiaomi a chegar ao Brasil. A proposta da empresa é oferecer um aparelho barato (sai por cerca de R$ 600) com uma performance razoável.

Apesar de não funcionar com o sistema iOS, da Apple, o Redmi 2 tem uma interface bastante alterada, se comparado a outros celulares Android. Não há menu de aplicativos na tela inicial. Além disso, cada recurso das configurações tem uma cor específica. A visão geral é semelhante à de iPhones e afins.

O design é elegante, em plástico, com bordas arredondadas. Na tela, a proteção anti-riscos fica por conta da tecnologia Dragon Tail (similar à Gorila Glass). Os botões de “voltar” e “aplicativos abertos recentemente”, sensíveis ao toque, são invertidos. Quem usa Motorola, Samsung ou LG pode ficar confuso no começo.
Rafaella Panceri/Esp.CB/D.A Press

A pintura é fosca e o smartphone não é dos mais finos. Para quem tem mãos pequenas, fica mais fácil e confortável segurá-lo. As bordas arredondadas também ajudam na hora de digitar. O tamanho não é perfeito para colocar no bolso da calça, mas passa longe de gigantes com tela maior que 4,7 polegadas.

Os botões de controle de volume e de ligar/desligar ficam na lateral direita. A entrada para fones de ouvido fica na borda superior. O microfone e a entrada micro USB (para o carregador), ficam na parte inferior.
Rafaella Panceri/Esp.CB/D.A Press

A câmera tem um recurso curioso. Enquanto a foto não é tirada, ela detecta a idade e o sexo da pessoa fotografada, a partir do rosto. A resolução é razoável. A traseira tem 8MP e a frontal oferece 2MP para as selfies.

A duração da bateria é satisfatória: um dia inteiro, com reprodução de vídeos e jogos considerados pesados (FIFA 15 e The Sims FreePlay), além de acesso a redes sociais. O celular não trava, mas esquenta bastante após duas ou três horas de uso ininterrupto.

O principal concorrente do Redmi 2 é o Moto G, da Motorola. Apesar de terem configurações parecidas, em algumas delas, o Moto G se destaca. Ainda assim, o celular da Xiaomi sai por metade do preço.

Ficha técnica
Rafaella Panceri/Esp.CB/D.A Press

Sistema Operacional: Android 4.4.4 (MIUI 6).
Processador: Qualcomm Snapdragon 410 Quad-core de 1,2 GHz
Memória RAM: 2GB
Memória interna: 16 GB (expansível)
Tela: 4,7” (1280x720)
Câmera: traseira de 8MP e frontal de 2 MP
Redes suportadas: 4G/3G/2G
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.