Análise: discreto e elegante, Moto 360 Sport é o aparato ideal para atletas

Tela híbrida, conexão Wi-Fi e os recursos de monitoramento são os destaques da segunda geração do relógio inteligente da Motorola

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/04/2016 18:32 / atualizado em 13/04/2016 18:32

Motorola/Divulgação
 

 

A maioria das pessoas que pratica alguma atividade física tem o costume de monitorar dados pertinentes ao exercício, como a quantidade de passos, a queima de calorias, a quilometragem percorrida e o desempenho por distância. Para oferecer um aparelho voltado para esse público - e também para o usuário casual - a Motorola desenvolveu o Moto 360 Sport, uma versão mais esportiva da segunda geração do vestível.


Se você visse alguém na rua usando o aparelho, dificilmente notaria que se trata de um smartwatch. Isso porque o design escolhido para a segunda geração do wereable continua semelhante ao de um relógio comum. Tanto é que, em descanso, a única forma de denunciar sua condição de “inteligente” é se uma notificação for apresentada. As várias opções para o visual do plano de fundo - que vão da aparência clássica, com ponteiros, a mais elaboradas - deixam o aparato ainda mais discreto.


A liberdade do usuário com relação ao design acaba por aí. No Brasil, o Moto 360 Sport está disponível apenas na cor preta e a pulseira, feita inteiramente de silicone, não pode ser trocada ou substituída, impossibilitando que o usuário personalize o dispositivo. Apesar de confortável, de não deixar marcas na pele e contar com revestimento de qualidade, o bracelete acumula sujeira e partículas de poeira com muita facilidade.

 

Álef Calado/Esp. CB/D.A Press


Tela

Mesmo com a presença do sensor de movimento na parte inferior, a tela da segunda geração do Moto 360 é menor. Apesar de contar com display de 1,37 polegadas, contra 1,6 polegadas da geração anterior, a limitação não incomoda tanto e depois de algumas horas de uso, passa despercebida. A resolução é de 360 X 325 pixels com 263 PPI (pixels por polegada).


Uma das novidades mais interessantes do aparelho é a funcionalidade Moto AnyLight, uma espécie de tela híbrida que leva as condições luminosas do ambiente em conta para fornecer o brilho ideal. Isso evita que a tela, quando exposta à luz do sol, escureça.

 

Motorola/Divulgação


Desempenho
O Moto 360 Sport conta com a versão 5.1.1 do Android Wear, adaptação do sistema operacional da Google desenvolvido especialmente para dispositivos vestíveis. A funcionalidade é igual à de outros smartwatches: o usuário baixa um aplicativo no celular e faz o pareamento por meio da conexão Bluetooth. Pronto! Tanto o seu e-mail quanto as suas redes sociais e alguns aplicativos instalados no smartphone que também são compatíveis com o wereable, como o WhatsApp e o Spotify, estarão disponíveis. A partir daí, as possibilidades são quase infinitas: você pode ler e responder mensagens, fazer pesquisas com o comando “Ok Google”, definir alarmes, usar os apps compatíveis e até mesmo jogar.


Uma das novidades do aparelho é que ele não precisa mais ficar o tempo todo conectado ao smartphone, como acontece com o primeiro dispositivo, graças ao advento da conexão Wi-Fi, algo que parece ser básico em qualquer “smart” mas que só chegou agora ao relógio inteligente da Motorola. Vale lembrar que, ainda assim, algumas funcionalidades do Android Wear precisam do Bluetooth para funcionar.

Bateria
Uma das reclamações mais comuns do antecessor, o Moto 360, é com relação ao desempenho fraco da bateria, que não aguentava nem um dia de uso. Para a versão Sport, a Motorola optou por deixar a carga ainda menor. A bateria sofreu um downgrade e passou de 320 mAh para 300 mAh. Mas será que essa baixa realmente representa alguma diferença? Durante os testes, com uso moderado, o Moto 360 Sport chegou ao final do dia com até 20% de carga restando.


Outro problema está no carregador. Já que o relógio não possui entrada USB, o usuário se vê obrigado a carregar um cabo e um dock se não quiser ficar na mão.

 

Álef Calado/Esp. CB/D.A Press


Especial para esportes
Já que o aparelho foi pensado principalmente para o público que pratica esportes, o Tecnologia levou o relógio para correr. Equipado com um pedômetro que leva em conta o balanço do braço para contar o número de passos dados pelo usuário, monitor de batimentos cardíacos, que coleta seus dados a cada cinco minutos e oferece uma análise dos seus batimentos cardíacos ao longo do dia e GPS, o dispositivo é um grande aliado para quem quer superar seus próprios limites.


Usando o Moto Body, aplicativo que já vem pré-instalado no relógio, o usuário consegue informações sobre os resultados do exercício, além de monitorar o progresso ao longo dos dias e ter acesso a um gráfico informando suas melhores performances. Ao ser pareado com o smartphone, todos esses dados são salvos na conta Google.

Motorola/Divulgação
Ficha Técnica
Tela: 1,37 polegadas (35 mm)
Processador: Qualcomm® Snapdragon™ 400 com 1,2 GHz quad-core
Bateria: 300 mAh
Capacidade: Armazenamento interno de 4 GB
Sistema: Android Wear 5.1.1
Proteção: Gorilla Glass 3 e certificação de resistência à água IP67
Preço: R$ 1.999

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.