Sistema une smartphones e óculos inteligentes, para ajudar pessoas cegas

A tecnologia desenvolvida, apresentada em um artigo na revista especializada IEEE Transactions on Neural Systems and Rehabilitation Engineering, transfere os textos e imagens do smartphone para o display do Google Glass

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/05/2016 07:01

Um grupo de pesquisadores americanos apresentou na semana passada um sistema que une smartphones e os óculos inteligentes da Google para ajudar pessoas com grande deficit de visão, embora não sejam totalmente cegas. De acordo com os cientistas, esse grupo de pessoas têm dificuldade de usar o celular, pois, ao usar a função de zoom para enxergar as miúdas letras, acabam perdendo a noção de todo o conteúdo exposto na tela.

A tecnologia desenvolvida, apresentada em um artigo na revista especializada IEEE Transactions on Neural Systems and Rehabilitation Engineering, transfere os textos e imagens do smartphone para o display do Google Glass, que fica próximo aos olhos do usuário. Para navegar pela página mostrada no celular, a pessoa só precisa fazer alguns movimentos com a cabeça, fazendo com que o conteúdo suba ou desça ou vá para os lados.

“Quando pessoas com baixa acuidade visual usam o zoom no smartphone, eles podem ver apenas uma pequena porção da tela, o que torna a navegação difícil. Elas não sabem, por exemplo, se a posição atual está no centro ou no canto da tela, por exemplo”, explicou, em um comunicado, Gang Luo, cientista associado no Schepens Eye Research Institute of Mass. Eye and Ear e professor de oftalmologia da Universidade de Harvard. “Esse aplicativo transfere a imagem do smartphone para o Google Glass e dá aos usuários um senso muito bom de orientação”, completou.

Leia mais notícias em Tecnologia

Em um teste, os pesquisadores pediram a pessoas com deficit visual a realizarem algumas tarefas ao celular, sendo que uma parte do grupo contava apenas com o smartphone e a outra dispunha do novo sistema. Ao medir o tempo médio que cada turma levou para realizar as ações, os pesquisadores concluíram que o aplicativo representou uma redução de 28% no tempo gasto.

Como próximo passo, os autores querem acrescentar outros gestos que os usuários poderiam fazer para usar o aplicativo, além de comparar a eficácia no invento com outros dispositivos que também servem para facilitar o uso de smartphones por pessoas com deficit visual.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.