Publicidade

Estado de Minas

App usa nomes de músicas para criar texto de repúdio a estupro coletivo

"Queremos ver justiça. Queremos saber até quando isso vai acontecer. No Brasil, onze minutos e uma mulher abusada. Quem são os animais? Chega", diz a mensagem


postado em 27/05/2016 18:19 / atualizado em 27/05/2016 18:51

A arte sempre foi um bom instrumento de protesto. E nesta quinta-feira (27/5), o aplicativo Spotify escolheu a música para repudiar o estupro coletivo realizado por 33 homens contra uma adolescente no Rio de Janeiro. A empresa responsável pelo app criou uma playlist, cujos nomes das faixas formam uma mensagem de apoio à vítima.

 

(foto: Reprodução/Spotify)
(foto: Reprodução/Spotify)

(foto: Reprodução/Spotify)
(foto: Reprodução/Spotify)
 

 

“Hoje, 33 homens, mas podemos chamar monstros, fizeram tudo isso com aquela adolescente, criança, mulher, ser humano. Queremos ver justiça. Queremos saber até quando isso vai acontecer. No Brasil, onze minutos e uma mulher abusada. Quem são os animais? Chega. O tempo não apaga toda essa dor. Vamos gritar bem alto. Vocês não ficarão sozinhas”, diz a mensagem.

 

Leia mais notícias em Tecnologia

 

A lista reúne canções de artistas dos mais variados gêneros musicais. Entre eles, a funkeira Ludmilla, o sambista Zeca Pagodinho, os sertanejos Victor & Leo e até o grupo gospel Toque no Altar. Faixas de Cássia Eller, Cazuza, Titãs, Gabriel o Pensador e Fábio Jr. também foram utilizadas para compor o texto.

No Twitter, a ação recebeu o apoio de diversos internautas. A tag #EstuproNaoÉCulpaDaVitima, que dá nome à playlist, chegou a figurar entre os assuntos mais comentados da rede social.

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade