ANÁLISE

Samsung Galaxy S8: mais poder, menos carcaça e muita segurança

Apesar do display de 5,8 polegadas, o novo topo de linha da sul-coreana possui medidas discretas e encaixa bem na mão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/08/2017 17:30 / atualizado em 11/08/2017 16:15

Samsung/Divulgação

A Samsung tinha uma missão relativamente complicada nas mãos: lançar um aparelho tão bom, mas tão bom, que fizesse todo mundo se esquecer do fiasco que foi o Galaxy Note 7. E não é que ela conseguiu?! Sob muita expectativa, a oitava geração da linha S chegou ao Brasil em março, com processador Exynos 9 8895, 4GB de memória RAM, 64GB de armazenamento interno e telas de 5,8 polegadas (S8) e 6,2 polegadas (S8+). O preço, como de costume, muito salgado: R$ 3,7 mil e R$ 4,1 mi, respectivamente.

 

Ao tirar o aparelho da caixa, a primeira impressão é de um smartphone pequeno. Mesmo com 6,2 polegadas, o S8 possui display 18,5:9, o que faz com que ele acabe com apenas 148,9mm de altura. Ele também é surpreendentemente leve, são apenas 115g. Os números diminutos e a tela curva, outro ponto interessante, certamente facilitam na hora de usar o celular, que encaixa bem na mão.

Design

A Samsung resolveu colocar os botões físicos de início, voltar e multitarefa diretamente na tela — como muitas fabricantes já fazem há bastante tempo. A decisão deu ainda mais espaço para o display Super AMOLED de resolução 1440 x 2960 pixel, que ocupa quase a totalidade da frente. Como já mencionamos, apesar das 5,8 polegadas, o topo de linha é extremamente compacto e aparenta ser bem menor.

 

Samsung/Divulgação
 


Na parte de trás, ele continua praticamente igual ao Galaxy S7, com a adição do leitor de impressões digitais, que foi parar ao lado da câmera. Flash dual-tone e o logo da empresa também dividem o espaço. Nas laterais, apenas os botões de volume, on/off e um ativador para o Bixby, assistente virtual da Samsung. O aparelho está disponível nas cores ametistas, prata e preto. 

Desempenho
No mercado nacional, o Galaxy S8 vem com processador Exynos 9 8895 Quad-core 2.3GHz Quad-core 1.7GHz e GPU Mali-G71 MP20. Junto com os 4GB de memória RAM, ele entrega o esperado para um topo de linha e consegue rodar aplicativos e jogos mais pesados, como Need for Speed: No Limits, Injustice 2 e FIFA Mobile Futebol sem nenhuma dificuldade. A única ressalva que temos a fazer é com relação aos vídeos do WhatsApp, que o topo de linha não conseguiu, de jeito nenhum, abrir direto no reprodutor de vídeos VLC. 


O aparelho já sai de fábrica atualizado com Android 7.0 Nougat. Como de costume, a Samsung faz uma série de modificações e disponibiliza, para os usuários, o sistema operacional personalizado com a TouchWiz UI. O que podemos notar é que a sul-coreana vem trabalhando para tornar a sua própria versão do S.O. o mais usual possível. O S8 não vem com tantos bloatwares e, grande parte dos que marcam presença, se mostram úteis. Um dos pontos interessantes da personalização pode ser vista nas configurações, onde a fabricante colocou um recurso de buscas que facilita — e muito — na hora de procurar determinados recursos.


Um dos destaques da oitava geração da linha S é a assistente virtual Bixby. Infelizmente, durante os testes, ela não fez muita diferença, já que ainda não havia aprendido a falar português ou inglês. Na teoria, a funcionalidade oferece uma gama gigantesca de recursos e possibilidades, aprendendo com o usuário a medida que ele usa o celular.


Câmeras

A câmera traseira continua com 12MP e abertura f/1.7, os mesmos números encontrados no Galaxy S7. Isso significa que a nova versão do topo de linha continua mandando tão bem quanto a geração anterior. O resultado são fotos extremamente nítidas, detalhadas com cores mais vivas. Se as condições de iluminação forem boas, as fotos saem ainda mais bonitas.

 

Álef Calado/Esp.CB/D.A Press
 

Álef Calado/Esp.CB/D.A Press
 

 

Um recurso que chamou atenção durante o período de testes foi o pós processamento. O software da Samsung faz um trabalho muito bom e oferece uma infinidade de opções para o usuário, que pode tirar fotos com profundidade e escolher onde vair querer o foco, por exemplo.

 

Já a câmera frontal passou por algumas melhorias. A resolução subiu de 5MP para 8MP e ganhou abertura f/1.7. Os resultados são selfies melhores e com mais gente. O software também ganhou recursos novos. Um deles, acrescenta carimbos, stickers e máscaras — semelhantes as que o Snapchat tornou tão popular — às suas fotos. Agora, o usuário pode controlar o zoom só deslizando o dedo para cima e para baixo. A Samsung apostou na interação da câmera com o Bixby, que, a partir dela, consegue identificar objetos e direcionar o usuário para lojas virtuais onde aquele produto está à venda.

 

Samsung/Divulgação
 

 

Bateria

Esse é um dos únicos pontos que o S8 decepcionou. A autonomia de 3.000mAh aguenta uma manhã e uma tarde inteira de uso. O resultado não é ruim, mas por se tratar de um topo de linha do porte do Galaxy S8, esperávamos um pouco mais. Felizmente, ao colocar o aparelho para carregar, cerca de 50 minutos davam conta do recado e ele estava 100% pronto para mais uma maratona.

 

Segurança

Samsung/Divulgação

Um dos pontos fortes da nova aposta da sul-corena é a segurança. Você pode escolher como quer desbloquear o aparelho. Nós, claro, utilizamos o leitor de íris, um dos recursos presente no finado Galaxy Note 7. O sistema funciona muito bem e consegue reconhecer o usuário só dele olhar para o aparelho, mesmo que ele esteja usando óculos de grau. Em determinados momentos, a leitura era tão rápida que nem a tela com as duas bolinhas — para posicionar os olhos — aparecia.


Em lugares abertos, o infravermelho do leitor não funciona muito bem. Nestes casos, recorremos ao leitor de impressões digitais, presenta na traseira do smartphone. Sobre ele, duas ressalvas: a posição ficou ruim, não está ao alcance natural do dedo e dá para confundir com a lente da câmera. A outra é que, apesar da posição, a Samsung finalmente conseguiu entregar um leitor de qualidade e o desbloqueio é rápido

 

Vale a pena?

O Galaxy S8 é um dos melhores smartphones lançados em 2017. Apesar do preço salgado, quem procura um aparelho que não vai te deixar na mão — à exceção da bateria, talvez — o novo topo de linha da Samsung é uma ótima opção. Vale ressaltar a compatibilidade dele com o DEX, um dock que o transforma em um PC e aumenta ainda mais as possibilidades de atuação.  


Ficha técnica

Samsung/Divulgação
Samsung Galaxy S8
Processador: Samsung Exynos 9 8895
Memória RAM: 4GB
Armazenamento interno: 64GB (expansível para até 256GB)
Dimensões (A x L x E): 148.9 x 68.1 x 8mm
Peso: 155 gramas
Tela: 5,8 polegadas Super AMOLED com tecnologia de display infinito
Resolução: 1440 x 2960 pixel
Câmeras: Traseira de 12MP e frontal de 8MP
Slots para cartão: Dual SIM LTE 4G
Conectividade: Wi-Fi, Bluetooth 5.0, GPS
Sistema operacional: Android 7.0 Nougat
Preço: R$ 3.699

 

Estagiário sob supervisão de Taís Braga

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.