Nove paradisíacas ilhas brasileiras para curtir a dois no Dia dos Namorados

O Brasil tem muito mais que Fernando de Noronha - que ainda assim merece ser visitada. Para comprovar, o Turismo listou outras oito ilhas, fluviais e oceânicas, para você escolher o melhor cenário do seu romance

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2015 17:38

Hans von Manteuffel/Divulgação

Sabe aquela velha pergunta: quem você levaria para uma ilha? E se for no Brasil? Com uma imensa extensão territorial, o país abriga ilhas de norte a sul, que são verdadeiros paraísos exuberantes, para quem deseja apreciar paisagens capazes de tirar o fôlego, apenas descansar ou mesmo se divertir e se deliciar com a gastronomia local.

Nem só de Fernando de Noronha vive o Brasil. O arquipélago de Pernambuco foi eleito a 10ª melhor ilha do mundo e a melhor da América do Sul para se visitar, segundo ranking do TripAdvisor. São 17 quilômetros quadrados a 545 quilômetros da costa, formado por 21 ilhas. Para conhecer as belezas naturais desse santuário ecológico é preciso pelo menos cinco dias, de forma a poder aproveitar ao máximo todos os atrativos naturais e passeios de encher os olhos e preencher os sentidos.

E para quem quer fugir da correria do dia a dia, o isolamento é, sem dúvida, um dos benefícios dessas idílicas porções de terra. O Turismo listou outras oito — menos conhecidas —, com suas peculiaridades e encantos.

Wikimedia/Divulgação

Ilha de Boipeba (BA)
Está localizada no arquipélago de Tinharé, no Baixo Sul da Bahia, e foi eleita pelos turistas do TripAdvisor a segunda melhor ilha da América do Sul. É o local exato para quem busca tranquilidade, não exige muito conforto, regalias ou uma vida noturna agitada. Os visitantes vão poder desfrutar das praias de água morna e transparente, praticar mergulho, percorrer trilhas pela Mata Atlântica e apreciar a gastronomia rica em frutos do mar. Para ir até lá, o visitante pode pegar táxi aéreo direto de Salvador. Outra opção mais em conta é o transporte rodoviário a partir da Ilha de Itaparica até o Vilarejo de Graciosa. No Vilarejo, a travessia é feita em uma lancha rápida até a ilha.

Rodolfo Bourbon/DP/D.A Press

Ilha do Mel (PR)

A ausência de carros e iluminação, dezenas de casinhas simples de alvenaria, pousadinhas, restaurantes e incríveis paisagens naturais chamam a atenção na Ilha do Mel, no litoral do Paraná. São 35 quilômetros de praias, desde a Praia do Farol, mais badalada e preferida pelos surfistas, até a mais deserta, Fortaleza, desejada por quem quer relaxar e curtir a paisagem. Quando cansar da tranquilidade à beira-mar, o turista poderá ainda visitar o Farol das Conchas, a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres e seu mirante, a Gruta de Encantadas e o Passa-Passa, em Nova Brasília, que é a parte mais estreita da Ilha do Mel. O acesso à porção de terra é feito por meio de uma embarcação.

Juliana Borre/CB/D.A Press

Ilha Grande (RJ)
Localizada no município de Angra dos Reis, a Ilha Grande é um dos lugares mais encantadores do Rio de Janeiro. São mais de 100 praias, algumas desertas, com águas cristalinas emolduradas por densa vegetação de Mata Atlântica. As principais atrações do local são trilhas que levam aos rios e cachoeiras, spas, grutas, mergulhos (profundidade e snorkeling) e esportes aquáticos. Os passeios de barco, com diferentes roteiros, levam os turistas à Lagoa Azul, ao Saco do Céu, Abraãozinho e à Praia de Lopes Mendes. Para chegar até lá é necessário pegar um barco em Angra dos Reis ou Mangaratiba e desembarcar na Vila do Abraão. Não são permitidos veículos automotores.

Fabio Vicentini/Divulgação

Arquipélago de Abrolhos (BA)

Localizado no litoral sul da Bahia, foi o primeiro lugar do país a receber o título de Parque Nacional Marinho. É formado por cinco ilhas, mas o desembarque de turistas só é permitido na Ilha Siriba. Nela é possível fazer uma trilha de 1,5 quilômetro, aproximadamente, e conhecer formações rochosas, piscinas naturais e os ninhos dos atobás, uma ave comum na região. O principal atrativo do arquipélago, no entanto, está na água. A beleza dos corais e a diversidade da fauna marinha encantam visitantes do mundo inteiro. Entre os meses de julho e novembro, as baleias-jubarte dão verdadeiro show aquático no local, onde só é possível chegar de barco.

Edilson Rodrigues/CB/D.A Press

Ilhabela (SP)
É um paraíso ao norte do litoral de São Paulo. A Ilha Bela é considerada perfeita para a prática de esportes náuticos. A 198 quilômetros da capital paulista, concentra charmosas pousadas e restaurantes, cafés, lojinhas de artesanato, além de cachoeiras e mais de 40 praias, das mais frequentadas às intocadas e de difícil acesso. A preferida dos surfistas é a Praia do Bonete. Para chegar até ela é preciso enfrentar quatro horas de caminhada leve ou ir de lancha. Para quem quer sossego, a Baía de Castelhanos é a ideal. O acesso se dá por meio de veículos 4×4 que vão percorrer 22 quilômetros de estrada de terra. O agito e a diversão da ilha estão nas badaladas praias do Curral e Perequê, onde estão localizados os bares e casas noturnas do centro do município, conhecido por vila. Só é possível chegar de balsa.

Turismo de Tocantins/Divulgação

Ilha do Bananal (TO)
A Ilha do Bananal desmistifica a afirmação de que os estados da costa brasileira têm ilhas fascinantes. Cercada pelos rios Araguaia e Javaés, é a maior porção de terra fluvial do mundo, com cerca de 20 mil quilômetros quadrados. Tem um dos maiores santuários ecológicos do país e, devido ao ponto de interseção entre os ecossistemas do cerrado e floresta amazônica, apresenta fauna e flora bastante diversificadas. Por isso, é comum encontrar por lá botos, onças-pintadas, tartarugas-da-amazônia, ipês e vegetação típica de matas ciliares e regiões alagadiças. A maior parte da ilha está dividida em duas áreas de reserva ambiental: o Parque Nacional do Araguaia, ao norte, e o Parque Indígena do Araguaia, ao sul, que abriga indígenas das etnias carajás e javaés. De setembro a março, período de chuvas na região, 80% da área da Ilha fica alagada. O barco é o transporte mais adequado para conhecer a região em tempo de estiagem.

Andrews Agostinho/Divulgação

Ilha do Cardoso (SP)
Transformada em Parque Estadual em 1962, a Ilha do Cardoso está localizada no litoral sul de São Paulo, na divisa com o Paraná. Com cerca de 15 mil hectares de Mata Atlântica, tem atrativos naturais voltados tanto para os turistas convencionais quanto para quem não abre mão do turismo de aventura. A paisagem é constituída por praias paradisíacas, costões rochosos, dunas, piscinas naturais, sambaquis, trilhas e cachoeiras. Não há hotéis na ilha. Por outro lado, a comida é excelente e relativamente barata. As comunidades caiçaras, que moram na região, ensinam aos visitantes lições de valorização e respeito à natureza.

Carlos Augusto Lima/Sebrae

Ilha do Caju (MA)
Delta do Parnaíba, que fica entre os estados do Maranhão e Piauí, tem 73 ilhas e ilhotas fluviais, das quais se destaca a belíssima Ilha do Caju. Apesar de pertencer ao Maranhão, o acesso até ela se dá por meio de barcos que partem do município de Parnaíba, no Piauí. Chegando lá, depois de quatro horas de viagem, o turista terá de desembolsar uma taxa no valor de R$ 15 que será destinada à preservação do local e às atividades de ecoturismo. As principais atrações são os passeios de barco nos rios e de caiaque pelos mangues, observação da fauna, trilhas feitas a cavalo ou charrete, dunas, piscinas de água doce e paradisíacas praias fluviais.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.