Roteiro das águas: do litoral às montanhas, passando pelas areias coloridas

É impossível não aproveitar o azul e o calor das praias para relaxar, praticar esportes ou observar a natureza. Até mesmo os passeios por terra têm o mar como pano de fundo. A beleza das cores está em toda parte: nas montanhas, nas florestas e nas areias branquíssimas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/06/2015 09:01 / atualizado em 17/06/2015 19:00

Thaís Paranhos

Sylvia Matzkowiak/Divulgação

As Ilhas Maurício têm lugar para quem quer relaxar em frente ao Oceano Índico e para quem não consegue ficar parado. É possível aproveitar as belas praias de areia branca e o mar cristalino de todos os lados. Mas cada parte do país guarda uma surpresa para os visitantes. No norte, por exemplo, os turistas podem praticar esportes aquáticos durante o dia e aproveitar a vida noturna na badalada Grande Baía. Mais ao sul, por outro lado, quem busca um passeio mais radical tem a opção de se aventurar em um safári.

Para os que gostam de esportes, a pedida no norte é o ski aquático ou o windsurfe, por exemplo. Tem para todos os gostos, dos novatos na modalidade aos mais experientes. Os hotéis da região oferecem as embarcações e os equipamentos necessários para os hóspedes. A barreira de corais em volta de toda a ilha favorece a prática do stand up paddle (SUP) ou o mergulho com snorkel. A poucos metros da areia é possível observar uma rica vida marinha. Porém, nada que não possa ser feito em outras partes do país colonizado por holandeses, franceses e ingleses (leia para saber mais).

O sul é conhecido pela combinação entre a beleza natural da paisagem e os esportes de aventura. Lá está localizada reserva natural Valriche, onde os visitantes podem fazer safáris, trilhas e passeios de quadriciclo em meio à natureza. Na península de Le Morne, a formação geográfica permite também outras práticas esportivas. Quem preferir , pode contratar um guia e se aventurar em uma escalada em uma montanha que leva o mesmo nome da península. Os turistas devem se informar no próprio hotel sobre a prática.

Thais Flaeschen Paranhos/CB/D.A Press

As Ilhas Maurício oferecem muito mais que um simples destino de lua de mel onde os casais podem curtir por horas a tranquilidade do lugar. Na costa leste, a vida marinha favorece os mergulhos. Também é possível explorar a região onde há navios naufragados. O outro lado da ilha reserva aos turistas um belo por do sol, surfe e mergulho com golfinhos. Os safáris marinhos são outro atrativo. Eles podem ser feitos em pequenos submarinos individuais ou coletivos.


Holandês
Elças ganharam esse nome porque fazem parte de um conjunto de ilhas. Maurício, em homenagem ao ao conde Maurício de Nassau, integrande da Companhia Holandesa das índias Ocidentais, é a maior delas e a única habitada.


Programe-se

Para contratar os passeios
A empresa Mautourco faz excursões por toda a ilha. Mais informações no site: www.mautourco.com

 

 

Os tons da terra

 

Thais Flaeschen Paranhos/CB/D.A Press

Fora do roteiro das praias, o The Coloured Earth — um parque privado onde é possível observar o solo colorido — deve ser visitado. À luz do sol, a terra em formato ondulado tem até sete tonalidades diferentes, passando pelos azuis, verdes, vermelhos e amarelos. É considerado um dos maiores pontos turísticos das Ilhas Maurício. A entrada no local custa 200 rúpias mauricianas, cerca de R$ 18. Para chegar lá, é aconselhável contratar um serviço de transporte que pode custar aproximadamente R$ 500 para um grupo entre 8 e 10  pessoas.

Antes de entrar no parque The Coloured Earth, na região de Chamarel, vale a pena fazer duas paradas no caminho. Numa delas ,há um mirante com a vista de boa parte da costa.Em outro ponto mais à frente, dentro da propriedade, os turistas podem observar uma queda d’água de 100 metros chamada Chamarel Falls. Para chegar perto do monumento natural, no entanto, é preciso se aventurar e atravessar o Black River Gorges National Park.

Quem aprecia bebidas destiladas deve visitar a fábrica de rum La Rhumiere de Chamarel. Lá, é possível conhecer todo o processo de fabricação desde o corte da cana, previsto para começar em setembro neste ano, até chegar às garrafas. A degustação é um atrativo à parte. Tem bebida com laranja, com limão e com coco para todos os gostos.

Lembranças


Em Port Louis, na capital das Ilhas Maurício, os visitantes podem conhecer um pouco mais da tradição e dos costumes do povo mauriciano no Mercado Central.  Apesar de ser uma ilha de 65km de extensão, o lugar tem grande variedade de frutas, legumes, chás e temperos — a influência da culinária asiática é bastante forte. Também há muito artesanato. Um conselho aos turistas: a regra é pechinchar. Vale tudo para conseguir um preço mais em conta na lembrança para os amigos.

 

 

Para saber mais

Dodô era presa fácil

A chegada dos europeus às Ilhas Maurício, a partir do século 16, contribuiu para a extinção do pássaro dodô, que vivia apenas na região. A espécie desapareceu no século 17 com a colonização, iniciada pelos holandeses. Os marinheiros desembarcavam na ilha e, com fome, se alimentavam do animal, que parecia um peru e pesava cerca de 20kg. Como ele não voava, era uma presa fácil. Os animais trazidos nas embarcações, como cachorros e gatos, também contribuíram para acabar com a espécie que hoje pode ser vista em fotografias, roupas e peças de artesanato. O dodô foi oficialmente declarado extinto em 1681. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.