COLÔMBIA

Medellín, onde você fica próximo à natureza visitando diversos parques

Considerada uma das cidades mais seguras do país, Medellín tem clima agradável durante todo o ano e uma grande quantidade de parques e museus. Vale a pena percorrer o Jardim Botânico, que conta com wi-fi público

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/07/2015 09:02 / atualizado em 29/07/2015 20:10

Guilherme Araújo , Especial para o Correio

Guilherme Araújo/Divulgação

Em Medellín, o casaco pode ser guardado na mala. A temperatura em todo o ano varia entre 27 ºC e 30 ºC. Rodeado por montanhas, o centro da cidade se diferencia pela arquitetura e urbanismo. O transporte público funciona e é interligado por ônibus, metrô e Metrocable: um teleférico passa por cima das comunidades e das florestas até chegar ao Parque Arvi, em Santa Elena — esse meio de transporte foi referência para o governo brasileiro construir o Teleférico do Alemão, no Rio de Janeiro.

No Parque Arvi, há uma reserva ambiental onde é possível fazer trilhas e andar de bicicleta. Aos domingos, é realizado um mercado agrícola, no qual é possível conseguir frutas, verduras e artesanatos produzidos pelos moradores da região.

Parques, bibliotecas, museus e espaços públicos com obras de Botero podem ser vistos na região. Destaca-se o Museu de Arte Moderna de Medellín, com 233 obras da pintora Débora Arango, protagonista da arte colombiana em meados do século 20.

O Parque Explora é um ótimo atrativo para as crianças e até mesmo para os adultos. No local, aprende-se sobre invenções que contribuíram para o desenvolvimento da humanidade. Também é possível visitar um planetário e um aquário, no qual se exibem aproximadamente 4.000 exemplares de 400 espécies que habitam as águas salgadas e doces da Colômbia.

Guilherme Araújo/Divulgação

O Jardim Botânico de Medellín, localizado ao lado do Parque Explora, também é um passeio interessante. Todo o local conta com wi-fi público, muitas árvores e arquitetura chamativa, como o Orquideorama José Jerónimo Triana, uma área de eventos, com 3.960 metros quadrados e que, claro, forma de orquídea.

Vida noturna
A vida noturna é agitada e conta com bons restaurantes e bares, além de casas que tocam salsa, reggaeton e música eletrônica, sempre lotadas pelos jovens da região. Vale a pena experimentar algumas das comidas típicas da cidade, geralmente feitas com milho, feijão, carnes e peixes. Um exemplo é o sancocho, uma sopa que leva frango, além de batata e banana-da-terra.

A 62 quilômetros de Medellín, há a pedra de El Peñol ou Pedra de Guatapé — uma rocha de 220 metros de altura, outro ponto turístico a ser visitado. Até o topo da rocha, o visitante precisa subir 649 degraus para contemplar uma vista panorâmica da represa El Peñor. É importante usar roupas leves e levar uma garrafinha de água durante a trajetória. Um mirante, lojas de artesanato e barraquinhas constam do topo da pedra.

Guilherme Araújo/Divulgação

Também encanta os turistas passear pelas casas e praças coloridas do povoado de Guatapé, a uma hora e meia de Medellín. O que chama a atenção nesse lugar são os rodapés das casas com vários desenhos. Alguns deles estão relacionados com a história do município, enquanto em outros são representados girassóis, paisagens e objetos da vida cotidiana, como os tradicionais buses escalera, os ônibus da região.

 

Segurança
A segurança de Medellín foi intensificada nos últimos anos. Foi lá que viveu Pablo Escobar, traficante que dominou a região. Hoje, a presença de policiais  é constante. Além disso, houve investimento em educação, com a construção de escolas e bibliotecas em áreas carentes. Medellín é considerado um dos lugares mais seguros da Colômbia.


Na água
Com um parque de areia, jardim zen e florestas, o Parque de Los Pies Descalzos é um dos pontos mais visitados de Medellín. Ele tem esse nome porque o terreno é plano e dispensa o uso de calçado. Durante o dia, os turistas encontram espetáculos públicos organizados na área central. A principal atração, no entanto, são as fontes de água. Crianças e adultos aproveitam os dias ensolarados para se refrescarem no local.


Botero
Um dos artistas mais conhecidos do Departamento da Antioquia, onde fica Medellín, é Fernando Botero. Para homenageá-lo, há uma praça com esculturas feitas por ele, chamada de Praça Botero, que fica no centro da cidade. São 23 trabalhos distribuídos em uma área de 7,5 mil metros quadrados.

 

No vilarejo de Santa Marta

 

Guilherme Araújo/Divulgação

Com características de cidade portuária, o vilarejo chamado Santa Marta é considerado um dos mais antigos da América Latina. As bolsas coloridas feitas à mão com lã e algodão em teares de madeira são o principal artesanato vendido pela população local. Deixar para comprar esse artigo em Santa Marta pode custar caro (cobram de 60 mil pesos a 80 mil pesos colombianos), sendo que, na feirinha ao redor da pedra de Guatapé, é possível comprá-los por 35 mil pesos colombianos.

No parque de Los Novios encontram-se restaurantes vegetarianos, mexicanos, hamburguerias, além de estabelecimentos com cartas que oferecem comida típica da região. Um café no Juan Valdez — cafeteria famosa e presente em boa parte da Colômbia —, após os pratos quentes, é indispensável, já que o país colombiano é conhecido por produzir um dos melhores cafés do mundo.

Roupas de banho e protetor solar são essenciais em Santa Marta, principalmente para desfrutar das praias da região. Mergulhar, praticar esportes de aventura e visitar praias onde a selva se mistura com o mar são atividades buscadas por turistas que visitam o lugar.

Destaca-se a praia Bahia Conha, onde é possível chegar de táxi pagando apenas 25 mil pesos colombianos (ida e volta) (cerca de R$ 30). Lugar para relaxar nas redes expostas pela praia e caminhar pela orla durante o pôr do sol.

Guilherme Araújo/Divulgação

Quem busca um pouco mais de aventura pode ir ao Parque Nacional Natural Tayrona, com mais de 12 mil hectares. Na calle 11 de Santa Marta — próximo a um mercado — é possível encontrar um ônibus que leva a esse paraíso por apenas 5 mil pesos colombianos. É necessário pagar US$ 66 mil pesos colombianos (R$ 56) para ingressar no parque.

Caminhada
Para apreciar as praias dessa reserva litorânea, as trilhas em meio à selva são essenciais. Da entrada do parque até as piscinas — um dos pontos turísticos dentro do local —, é necessário caminhar por, no mínimo, duas horas. Com mais 30 minutos de trilha, é possível presenciar a beleza da Praia Cañaveral.

O bilhete vale por três dias, o suficiente para visitar os principais pontos do parque, acampando ou dormindo em redes conforme o turista caminha. O encanto das praias e de todo o local chamam a atenção de curiosos e aventureiros, que encaram atravessar o parque em cinco dias, visitando La Ciudad Perdida.

Guilherme Araújo/Divulgação

De todos os pontos turísticos da Colômbia, o Parque Tayrona é um dos mais indicados por possuir uma das praias mais bonitas do caribe, além do contato com a população indígena.

 

Valderrama
Quem gosta de futebol não pode deixar Santa Marta sem tirar uma foto com a estátua de Carlos Valderrama, considerado um dos melhores jogadores de futebol da história colombiana. Pibe, como era conhecido, está imortalizado, com a camisa 10 da seleção nacional, na porta do Estádio Eduardo Santos.


Última morada
Para conferir um resumo da história do país, vale a pena visitar a quinta de San Pedro Alejandrino, a fazenda onde morreu Simón Bolívar, em 17 de dezembro de 1830. Esse lugar, que está cercado por árvores centenárias, conserva parte dos móveis da época e funciona como sede do Museu Bolivariano de Arte Contemporânea.
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.