Apertem o cinto, a mala sumiu! Saiba como evitar o extravio de bagagens

Seguro de bagagem é o terceiro mais utilizado por brasileiros em viagens nacionais e internacionais. Além da dor de cabeça, a perda pode representar gastos a mais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/08/2015 18:45 / atualizado em 19/08/2015 18:41

Rob Carr/AFP
 

 

Perder a bagagem é um dos temores mais frequentes da maioria dos viajantes e o terceiro motivo para a contratação dos seguros de viagem. O problema é certeza de dor de cabeça na viagem. Cada turista tem um truque para escapar do dissabor. O Turismo mostra como evitar e o que fazer se a mala se extraviou.

Estudo feito pela Mapfre Seguros revela que a compensação por danos, furtos ou extravios de bagagens e objetos pessoais corresponde a 5,3% dos contratos firmados por brasileiros em viagens. O levantamento, feito entre janeiro de 2014 e maio de 2015, mostra que a garantia é a terceira mais utilizada no país, superada apenas por assistência médica (81%) e odontológica (6,5%).

Segundo Panorama Abear 2014, publicação anual que apresenta os dados consolidados de quatro associações da organização, a cada 1.000 passageiros embarcados, 3,1 registraram ocorrências de extravio de bagagens no Brasil. Entre as causas mais comuns desse tipo de ocorrência estão as conexões entre vôos.

 

Com a troca de aeronaves, o usuário embarca em outro voo e a bagagem pode ser deixada para trás. O engano humano e furtos também figuram como duas das causas principais. Tanto funcionários das empresas podem se confundir na hora de colocar as bagagens nas esteiras, quanto outro passageiro pode pega-lá por engano.


Arquivo Pessoal


Longa espera

Zacarias Assunção, 54 anos, já visitou dezenas de cidades ao redor do mundo e relata que já está calejado quando o assunto é extravio de malas. “Sou uma pessoa muito prevenida. Costumo guardar ou tirar foto de todos os comprovantes de despesas”, relata. O empresário, que espera há 10 meses o reembolso de uma empresa aérea que perdeu suas malas, conta que se sente desprotegido quando as empresas não conseguem evitar a perda. “Nós (com a família) tivemos algumas malas furtadas em Atlanta. Eles disseram que não podiam fazer nada e só mandaram a gente abrir um processo. É uma sensação muito ruim”, lamenta.

Como evitar
Segundo informações da Anac, no ano passado, mais de 3.900 manifestações relacionadas a danos em bagagens foram registradas no órgão. Para evitar que em 2015 você seja um dos usuários a abrir uma reclamação, tome alguns cuidados simples para evitar que sua mala seja extraviada, arrombada ou furtada. Confira:

 

» Identifique sua mala com etiquetas e adesivos;

 

» Dê preferência a bagagens simples, que não chamem atenção por serem de grifes;

 

» Opte por viagens sem escalas. Como mencionado anteriormente, quanto maior o número de conexões, maior a chance de uma mala se perder;

 

» Carteiras, celulares, joias, cartões, cheques, tablets e outros dispositivos eletrônicos pequenos devem ser transportados, de preferência, nas bagagens de mão;

 

» Bagagens trancadas com cadeado são mais fáceis de serem abertas. Utilize lacres de bagagem ou plásticos do tipo “protect bag”.

 

 

Extravio

Sua mala não apareceu na esteira do aeroporto? Calma! O Turismo dá algumas informações sobre o que fazer.

 

Informe à companhia responsável
Assim que perceber que a sua mala não passou pela esteira, procure um funcionário da companhia e informe-o sobre o possível desaparecimento da sua bagagem. Provavelmente, ele o instruirá a preencher o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB), uma espécie de boletim de ocorrência para malas desaparecidas, onde o usuário fornecerá informações que ajudarão a operadora a identificar a mala. Lembre-se que, para registar um RIB, é necessário estar com o comprovante de despacho em mãos.

Registre ocorrência
Como as malas são responsabilidade da companhia aérea, você pode registrar queixa no escritório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), localizado dentro do aeroporto.  

Acompanhe
Deppois de preencher o RIB e registrar ocorrência nos órgãos responsáveis, é possível acompanhar se a mala foi encontrada ou não ligando para a agência responsável pela viagem. Algumas companhias aéreas, como a Lufthansa e a Varig, disponibilizam aos usuários a possibilidade de monitorar o andamento das buscas pelo site.

Aguarde
Após verificar que a empresa está mesmo procurando a sua bagagem, só lhe resta esperar. Em voos nacionais, a companhia aérea tem 30 dias para entregar a mala no endereço determinado pelo proprietário. Em voos internacionais, o período de espera é ainda menor: 21 dias. Ao fim do prazo limite, a empresa é obrigada a indenizar o proprietário.

Recebi minha mala
Verifique se nenhum dos seus pertences foi furtado ou se a bagagem apresenta danos. Se alguma das suspeitas se concretizar, informe a situação ao Atendimento ao Cliente da operadora de viagens, no prazo máximo de sete dias.

Não recebi minha mala
Quando a mala não é encontrada, as empresas aéreas oferecem indenização com base no peso da bagagem. A Convenção de Varsóvia, que firmou algumas regras relativas ao transporte aéreo, estabelece o limite de US$ 20 por quilo de mala, para voos internacionais. Para voos nacionais/domésticos, o pagamento limite é de R$ 4.200.

 

Com informações de Alef Calado

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.