BARBADOS

Conheça a cultura de Barbados e apaixone-se pelo jeito "bajan" de ser

O que a ilha caribenha tem de melhor não se resume a praias. Festivais, gastronomia e polos de compras atraem visitantes durante o ano todo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/09/2015 09:00 / atualizado em 03/09/2015 17:24

Barbados Tourism Marketing/Divulgação

Engana-se quem pensa que a ilha é mais uma no Caribe. Além de ter uma natureza exuberante, o país tem história e cultura imponentes. Descoberto pelos portugueses, o local, que tinha várias árvores cheias de cipós, que mais pareciam barbas, ganhou o nome de Barbados. Foi colonizado pelos ingleses e abrigou os exploradores do Velho Mundo por cerca de três séculos.

O dialeto local, que misturou o inglês ao creole, foi batizado de bajan. Hoje, o nome significa um estilo de vida, um modo de viver melhor. Para os nativos, o termo resume a importância que dão à existência e à forma como encaram as atividades e responsabilidades do dia a dia. Ser bajan é ser de Barbados.

Além de garantir dias de sol o ano inteiro, com localização privilegiada — Barbados é a ilha mais a oeste do Caribe e, assim como Aruba, Curaçao e Los Roques, está fora da rota dos furacões — , tem paisagens paradisíacas e atrações para todos os gostos: enquanto as crianças se divertem explorando a natureza, os pais podem relaxar e curtir as atividades dos resorts.

Os solteiros têm a opção de dançar nos clubes noturnos e degustar bebidas, como o rum mais antigo do mundo. O que não falta, em Barbados, são opções para agradar a qualquer tipo de viajante. A programação cultural da ilha é bastante agitada, atrativo para os que não se importam apenas com o bronzeado.

O Turismo selecionou os melhores eventos e atrações da ilha. Adicione ao roteiro:

 

Barbados Tourism Marketing/Divulgação

Barbados Holders Season

A festa aconteceu pela primeira vez em 1993 e é considerada o primeiro evento cultural do Caribe. Aclamado nacional e internacionalmente, o festival celebra a ópera, a música e o teatro. A produção é sempre de primeira qualidade —  por isso, plateias de todo o mundo são atraídas para lá, anualmente. St. James, condado de Barbados, é a casa do festival. O lugar representa a mistura de elementos culturais ingleses e barbadianos, e é perfeito para o teatro ao ar livre: as propriedades são amplas, repletas de árvores tropicais. Este ano, o Holders Season ocorreu em maio e contou com apresentações de magica e música clássica.

Barbados Tourism Marketing/Divulgação

Crop Over
Em 1780, Barbados era o maior produtor de açúcar do planeta. Em comemoração ao término das temporadas de colheita, os barbadianos sempre promoviam um grande festival, o chamado Crop Over. Em 1940, entretanto, a festividade foi extinta, pois o país perdeu o trono na indústria açucareira. Só em 1974 o Crop Over voltou a colorir a ilha com outros elementos da cultura local. Hoje, o evento atrai milhares de pessoas do mundo inteiro, graças à extravagância que inspira. Entre o final de julho e o início de agosto, os turistas podem curtir o “carnaval barbadiano” —  há quem diga que é quase idêntico ao brasileiro. Em vez do samba, os mais animados dançam ao som do Calypso, ritmo local.

Barbados Tourism Marketing/Divulgação

Holetown Festival
O festival acontece em homenagem à ocupação da ilha, que começou no condado de Holetown, em 1627. Hoje, as comemorações têm início na metade de fevereiro. Desfiles de moda, concursos de beleza, exposições, concertos, apresentações teatrais e desfiles de carros antigos são algumas das atrações. Um dos eventos mais populares do Holetown é o Police Tattoo, um show noturno ao ar livre com homens e mulheres da polícia de Barbados. Há apresentações com banda, tropa montada, unidade canina e motociclistas.

Barbados Tourism Marketing/Divulgação

Oistins Fish Fry
A importante feira de peixes no sul da ilha se transforma no point dos turistas nas noites de sexta e sábado. Há shows musicais que revivem os sucessos de Bob Marley e Jimmy Cliff, além de bandas de ska jamaicano, old country e western. Também é um bom lugar para comprar artesanato, mas, sem dúvidas, a atração principal é a comida. Peixes de toda variedade,  lagosta e frango são servidos de maneira informal. Quem for para lá em busca de luxo vai experimentar sabores inesquecíveis. Fritos ou grelhados, os peixes são feitos na hora.

Tempered Spirit/Reprodução

Destilaria Mount Gay
O período de navegações, no século 18, foi importante na história das destilarias de rum do Caribe. A capital de Barbados, Bridgetown, é um dos portos mais antigos da região e, durante anos, foi responsável por levar o sabor do rum barbadiano às taças e aos paladares do mundo inteiro. Na destilaria, os visitantes aprendem sobre a história da bebida, feita de maneira artesanal, e conhecem as etapas de produção. O Cocktail Tour custa 25 dólares por pessoa.

Bajan Reporter/Reprodução

Barbados Reggae Festival
O festival estreou em 2005, no Parque Nacional de Farley Hill, e cresce a cada ano com a presença de grandes nomes do reggae, tanto locais quanto internacionais, e espectadores apaixonados pelo ritmo. Os palcos do festival receberam, ao longo dos anos, grandes artistas, como Sizzla, Luciano, Admiral Tibbett, Buju Banton, Anthony B e Capleton. A festa, este ano, agitou Barbados entre 19 e 26 de abril.

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.