DIA DO TURISMO

Para ministro do turismo, mercado de viagens pode salvar o país na crise

Para comemorar o Dia Mundial do Turismo neste domingo, o MTur fez uma campanha que busca valorizar as viagens nacionais e mostrar o impacto econômico do setor no Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/09/2015 09:00 / atualizado em 25/09/2015 20:34

 AFP PHOTO/VANDERLEI ALMEIDA
 

Neste domingo (27/9), é comemorado o Dia Mundial do Turismo. Para comemorar a data, o Ministério do Turismo promoveu uma série de ações que visam mostrar qual é o impacto econômico do setor no país. A campanha conta com um vídeo educativo chamado "Brasil, o destino certo para o turista":

 

 

Segundo o World Travel & Tourism Council (WTTC), o Brasil representa, hoje, a 9ª maior economia turística do mundo. Por ano, o turismo movimenta, direta e indiretamente, 9,6% do Produto Interno Bruto (PIB), o que representa R$ 492 bilhões, de acordo com informações do MTur. São mais de 3 milhões de postos de trabalho em mais de 52 atividades, como hospedagem, alimentação, agentes de viagens, setor aéreo, entre outros.

 

Para o ministro Henrique Eduardo Alves, a melhor forma de comemorar a data é refletir sobre a importância do setor no Brasil. "Em momentos de crise, temos de buscar soluções novas para retomarmos o crescimento. O mercado de viagens pode ser a tábua de salvação para economias que passam por momentos difíceis", afirmou, em nota.

 

Na abertura da 43ª Abav Expo Internacional de Turismo, na última quinta-feira (24/9), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que o momento econômico difícil gera oportunidades para setores como o turismo. Ele também se mostrou favorável à facilitação de vistos aos turistas norte-americanos durante a Olimpíada: "em vez seis meses deveria ser um ano".

 

Com o dólar em alta, de fato, o interesse dos brasileiros por viagens nacionais aumentou. Uma pesquisa do MTur com a Fundação Getúlio Vargas realizado em agosto deste ano mostrou que 78% das pessoas que pretendem viajar nos próximos seis meses não devem sair da fronteira. No ano passado, esse número era de 73,6%. O Nordeste é a região favorita para visitar.

 

Agências de viagem

 

Uma das ações do ministério foi ressaltar a importância das agências de viagensna economia. Segundo o órgão, elas somam 18 mil unidades no país, sendo 80% micro e pequenas empresas que empregam 55 mil trabalhadores. Juntas, elas registram um faturamento anual de aproximadamente R$ 36 bilhões.

 

Um movimento crescente nas agências é a venda de passagens on-line. De acordo com o MTur, 42% dos negócios fechados na América Latina são no Brasil e isso representa cerca de R$ 13 bilhões.

 

Aviação civil

 

A melhora da malha aérea brasileira também foi destaque na campanha do Ministério do Turismo. O meio de transporte é o mais usado para viajar no país (com 57,5% da preferência), como mostra um levantamento do próprio órgão. A Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) coloca o Brasil como o terceiro mercado doméstico do mundo; a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirma que o número de viagens domésticas cresceu 48% no país de 2005 a 2014.

 

A Secretaria de Aviação Civil também forneceu dados otimistas: os aeroportos brasileiros tiveram um investimento de R$ 8 bilhões em infraestrutura entre 2012 e 2014 e agora têm capacidade para atender quase 300 milhões de pessoas por ano; em 2014, 127 milhões foram transportadas.

 

O resultado, segundo o órgão, é a maior satisfação dos passageiros. A nota de aprovação foi de 3,86 em 2013 para 4,09 em 2015 (as notas variam de 1 a 5). Para o futuro, estão previstos 270 aeroportos construídos ou reformados no interior do país, para atender o turismo regional - vai ficar mais fácil chegar a Jericoacoara, por exemplo.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.