CANCÚN

Do mar azul às baladas, conheça a porta de entrada do caribe mexicano

Reserve ao menos um dia para relaxar nas águas mornas e tranquilas das praias caribenhas e uma noite para ver os shows da famosa e divertida boate Coco Bongo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2015 14:18 / atualizado em 22/10/2015 14:19

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Não há dúvidas de que passear por locais próximos a Cancún, como os sítios arqueológicos de Tulum e Chichén-Itzá, deve estar no topo da lista de prioridades de qualquer visitante. Mas a cidade não é apenas uma porta de entrada para o estado de Quintana Roo. Fundada em 1970, a novata Cancún é, hoje, um dos principais mercados turísticos do México — apenas em 2014, recebeu 29 milhões de turistas estrangeiros, segundo o governo do país. Os motivos do sucesso são vários. Conheça alguns dos programas, que valem o seu tempo, e divirta-se.
Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Vá à praia, claro!
Pode parecer óbvio, mas, com tantas atrações na região, há quem acabe se esquecendo disso. Cancún faz parte do Caribe e tem 22km de praias lindíssimas, com águas de um azul muito intenso e, na sua maioria, ondas calmas, além da areia branca. Grande parte da costa é ocupada por resorts, então, o mais comum é que você fique na mais próxima de onde estiver hospedado. Mas, para quem não vai ficar em um desses resorts, também há as praias de acesso público, como a Tortugas.

Faça compras
Os amantes da praia e do contato com a natureza podem pular esse programa, mas se você é daquelas pessoas que não resistem a um shopping, Cancún também tem opções para esse público — e bem pertinho dos hotéis. O La Isla concentra um pouco de tudo: restaurantes, lojas de roupas e calçados e perfumes. A Luxury Avenue é o local das grifes e lojas mais refinadas. Mas se a intenção for comprar suvenires (o que vale mais a pena, principalmente com a atual cotação do dólar), vá ao Mercado 28, no centro da cidade.

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Desfrute a noite

Boa parte do público que frequenta Cancún tem espírito jovem, como a própria cidade. Portanto, aproveite, também, para ir a uma festa na cidade. Há várias boates e bares — um ao lado do outro, no centro, como o Señor Frog. Mas a mais famosa é, de longe, a Coco Bongo — local onde foi gravado o filme O Máscara, com Jim Carrey. O sucesso da casa, entretanto, não se deve só à aparição em um filme, e sim aos espetáculos que apresenta diariamente. Fenômenos da cultura pop, como Michael Jackson, Beyoncé, Madonna, Homem-Aranha e Batman viram grandes shows no palco. Claro que nem tudo são flores. Nos fins de semana, a Coco Bongo enche ao ponto de não ser possível andar lá dentro e o preço é um pouco salgado: a partir de US$ 65, com bebidas incluídas. A dica é comprar a entrada pela internet, por meio do chat do site (www.cocobongo.com.mx), pois as atendentes dão um pequeno desconto.


Conexão

Para quem está em Brasília, as duas maneiras mais rápidas de chegar em Cancún são por meio dos voos da American Airlines (com conexão em Miami) e da Copa (que para na Cidade do Panamá). Se você optar pela segunda, conheça um pouco da capital do belo país banhado pelo Caribe. Conhecer o Canal do Panamá é um clássico. Para quem quer fazer compras, o local mais próximo é o Metro Mall, mas o melhor é o Multiplaza. É recomendável ter mais de seis horas de intervalo entre os voos para sair do aeroporto.

 

Onde ficar

Paradisus Cancun Resort
www.melia.com
Boulevard Kukulcan, km 16.5
Tel.: (52) 998 8811100

Hotel Riu Cancun
www.riu.com
Boulevard Kukulkan, km 9
Tel.: 0800 892 3280

Hard Rock Hotel Cancun
www.hrhcancun.com
Boulevard Kukulkan, km 14.5
Tel.: (52) 998 881 3600

Oasis Cancun Hotel
www.oasiscancunresort.com
Boulevard Kukulkan, km 16.5
Tel.: 1 (888) 774 0040

 

O fantástico mundo do resort

 

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Boa parte do que faz de Cancún um lugar tão fantástico e querido por brasileiros, norte-americanos e diversos outros turistas é a hospedagem. Ao longo da praia, na Boulevard Kukulcán, há dezenas de resorts gigantescos, que oferecem muito mais que uma bela vista da janela. A maioria funciona no sistema all inclusive, em que comidas e bebidas estão liberadas, praticamente, o dia inteiro.


Um deles é o imenso hotel Paradisus Cancun — que também tem uma unidade em Playa Del Carmen. A inspiração mexicana começa pela arquitetura: são cinco torres em formato que lembra o das pirâmides maias (o modelo também é adotado por outros hotéis). Por dentro, plantas caem verticalmente do teto, como em muitos cenotes. O ambiente transpira luxo e oferece, basicamente, tudo o que você precisa. Lojas de souvenires, roupa de praia, joalherias, restaurantes, bares e um enorme SPA (o Yhi), que exala um agradável perfume por todo o hotel.

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Do lado de fora, as piscinas (com vista para o mar) contam com um movimentado bar molhado, uma pessoa que serve paella na hora do almoço e monitores que organizam jogos e outras atividades para crianças, adolescentes e adultos. Na praia, um DJ deixa o ambiente animado o dia todo e há várias camas na areia. Um convite para deitar-se e apreciar o mar — mas é preciso reservá-las.

Gastronomia

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Voltar de um resort all-inclusive com o mesmo peso que chegou é uma missão quase impossível. No Paradisus Cancun há 10 restaurantes (a maior parte incluída na diária) para escolher. Um deles é o Naos, que tem um gigantesco buffet com pratos da culinária internacional aberto o dia inteiro, do café da manhã (que vai dos usuais ovos mexidos ao feijão mexicano) até o jantar. Também é bom para matar a saudade de casa, pois a maioria das músicas tocadas são brasileiras.


Se você quer conhecer melhor a cozinha do país latino, há duas opções à la carte. Para comer tacos acompanhados de tequila, vá ao Blue Agave (que também é um bar). Lá, não é necessário fazer reserva, como nos demais. O outro é o Mole, que mistura um ambiente tradicional com a culinária de tendência contemporânea — ou seja, há muitos pratos típicos adaptados. Um deles é o ceviche de cogumelos, um achado para os vegetarianos. Mas fique de olho nas marcações do cardápio: pratos com um desenho de pimenta ao lado são realmente muito apimentados para o paladar brasileiro.


No Fuego, a inspiração latina é focada na cozinha peruana. Entre os pratos mais pedidos, estão alguns tipos de ceviche e a causa (uma espécie de purê de batata com recheio servido frio). Outras opções para comer, incluídas na diária, são o Bana (asiático), o Vento (mediterrâneo), o Market Grill (carnes e grelhados) e o La Perla (frutos do mar).

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Entre os restaurantes pagos, há um que todo apreciador da alta gastronomia deve conhecer: o Tempo. Os pratos são assinados pelo celebrado chef Martin Berasategui, que tem 11 restaurantes pelo mundo e sete estrelas Michelin. Mais que um jantar, o visitante terá uma experiência gastronômica. Com influência basca (a origem do cozinheiro), da culinária internacional e da cozinha molecular, a ideia é apreciar os sabores em diversos formatos e texturas diferentes. À primeira vista, os pratos são estranhos (têm mais cara de obra de arte do que de comida, a exemplo do arroz que parece uma escultura de isopor), mas basta experimentar para ter certeza de que são maravilhosos.


Avenue

Algumas observações: o Tempo funciona apenas para o jantar, tem um dress code mais exigente (homens não podem entrar de bermuda, por exemplo) e o local recebe apenas adultos. Para um restaurante de alto nível, os preços dos pratos são bastante acessíveis. O que encarece muito a conta é o vinho. O menu tem rótulos excelentes e o sommelier faz um trabalho interessante ao decantar o vinho para oxigenar a bebida, mas a garrafa mais barata custa muito mais que o prato mais caro do cardápio. Uma boa alternativa é pedir um dos refinados drinks de gim, que custam por volta de US$ 12. Destaque para o de açafrão.


Não deixe de visitar, também, os bares do estabelecimento. No Avenue, próximo ao lobby, há shows todas as noites e o mojito (vale ressaltar) é divino. O Coco’s vale pela paisagem, pois fica na beira da praia; no Toji, você encontra drinks de inspiração asiática; e se a preferência for pelo ambiente de uma boate mais sofisticada, vá ao Red Lounge.

 

Exclusividade

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Nada é tão bom que não possa melhorar. Mesmo dentro de um resort onde (quase) tudo está incluído, é possível ser ainda mais VIP. No caso do Paradisus, trata-se da torre cinco, a área que oferece o Royal Service. Entre os serviços incluídos para quem adquire esse pacote, estão concierges, que ajudam a fazer praticamente tudo — inclusive a arrumação da mala — , serviços de lavanderia, menu de travesseiros e entrega diária de jornais no quarto.


No centro do edifício há um buffet que funciona praticamente o dia todo. O hóspede que prefere um ambiente mais tranquilo pode tomar café da manhã por lá, mas o lugar é perfeito para fazer um lanche no fim da tarde. Queijos, patês, caviar e uma fonte de chocolate com morangos para mergulhar são algumas das opções. Excelentes vinhos e espumantes estão sempre disponíveis para acompanhar os aperitivos. No início da noite, há um show ao vivo (ópera, violino etc.).

Laísa Queiroz/CB/D.A Press

Outra opção de café da manhã para os clientes Royal Service é o restaurante La Palapa, que fica entre a piscina só para adultos e a praia. Destaque: peça um omelete de queijo camembert e uma porção de iogurte com granola para começar o dia. O restaurante também atende os hóspedes ao longo do dia na praia — até na beira do mar, há um espaço exclusivo para quem está na torre cinco. Alugue com antecedência uma tenda com cama ou pegue espreguiçadeiras na hora para passar o dia. Quando bater a fome, peça ao garçom uma porção de guacamole e cerveja Tecate para matar o calor.

 

 

A jornalista viajou a convite da Copa Airlines e do aradisus Cancún Resort

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.