SERVIÇO

Bem-vindo aos clubes de viagem! Para os organizados, pode ser uma boa opção

Planejar é a palavra de ordem quando o assunto é investir em viagens de lazer. Uma boa opção para quem é organizado é se associar a empresas que planejam viagens e oferecem hospedagens. Basta escolher a modalidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2015 10:00 / atualizado em 29/10/2015 16:49

Laisa Queiroz /

Paula Rafiza/Esp. CB/D.A Press

A ideia é a seguinte: você paga um valor mensal a uma empresa e, com isso, tem direito a algumas diárias em hotéis nacionais e estrangeiros por ano para usar nas férias. Há algumas décadas no mercado, os clubes de viagem ainda atraem o público brasileiro. Dependendo de onde você vai se hospedar, o custo, de fato, é menor do que comprar por conta. Mas quem são as pessoas que utilizam o serviço?


Para os mais jovens, especialmente quem não faz planejamento e opta por viagens espontâneas, ser um associado pode parecer um tanto conservador. Mas famílias com filhos e casais de idosos veem como uma mão na roda. Segundo o diretor de negócios da Bancorbrás, Reynaldo Miranda, a maior parte dos 124 mil clientes é justamente essa e tem mais de 40 anos. “Percebemos um ligeiro aumento na faixa de 25 a 40 anos, mas a maioria ainda é mais velha, pois, normalmente, é quem tem mais interesse em locais selecionados e confortáveis”, explica. Os clubes buscam oferecer variedade na localização e nos tipos de hospedagens: pousadas, hotéis de três a cinco estrelas e resorts all inclusive.


A publicitária Adriana Aguiar Coelho, 45, pertence a um clube de viagens há cinco anos e paga cerca de R$ 300 mensais para ter acesso a sete diárias para quatro adultos cada por ano. Para ela, que tem três filhas e gosta de viajar com a família, compensa. “Neste ano, fui com as meninas para um resort em Salvador. O estabelecimento era ótimo e lá as diárias são caras. Se fôssemos, todas nós, pagar por conta, no fim, sairia mais caro que as mensalidades”, opina.

Vantagens
A personal trainer Lígia Grassi, 34, também é uma associada e pensa que os clubes de viagens compensam para qualquer tipo de turista, desde que sejam pessoas organizadas. “Sempre que for viajar, você deve calcular para ver se naquele destino compensa mais utilizar os títulos.” Nas últimas férias que teve em família, Lígia, o marido e a filha foram para o Rio de Janeiro, Juiz de Fora, Fortaleza e Jericoacoara.


Após escolher os hotéis que ficariam, ela calculou que todas as diárias sairiam por R$ 9.375, se pagas a parte. As mensalidades clube, onde ela tem dois títulos, totalizando 14 diárias por ano, somam R$ 4.468 anuais (lembrando, esse valor é dividido em 12 vezes), o que gerou uma economia de R$ 4.907. “É uma diferença muito grande”, argumenta.
Para Adriana, uma das maiores vantagens é poder transferir os títulos de viagem a outras pessoas, especialmente familiares. Além disso, o fato de as diárias terem prazo de validade é um incentivo a viajar. “Às vezes, eu me forço a fazer uma viagem para não perder as diárias, o que é ótimo para espairecer em um fim de sema, por exemplo. E quando não dá mesmo, é possível trocá-las por passagens aéreas ou algo do tipo.”


A única experiência ruim de Adriana no clube nesse período foi com um hotel de Porto Seguro. “Pelas fotos, ele parecia novo e moderno. Chegando lá, descobri que era muito velho e não gostei. A partir daí, passei a pesquisar melhor os hotéis na internet, lendo sempre as críticas de quem já se hospedou. Nunca mais tive nenhum problema.” Ainda assim, a publicitária acredita que há mais prós do que contras. “Nas condições econômicas atuais é muito interessante, pois é uma forma de viajar mais barato.”

 

Parcelamento é a vantagem

Arquivo/Setur

A atual situação econômica do país fez com que viajar ficasse mais caro. Entretanto, isso não significou queda no número de pessoas interessadas em pertencer a um clube de viagens. Na Bancorbrás, por exemplo, a quantidade de clientes se manteve entre 2014 e 2015. O que mudou foi a escolha dos destinos, devido, especialmente, à alta do dólar. “A procura por hotéis no exterior diminuiu em quase 50%. Já a demanda interna aumentou na mesma proporção”, diz a gerente de Marketing da Montreal, Bibiana Azevedo Lima.


A alta temporada, inclusive, registrou mais reservas do que no ano passado na empresa, o que mostra que, mesmo em crise, os brasileiros querem viajar. “A maior vantagem dos clubes de viagem é o parcelamento. Em vez de pagar tudo de uma vez, os clientes têm os 12 meses do ano para pagar, aos poucos e sem pesar no bolso. Por isso, não somos tão atingidos”, acredita.


De qualquer forma, muitas empresas oferecem outros serviços, além do clube, para ter mais fontes de receita. No caso da Bancorbrás, há a agência de viagens, que vende passagens aéreas separadamente, e o seguro- viagem próprio. “Quem não é associado pode utilizar esses serviços. Mas o clube ainda é o serviço com o maior número de clientes”, defende Reynaldo. “E não é só a venda. Além de tudo isso, por meio dos nossos canais, as pessoas podem obter informações sobre hotéis e destinos.”

Reclamações
Existem muitos clubes de viagens e, para não cair em ciladas ou se envolver em um plano que não tem nada a ver com o seu perfil, o ideal é pesquisar muito antes de contratar. O diretor-geral do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-DF), Paulo Marcio Sampaio, orienta buscar referências com amigos e na internet. “Existe o Reclame Aqui, que é um site particular em que as pessoas fazem queixas das empresas, e o consumidor.gov, que é vinculado ao governo. Você procura o clube de viagens que pretende se associar e vê se ele já está cadastrado e quais são as reclamações.”


Para quem já contratou o serviço e está insatisfeito, Paulo recomenda ir até um dos postos do Procon (no DF, há 11), munido de toda a documentação necessária para provar o que está em desacordo. “Problemas com o contrato ou com propaganda enganosa são os principais”, declara. “Por isso, é importante guardar tudo, inclusive e-mails trocados e panfletos que prometem serviços que nem sempre são cumpridos. Além disso, fique atento a ofertas cujo preço está muito abaixo do praticado pelo mercado, pois isso não é um bom sinal”, finaliza.

 

Para usar e relaxar

» As férias são parceladas ao longo de todo o ano
» As empresas costumam fazer visitas periódicas aos hotéis credenciados para fiscalizar
» Para os clubes que possuem agências, normalmente as passagens aéreas saem com desconto para os clientes associados
» É possível utilizar as diárias todas de uma vez ou aos poucos
» É permitido transferir os títulos de hospedagem para outras pessoas
» É preciso fazer as reservas com pelo menos alguns dias de antecedência, especialmente na alta temporada
» As reservas podem ser feitas pela internet, por telefone ou pessoalmente
» Os clientes podem comprar mais de um título
» Dica de ouro: calcule. Multiplique o valor da sua mensalidade por 12 (meses do ano) e divida esse valor pela quantidade de diárias que seu plano permite. Você vai chegar ao valor médio de cada diária. Para quem viaja muito e não depende apenas do clube, o ideal é se hospedar como associado apenas em hotéis cuja diária for mais cara que o resultado dessa conta. Caso contrário, pague por conta

 

Fique atento

No Procon-DF, não existe um levantamento específico de reclamações sobre clubes de viagens, mas há um sobre agências e operadoras de viagens em geral, que inclui essas empresas. Até 21/10 deste ano, as principais queixas foram as seguintes:
» Cobrança indevida/abusiva — 171
» Desistência do serviço (artigo 49 — descumprimento) — 132
» Contrato/Rescisão/alteração unilateral — 108
» Dúvida sobre cobrança/valor/reajuste/contrato/orçamento — 73
» SAC/Cancelamento de serviço (retenção, demora, não envio do comprovante) — 57
» Serviço não fornecido (entrega/instalação/não cumprimento da oferta/
contrato) — 54
» SAC /Resolução de demandas (ausência de resposta, excesso de prazo, não suspensão imediata da cobrança) - 45
» TOI - Termo de Ocorrência de Irregularidade - 31
» Dano material/pessoal decorrente do serviço - 30
» Serviço em desacordo com norma/lei - 30

 

Escolha o seu

Bancorbrás
www.bancorbras.com.br - (61) 3314-1280
Adesão: R$ 440 para o executivo e R$ 600 para o superior (divididos em até 4 vezes)
Mensalidade dos planos: de R$ 156
(executivo duplo) a R$ 275 (superior triplo)

Banstur
www.banstur.com.br - (11) 3123-8003
Adesão: de R$ 120 a R$ 890
(dependendo do plano)
Mensalidade dos planos: de R$ 96 (bronze)
a R$ 121,80

Bom Tur
www.bomtur.com.br - (61) 3223-5160
Adesão: a partir de R$ 50
Mensalidade dos planos:  de R$ 25 (duas diárias ao ano) a R$ 750

Montreal Clube de Hospedagem
www.montrealonline.com.br - 0800 61 3311
Adesão: R$ 400 qualquer plano
Mensalidade dos planos: de R$ 66,54 (duplo de 3 diárias) a R$ 217,56 (executivo duplo de 7 diárias)

RDC
www.rdc-ferias.com.br (61) 3223-4845
Adesão: R$ 880
Mensalidade dos planos: R$ 178,90 (sete diária, apartamento triplo)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.