Publicidade

Estado de Minas HUNGRIA

Sugestões de passeios para o turista aproveitar os dois lados de Budapeste

De um lado, Buda. Do outro, Peste. Não dá para escolher. Há vários passeios imperdíveis, onde a história se funde com a beleza


postado em 24/03/2016 09:00 / atualizado em 23/03/2016 11:33

Parlamento húngaro

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Em Peste, na parte plana de Budapeste, o parlamento construído predominantemente em estilo neogótico com inúmeros e coloridos vitrais é um dos pontos altos da cidade e vale a visita. Suas dimensões impressionam e é o prédio mais alto da cidade: 268m de comprimento por 168m de largura. Inaugurado no fim do século 19 para abrigar o Legislativo, hoje é ocupado pela Assembleia Nacional. Diversas salas podem ser visitadas. Entre as mais procuradas, está a que guarda as joias da Coroa — de São Estevão e o Cetro Real.

 

Mercado Central

(foto: Javier Delgado/Flickr)
(foto: Javier Delgado/Flickr)

O Mercado Central de Budapeste pode ser comparado arquitetonicamente ao da cidade de São Paulo. A luz entra pelo teto de vidro criando uma atmosfera de um lugar aberto, ao ar livre. Turistas e moradores de Budapeste convivem fazendo refeições e compras. Chama a atenção os milhares de salames e embutidos de todos os tipos em exposição. É possível encontrar suvenires e lembranças feitas pelos artesãos locais. No segundo piso, encontra-se o restaurante Fakanal, que serve iguarias da culinária húngura, como o goulash e wiener schnitzel. Uma curiosidade sobre o local: o projeto arquitetônico foi criado pelo escritório de Gustave Eiffel, o mesmo da torre de Paris.

Águas termais da Hungria

(foto: www.abasheva-dina.ru/Reprodução)
(foto: www.abasheva-dina.ru/Reprodução)

Para quem andou o dia todo pela cidade, uma boa pedida é fazer uma sauna ou tomar um banho termal para relaxar. Budapeste é repleta de parques com águas termais, saunas e banho públicos. Em Széchenyi (www.szechenybath.com), parque mantido pelo governo com preço acessível, é possível usufruir de uma piscina térmica ao ar livre, saunas seca e a vapor e diversos tipos de banhos com as famosas águas termais da região.

Parque Equestre Lazar

(foto: www.lazarlovaspark.hu/Reprodução)
(foto: www.lazarlovaspark.hu/Reprodução)

Para quem quer conhecer o interior da Hungria, o Parque Equestre Lazar, situado a leste de Budapeste, no Vale Domonyvölgy, é uma boa pedida. Ao chegar, o turista é recebido com as tradições e iguarias húngaras: um bolo salgado chamado “pogácsa” e com a aguardente de fruta, a famosa “pálinka”. É possível visitar estábulos com os cavalos, alguns campeões mundiais, e o pequeno museu dos irmãos Lázár, assim como o minizoo com animais de antigas raças húngaras. Cavalos de extrema beleza e muitas habilidades podem ser admirados durante o espetáculo equestre apresentado pelos guardadores de cavalos em traje tradicional. No parque, é servido o típico almoço húngaro de três pratos (incluindo vinho e café) no restaurante csárda e acompanhado com música cigana.

 

Bairro Judeu

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

A história e pontos importantes da cultura judaica podem ser apreciados e conhecidos no bairro, como a Grande Sinagoga, a segunda maior do mundo, o Museu Judaico e o Memorial do Holocausto. Recentemente, no início dos anos 2000, vários prédios ameaçados no antigo gueto foram ocupados por jovens e o bairro ganhou os “cafés-ruínas”, pubs surgidos como intervenção artística e gastronômica para impedir as demolições. Predomina a informalidade. Na Praça da Liberdade, um monumento é um dos símbolos da resistência ao nazismo. Não deixe de visitar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade