MERGULHO

Aventura nas profundezas das águas doces e salgadas brasileiras

Conheça alguns locais ideais para explorar o fundo das águas no Brasil e os cuidados ao praticar a modalidade em segurança

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/03/2016 09:00 / atualizado em 08/04/2016 14:42

Álef Calado/Esp. CB/D.A Press

Procurando belas paisagens, contato com a natureza e muita tranquilidade? Que tal se aventurar nas profundezas de águas doces e salgadas? Cada vez mais comum entre os brasileiros e muito praticado ao redor do mundo, o mergulho relaxa e proporciona experiências únicas.

 

Bastante experiente, o mergulhador Clécio Mayrink, 42, garante que não é preciso nem saber nadar. “É extremamente seguro. Além do colete salva-vidas, que infla com o apertar de um botão, a roupa de neoprene ajuda a flutuar e, como não exige porte atlético, basta estar em boas condições de saúde para a realização da atividade”, comenta.

 

A prática de mergulho é tão prazerosa que tem gente que passa a viver disso. É o caso de Jodir Júnior, 39. Após passar por um “batismo” em Porto de Galinhas (PE), durante uma viagem com a mulher, ele se interessou pelo mergulho e resolveu continuar praticando a modalidade. Ao voltar para Brasília, fez vários cursos, se especializou na área de segurança e decidiu abrir uma empresa de resgate. “Na época, era tudo meio arcaico ainda. Não existiam tantos profissionais e demorava de 3 a 4 anos para chegar ao nível de instrutor. Hoje, a capital é referência internacional no mergulho de treinamento e o processo é bem mais simples. Em apenas seis meses, o graduado já consegue licença para ensinar”, diz.

 

Arquivo Pessoal

Dez anos e centenas de mergulhos depois, a Resgate Fênix, empresa de Jodir, forneceu treinamento para instituições de segurança, como o Corpo de Bombeiros de Goiás, e já resgatou de câmeras GoPro pequenas embarcações e veículos. Há também situações curiosas. “Recebemos uma ligação, há um tempo atrás, de um rapaz que estava dando uma festinha em um barco no Pontão do Lago Sul e deixou a aliança cair na água. Como a profundidade naquela área é mínima, começamos a escanear o fundo e, umas duas horas depois, localizamos um objeto que brilhava ao ser atingido pela luz do Sol. Para a nossa sorte, e a do rapaz, era a aliança”, relembra.

 

Sem espaço para erro

Muita gente mergulha no Lago Paranoá. Se você quiser se aventurar, fique atento a algumas regras de prevenção. “A primeira providência é procurar um curso de mergulho. Apesar de raros acidentes, o mergulho recreativo oferece riscos que podem ser facilmente evitados com o treinamento adequado. O material também precisa estar com a manutenção em dia e ter sido revisado por um especialista. A maioria das escolas e operadoras tem técnicos para fazer esse serviço e orientar os alunos”, alerta Clécio Mayrink.

 

O profissional adverte ainda para a importância da parada de segurança. “Sob pressão, o nitrogênio acaba sendo armazenado nos tecidos do corpo humano em forma de micro-bolhas. Quando o mergulhador começa a subir para a superfície, essas bolhas vão parar na corrente sanguínea e aumentam de tamanho conforme a pressão externa vai diminuindo. A parada de segurança é quando o mergulhador se mantém, por um tempo, entre 3 a 4,5 metros de profundidade, antes de emergir, para permitir que as bolhas saturadas de nitrogênio sejam liberadas pelos pulmões por meio da corrente sanguínea.”

 

Arquivo Pessoal

A estudante Karolinna Koppe, 17 anos, já mergulhou em Cancún e, de quebra, interagiu com golfinhos e tubarões. Para ela, uma experiência única. “Os golfinhos ficavam em um cercado com telas de proteção, para separá-los do mar. São superdóceis e interagimos de verdade com eles. Já com os tubarões, a gente foi para uma ilha próxima ao hotel e entrou nos aquários onde eles estavam. No início, fiquei bem assustada, mas não com muito medo”, diz.

 

» Iniciação
No batismo, o instrutor coloca todo o equipamento no aluno e o “joga” na água. É feito a uma profundidade máxima de até 12 metros. Apesar de ser costume no litoral brasileiro, Jodir não aconselha a prática por não oferecer tanta segurança.

 

» Cenários ideais

Para quem já fez o curso e está se programando para cair na água, o Turismo mostra onde mergulhar é uma experiência inesquecível. Confira:

 

Abrolhos (BA)

Bruno Oliveira/Flickr

Localizado a aproximadamente 75km da costa do extremo sul da Bahia, o Parque Nacional de Abrolhos é uma das áreas mais biodiversidade no litoral brasileiro. A temperatura da água beira os 20°C e a visibilidade pode chegar aos 30 metros. Além de uma variedade de espécies de peixes e corais, os mergulhadores podem apreciar resquícios de naufrágios e, de julho a novembro, a presença de baleias jubarte, que usam a região como refúgio para reprodução.

 

Fernando de Noronha (PE)

Leo Macedo/Flickr

Considerado um dos melhores lugares no mundo para a prática do mergulho, o arquipélago de Fernando de Noronha conta com 21 ilhas, 15 variedades de corais e aproximadamente 210 espécies de animais marinhos. A visibilidade em baixo d’água chega aos 50 metros e os mergulhadores mais experientes podem explorar embarcações naufragadas, como a Corveta Ipiranga, que afundou após se chocar contra uma rocha, no lago da Ponta da Sapata.

 

Bonito (MS)

Gabriel Onetta/Flickr

Os rios de águas cristalinas, a grande variedade de peixes e a vegetação aquática transformam esse pedaço do paraíso em um dos destinos imperdíveis para quem quer viver uma experiência única no mergulho. A presença de rios e lagos não tão profundos faz com que o snorkeling, modalidade onde o atleta usa apenas máscara, nadadeiras e respirador, seja uma das mais praticadas no local.

 

Angra dos Reis (RJ)

Caravana de Aventura/Flickr

Temperaturas amenas, a água verdinha e os mais de 50 pontos para a prática do esporte transformam Angra dos Reis em um dos melhores lugares para quem não tem tanta experiência ou pretende começar a mergulhar. Garoupas (o peixe estampado na nota de R$ 100), estrelas-do-mar, caranguejos e golfinhos fazem parte da vida marinha do local. Embarcações naufragadas e cavernas oferecem o cenário ideal para quem procura um mergulho mais técnico.

 

Fique atento

Confira alguns cuidados antes de mergulhar:

» Verifique as condições meteorológicas e de marés antes da prática do mergulho. Existem diversos sites e ferramentas que podem antecipar correntes mais fortes ou situações climáticas adversas.

» Nunca mergulhe sozinho.

» Participantes de cursos ou de programas de experiência (batismo) devem estar sempre acompanhados de seus instrutores.

» Sempre utilize o equipamento de segurança obrigatório.

» Respeite o limite de segurança.

» Em situações adversas, mantenha sempre a calma e avise o parceiro.

» Pergunte se o mergulhador da operadora tem curso de primeiros-socorros.

» Mantenha-se em boa forma física.

» Tenha conhecimento sobre o equipamento que está utilizando.

 

» Aprenda e pratique

Mergulho e Cia

http://www.mergulhoecia.com.br/

 

Techdive

http://techdive.com.br/

 

Scuba Du

http://scubadu.com.br/scubadu/

 

Eco Divers

http://www.ecodivers.com.br/

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Clecio
Clecio - 14 de Outubro às 13:30
Lamentável postura do autor... cedemos a fotografia, e não colocam os créditos.