PARAÍBA

Aproveite o espetáculo do pôr do sol de João Pessoa ao som do saxofone

No fim do dia, é possível ouvir os acordes de uma das mais conhecidas melodias: o Bolero de Ravel. Do sax de Jurandy, saltam as notas que embalam o crepúsculo na Praia do Jacaré. O Sol se despede em tons de vermelho, laranja e amarelo, arrancando aplausos e lágrimas de emoção

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/06/2016 18:00 / atualizado em 08/06/2016 18:50

Márcia Delgado/CB/D.A Press

Há 16 anos ininterruptos, Jurandy do Sax é atração turística na Praia do Jacaré, em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa. Ele entrou para o Livro dos Recordes como a pessoa que mais executou o clássico Bolero, de Ravel, no saxofone. Ir a João Pessoa e não ver esse espetáculo brindado pelo pôr do sol é quase um pecado. Todo fim de tarde, o artista de cabelos longos amarrados com um rabo de cavalo, vestido de branco da cabeça aos pés, baixinho, barriga saliente e cheio de charme, surge em um pequeno barco e dá o seu show, até que o sol desapareça no horizonte. Você escolhe de onde quer se emocionar: de um dos quatro catamarãs que levam os turistas para um passeio pelo Rio Paraíba ou da margem. O importante é não perder o momento.

 

José Jurandy Félix, 60 anos, é o artista que encanta os visitantes. São mais de 5,6 mil apresentações na praia fluvial, que não tem bicho jacaré. E sem folga. Para ele, cada dia proporciona uma nova sensação. “A emoção está sempre presente e é ela que nos dá força para continuar”, diz. Paraibano, nascido em Água Branca (mas criado em Livramento — ele faz questão de dizer), ao fim do espetáculo, Jurandy sobe em um dos catamarãs e toca outros clássicos, para o delírio dos turistas. Mais flashes, muitos aplausos, autógrafos e, depois, o artista deixa o local. No outro dia, ele volta. Jurandy não pensa em parar. A plateia agradece.

 

Márcia Delgado/CB/D.A Press

Há 23 anos, ele tocou o Bolero pela primeira vez na Praia do Jacaré, para divulgar o disco que abriu as portas para sua carreira musical. Fez tanto sucesso que passou a se apresentar diariamente, no mesmo lugar, desde 2000. Mas o espetáculo mais festejado mesmo na Jacaré é o Sol, que, ao se pôr, colore o céu em tons de vermelho, alaranjado e amarelo. Aplausos efusivos, reverências e homenagens.

 

Para ver toda essa beleza, é importante chegar à praia pouco antes das 16h. Os catamarãs se deslocam a partir desse horário. Em 1h20min de passeio, os turistas se divertem nos barcos ao som de muito forró. Quem quiser pode dançar, inclusive, com personagens vestidos a caráter, como Lampião e Maria Bonita. É uma festa só.

 

Ao descer do barco, se renda ao passeio pela feirinha de artesanato às margens do Rio Paraíba para conhecer os produtos locais. Reserve um dinheiro porque, certamente, você vai querer levar uma lembrancinha para casa. No ano passado, por decisão judicial, os bares que estavam instalados no local tiveram que fechar as portas, por estarem em uma área ambiental. Nada que atrapalhe o espetáculo diário do pôr do sol mais sedutor da Paraíba.

 

Extremo das Américas

Márcia Delgado/CB/D.A Press

João Pessoa tem o ponto oriental extremo das Américas, que fica na Praia da Ponta do Seixas. Lá, o Sol nasce primeiro. No alto de uma falésia gigante, está o Farol de Cabo Branco, que indica o marco. O lugar é ponto obrigatório para os turistas que vão à capital paraibana, cujos moradores se orgulham de dizer que a cidade é tranquila, sem trânsito caótico e muito acolhedora. “Aqui, dá para passear à noite na praia tranquilamente”, diz um guia turístico.

 

Não pense em subir de carro para conhecer o farol, que foi inaugurado em 1972 e tem o formato triangular, ao contrário dos demais espalhados Brasil afora. O design é uma alusão ao sisal, uma planta típica do semiárido. O acesso de automóvel ao monumento está restrito por conta da enorme falésia, que fica maior a cada dia. Depois do desmoronamento do muro de contenção, decidiu-se pelo impedimento.

 

Márcia Delgado/CB/D.A Press

Mas os turistas podem deixar o carro próximo e subir a pé, sem muito esforço. Além da vista deslumbrante do mar lá do alto, eles poderão tomar um sorvete de caipirinha. Essa delícia caseira é feita por Célia Costa, que está há 18 anos no mesmo lugar. Mas a sua invenção é mais recente — 10 anos. “Sorvete comum tem em todo lugar. Então, eu decidi fazer de caipirinha por causa da fartura de cana-de-açúcar na nossa região”, explica dona Célia, que não tira o sorriso do rosto e trabalha ao som de antigas músicas românticas.

 

Imperdível

» Praia do Jacaré

Onde fica: em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa

Como chegar: seguir pela BR-230. A distância da Praia de Tambaú, uma das mais famosas de João Pessoa, é de 14km. Caso não tenha um carro, o visitante poderá pegar um ônibus e ir até o Bessa. Lá, existem ônibus que vão direto para a Praia do Jacaré. Algumas empresas, como a Luck, cobram R$ 40 do centro histórico de João Pessoa até o local do show.
Informações com Maurício Martins: (83) 9638-3775
Preço do passeio pelo Rio Paraíba: R$ 35
Não esqueça: leve um celular (com bateria carregada, de preferência) ou uma máquina fotográfica para registrar o espetáculo. É inesquecível.

 

» Praia de Cabo Branco
Não deixe de conhecer. É uma das mais badaladas e fica em João Pessoa. Também aproveite para saborear delícias nordestinas no Restaurante Mangai. Você vai se perder diante da comida farta, saborosa e variada. Sem falar nas sobremesas, principalmente as regionais. Fica na Avenida Edson Ramalho, 696. O telefone de contato é (83) 3226-1615

 

Fique atento

» Como chegar: siga sempre direto pela Avenida Cabo Branco, suba a ladeira, passe pela Estação Ciência, Cultura e Arte. É fácil avistar o farol

 

» Não é preciso pagar para ter acesso ao farol

 

» Mas separe ao menos R$ 5 para tomar um sorvete de caipirinha, com direito a chorinho de cachaça por cima. A aguardente não deixa um gosto muito marcante, não se preocupe

 

» Aproveite a visita ao farol para tirar uma foto com personagens caracterizados de Lampião e Maria Bonita — casal famoso em todo o Brasil, que virou até série de tevê — que ficam no local para receber os turistas.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.