PARÁ

Roteiro de 24 horas inclui as atrações mais interessantes de Santarém

Programe um passeio enxuto, porém rico, e conheça a cidade paraense a fundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/06/2016 08:00 / atualizado em 29/06/2016 15:30

Paulino Menezes/MTur
 

Para explorar lugares que contam a história da cidade, a dica é reservar um dia inteiro. Apesar de ostentar 355 anos de história, Santarém coleciona poucas construções originais da época de sua fundação (1661). Os prédios antigos ficam espalhados pelo centro e à beira-rio, mas, com um pouco de disposição, é possível fazer tudo a pé.

Comece pela Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no centro da cidade, logo pela manhã. No interior do templo, é fácil identificar a mistura de referências de várias escolas artísticas na decoração. A miscelânea tem razão de ser: a igreja é do período de transição entre os séculos 17 e 18. No altar, destaque para uma estátua de Jesus Cristo crucificado olhando para o céu, e não para baixo — representação incomum da cena bíblica.


Paulino Menezes/MTur


Ao lado do templo, o Museu de Arte Sacra oferece uma expedição pelos primórdios da colonização da Amazônia, liderada por missões da Comunidade de Jesus, formada por padres jesuítas — alemães, principalmente. Apesar do nome, o acervo reúne elementos não religiosos, como fotografias antigas da cidade e de comunidades tradicionais. O museu é ideal para aprender sobre as missões religiosas na Amazônia e como viviam os primeiros padres e freiras estrangeiros a ocupar a região.

Arte e cultura

Paulino Menezes/MTur

Reserve o período da tarde para conhecer o Centro Cultural João Fona, no centro. Inaugurado em 1868 para abrigar a Câmara Municipal de Santarém, o prédio teve múltiplas caras ao longo do tempo: funcionou como fórum, presídio, prefeitura, Câmara Municipal e, por fim, foi transformado em museu. A construção erguida no estilo colonial reúne acervo com cerâmicas arqueológicas — herança dos povos primitivos que habitaram a região do Rio Tapajós — além de móveis e documentos da década de 1920.

Salas do edifício recebem, ainda hoje, reuniões e eventos da Prefeitura Municipal. Ao visitar o local, solicite um guia, pois os objetos expostos não têm etiqueta com informações adicionais. Ao lado da construção, faça uma pausa na Praça Barão de Santarém, que conta com uma réplica gigante de uma das cerâmicas expostas no museu.

Para garantir lembrancinhas da viagem, vá ao centro de artesanato Cristo Rei, no bairro de Santa Clara. O espaço apresenta peças artesanais de toda a região, inclusive de comunidades ribeirinhas. As peças costumam ser mais baratas que no local de origem. Cestarias, cuias, doces, licores, cachaças, bijuterias, arranjos de plantas e muiraquitãs — amuletos da sorte — são algumas das opções.

 

» Programe-se


Igreja de Nossa Senhora da Conceição
Quando ir: o dia inteiro
Preço: Gratuito

Museu de Arte Sacra
Quando ir: de terça a sábado
Horário: das 8h às 11h30
Preço: R$ 5

Centro Cultural João Fona
Quando ir: 
de segunda a sexta
Horário:
 das 8h às 18h
Preço:
 Entrada gratuita

Cristo Rei — Centro de Artesanato do Tapajós
Quando ir: 
de segunda a sábado
Horário: das 8h às 19h
Preço: Entrada gratuita

 

(Viagem a convite do Ministério do Turismo) 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.