REGIÃO DOS LAGOS

Com tantos lugares encantadores, fica difícil ir embora de Cabo Frio

Outras três paradas obrigatórias em Cabo Frio: a Ilha do Japonês, o Museu do Surfe e o Dormitório das Garças pássaro que proporciona um show à parte, ao entardecer

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/08/2016 09:00 / atualizado em 10/08/2016 16:12

Rita Pontes/Flickr

No verão, as águas próximas à Ilha do Japonês, em Cabo Frio, ficam tão claras que tornam a tarefa de ir embora quase impossível. Por isso, tanta gente estica a passagem pelo local para apreciar o pôr do sol. A tranquilidade do lugar é um grande atrativo, porém os mais aventureiros também têm vez. É possível fazer trilhas a pé ou de bicicleta até a Praia do Peró, por exemplo. Há duas opções para se chegar: de aquatáxi, saindo do Bairro da Passagem, ou de carro até o Bairro da Ogiva, onde é preciso estacionar e continuar o caminho a pé.

 

Iana Caramori/CB/D.A Press

 

Outra parada obrigatória: o Museu do Surfe, único no Brasil, fundado pelo carioca Telmo Moraes há mais de 20 anos. No acervo, estão pranchas de várias partes do mundo. Todas têm uma história especial e Telmo garante se lembrar de cada uma delas. O surfista conta que costuma fazer trocas nas areias. “Pergunto para os surfistas se eles querem me dar aquela prancha em troca de uma nova. Muitos deles acabam trocando”, diz. Outras são relíquias de grandes lendas do surfe brasileiro e internacional. O museu abre diariamente, das 10h às 22h. A entrada custa R$ 10. Fica no Shopping Park Lagos, na Avenida Henrique Terra, 1700, Portinho.

 

Iana Caramori/CB/D.A Press

Quando o fim de tarde chegar, siga para o Dormitório das Garças, uma unidade de conservação ambiental do município de Cabo Frio. Além de ter um lindo pôr do sol, o local abriga uma população de mais de mil pássaros, que retornam quando a noite se aproxima. Outras espécies de aves habitam a região. No caminho até o dormitório, localizado na Lagoa Araruama, observe a estátua do Anjo Caído. O monumento foi erguido em 1907 para marcar a abertura do canal artificial, feito para facilitar o escoamento da produção de sal.

 

» Onde se hospedar
Pousada Mar-Ilha
Informações: (22) 2648-3300

 

Hotel Solar do Arco
Informações: (22) 2645-4527

 

Hotel Residencial Portoveleiro
Informações: (22) 2647-3081


» Onde comer
Delírio’s
Informações: (22) 2644-1718

Onde fica: Av. dos Marimbás, 45, Bairro Ogiva

 

Hippocampus
Informações: (22) 2645-5757
Onde fica: Rua Marechal Floriano, 155, Centro

 

Picolino
Informações: (22) 2647-6222

Onde fica: Rua Marechal Floriano, 139, Centro

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Miguel
Miguel - 11 de Agosto às 17:29
Ligar maravilhoso...não visito a muitos anos...