AVENTURA

Visuais únicos transformam o salto de paraquedas em um momento inesquecível

Com paisagens incríveis nos quatro cantos, o Brasil tem destinos muito disputados para a prática de paraquedismo. Conheça alguns deles - aqui e em outras partes do mundo - e o relato de quem viveu essa experiência e pensa em repetir a dose

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/09/2016 09:00

Arquivo pessoal

A porta do avião abre. O coração bate a mil. O instrutor pergunta: “Está pronto?”. Logo depois, insiste: “É agora! Está pronto?”. Depois de fazer a última prece e respirar fundo, o aventureiro cai das nuvens, em queda livre. Depois de alguns segundos de pânico, finalmente ele relaxa e começa a aproveitar a experiência única. Essa é a sensação de quem pula de paraquedas pela primeira vez. Passado o medo de iniciante, alguns planejam o próximo salto.

 

O coordenador de manutenção elétrica Bruno Oliveira, 32 anos, já viveu essa aventura. “É um misto de adrenalina e emoção”, descreve. Ele aproveitou um curso de especialização que fez em São Paulo para passar em Boituva e pular de paraquedas. “Foi meio repentino. Eu e um amigo fomos em uma das escolas e, já que tinha espaço no avião, assinamos os termos de responsabilidade e resolvemos saltar”, relata. Bruno diz que não ficou nervoso e tem vontade de repetir a experiência. “Estou pensando em saltar de novo, mas, dessa vez, quero levar meus filhos.”

 

Arquivo pessoal

Antes de se mudar para os Estados Unidos, o universitário Arthur Eugênio, 20 anos, fez um salto em Anápolis, cidade goiana a 150km de Brasília. “Foi a melhor experiência da minha vida. A sensação é inexplicável. Se eu tivesse dinheiro, com certeza, saltaria todos os fins de semana”, conta. O estudante gostou tanto que marcou um salto na terra do Tio Sam, em junho. “Estou só esperando o inverno acabar, porque não deve ser nada bom pular no frio”, brinca.

 

Especialização

Arthur está tão entusiasmado que planeja tirar a permissão para voar sozinho. E quer se especializar na metodologia AFF (Accelerated Free Fall), uma das mais avançadas. “Já que o paraquedismo segue regras internacionais, são praticamente as mesmas normas. A única diferença é que aqui (nos Estados Unidos) é preciso ter saltado pelo menos quatro vezes antes de começar as aulas, enquanto que no Brasil é necessário apenas uma”, compara.

 

Gabriel Oliveira, 30 anos, fundador da Zero Oeste Aventura, empresa de Brasília, diz que, dependendo da performance do aluno, é possível conseguir uma certificação em apenas um fim de semana. Quem quiser se aventurar terá que desembolsar R$ 6.375, por oito níveis (saltos). “Durante os três primeiros, o aluno é acompanhado por dois instrutores, que auxiliam nas principais manobras e nas regras de seguranças para uma experiência única de queda livre. Nos cinco seguintes, apenas um instrutor assume. Os saltos são feitos a 12 mil pés e duram aproximadamente 50 segundos de queda livre e cerca de 6 minutos de navegação. Um dos instrutores sempre chegará primeiro ao solo para auxiliar, via rádio, e observar todas as movimentações do voo”, afirma.

 

» Pratique
Zero Oeste Aventura


Mergulho no Céu


GYN Paraquedismo

Voe Goiás


SkyRadical

 

Cenários de tirar o fôlego

Fernando de Noronha (Pernambuco)

Zaira Matheus/Divulgação

Formado por 21 ilhas, o arquipélago de apenas 17 km2 esbanja belezas naturais. Uma das mais belas praias do Brasil e do mundo — a do Sancho — fica em Noronha. O paraíso é também ideal para quem quer praticar esportes radicais, como paraquedismo. Visto de cima, esse pedacinho de Pernambuco fica ainda mais encantador.

 

Oludeniz (Turquia)

DaniaDemirci/Flickr

Uma das praias mais bonitas da Europa, Oludeniz, na Turquia, encanta banhistas e praticantes de esportes radicais. O azul deslumbrante da água e as areias branquinhas do litoral transformam a região em um paraíso para o paraquedismo. A prática é famosa na região.

 

Ilha do Mel (Paraná)

Giovani Carneiro/Flickr

Aventura é o que não falta na Ilha do Mel, na Baía do Paranaguá, no Paraná. É preciso pegar um barco para chegar à península. Com vegetação de Mata Atlântica, a ilha tem 35 quilômetros de praia, belezas que a transformam em um local onde a prática de paraquedismo é inesquecível.

 

Plettenberg Bay (África do Sul)

Rckr88/Flickr

A beleza das praias, a floresta densa e os rios de águas cristalinas de Plettenberg Bay, na parte ocidental da Província do Cabo, chamam a atenção de visitantes do mundo inteiro. A combinação entre modernidade, natureza e muita aventura são alguns dos pontos fortes do local.

 

Rio de Janeiro

Diego dos Santos/Reprodução

Os amantes da prática de paraquedismo podem buscar dois destinos: Resende e Saquarema. O primeiro fica a apenas 150km do Rio de Janeiro e tem um aeródromo considerado o maior do estado. Já na região dos lagos, em Saquarema, o visitante também pode liberar adrenalina em um salto de paraquedas. E ainda com direito a vídeos e fotos, se preferir.

 

Boiatuva (São Paulo)

Boiatuva Paraquedismo/Flickr

E que tal fazer um voo panorâmico por Boiatuva, na região metropolitana de Sorocaba? Localizada a 120km da capital paulista, a cidade é point de paraquedistas, muitos deles famosos. Os saltos acontecem durante todo o dia — das 7h às 20h — e custam a partir de R$ 250 (salto duplo com instrutor). Antes de ir embora, faça um piquenique em algum dos parques da cidade para compartilhar as sensações experimentadas.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.