SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

CONSUMIDOR

Quer comprar passagens mais baratas? Veja dicas de economia sem truques

Quem compra o bilhete aéreo com 56 dias de antecedência da data do embarque consegue uma passagem 28% mais barata. Veja dicas para economizar no trajeto e guarde dinheiro para usar durante o passeio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/11/2016 09:00 / atualizado em 09/11/2016 13:04

Rafaella Panceri - Especial para o Correio

Ed Alves/CB/D.A Press

Vício em viajar tem nome: ecdemomania. Quem fica inquieto para acessar a internet assim que ouve falar de uma promoção de passagens aéreas sabe como é ter o desejo incontrolável de estar longe de casa pulsando dentro do peito. Se você é um viajante frequente, deve saber quais são os truques para gastar menos. Afinal, em tempos de crise econômica, os bilhetes ficam mais caros — em 2015, a alta foi de 4,2%, segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

 

O aumento dos preços foi crucial para que a demanda por bilhetes aéreos nacionais e internacionais diminuísse. De janeiro a agosto deste ano, o número de passageiros transportados caiu 8,2% em relação ao mesmo período de 2015. Os indicativos negativos divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) podem ser um sinal de que os viajantes estejam com dificuldades para comprar passagens compatíveis com um orçamento mais enxuto. Ainda assim, quem tem viagens como prioridade pode continuar fazendo o que gosta seguindo dicas simples.

 

Comprar com antecedência é o primeiro mandamento para economizar. Mas quantos dias são necessários? Cinquenta e seis, segundo a Momondo, buscador de passagens e reservas de hotéis. Nesse intervalo, os viajantes podem economizar até 28% do valor total da compra. O estudo contém a análise de 13,2 bilhões de preços de voos referentes às 100 rotas mais populares entre os usuários do buscador.

 

REUTERS/Guillermo Granja

Do sonho à realidade

Os dados dos últimos dois anos mostravam que passagens mais baratas eram encontradas com 56 dias de antecedência. “Isso significa que, para conseguir melhores ofertas, os consumidores devem planejar viagens com maior antecedência do que no passado. Sabemos que um em cada quatro brasileiros considera importante poupar para adquirir passagens aéreas. Para isso, é fundamental planejar e pesquisar”, considera o representante da Momondo no Brasil Pedro Correia.

 

Pensar no passeio com antecedência deixa as datas comemorativas e as férias escolares com um gostinho especial. Não precisa ser rico para conseguir concretizar a viagem dos sonhos. É só se organizar. Os dados mais recentes da Sondagem do Consumidor — Intenção de Viagem, realizada com mais de 2 mil famílias em sete capitais brasileiras pelo Ministério do Turismo (MTur), mostram que o percentual de brasileiros dispostos a viajar nos próximos 90 dias cresceu 3,9% no último mês. Entre os entrevistados, a maioria tem rendimento familiar de até R$ 2.100. Quarenta por cento desses participantes deverão utilizar o avião nas próximas viagens: um crescimento de 7,7 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2015.

 

Se você faz parte do grupo de brasileiros que planeja viajar nos próximos três meses — seja para comemorar as festas de fim de ano ou o carnaval fora de casa, seja pelo simples gostinho de conhecer lugares novos — veja as dicas da especialista em direito do turismo, Luciana Atheniense,  e saiba como economizar nas passagens para gastar com experiências inesquecíveis:

 

Dez mandamentos do preço baixo

1. Compre com antecedência
Os preços tendem a aumentar à medida que a data do voo se aproxima. O ideal é planejar a viagem alguns meses antes.

2. Baixa ou média temporada
Opte por elas. Comprar passagens para as altas temporadas custa bem mais caro. Lembre-se: no geral, as datas das altas temporadas tendem a ser nas férias escolares.

3. Fique de olho nos dias e horários
Vários sites de viagem pesquisaram e concluíram que viajar na 
terça-feira é mais barato. As companhias tendem a dar desconto em horários menos solicitados, como os que partem entre 10h e 16h e entre 0h e 5h.

4. Use sites comparativos de preço
Se você tem tempo, pesquise voos nos sites Kayak, Skyscanner, Farecompare, Decolar.com e similares. Vale a pena porque algumas companhias aéreas costumam criar promoções diferentes para cada um. Para ter uma noção geral de variações nos preços, consulte o Google Voos.

5. Busque rotas alternativas
Caso não encontre uma oferta para o destino desejado, utilize uma rota alternativa. Se o seu destino for São Paulo, por exemplo, voe para Campinas e depois pegue um ônibus. Pode sair mais barato do que viajar direto para o aeroporto de Congonhas.

6. Inscreva-se em programas de milhagens
Os programas de fidelidade são vantajosos para viajantes frequentes. As companhias aéreas costumam disponibilizar assentos excedentes para passageiros que utilizam milhas aéreas na hora da compra. Também há empresas que oferecem cartões de crédito vinculados à pontuação nos programas. A cada compra, o número de milhagem aumenta.

 

7. Assine os boletins informativos das companhias aéreas

Receber ofertas por e-mail pode ser um pouco irritante, mas isso permite saber de muitas promoções assim que elas ficam disponíveis.

 

8. Fique atento a promoções de último minuto
Algumas companhias realizam promoções relâmpago por causa de cancelamentos ou lugares vazios. Nesses casos, é preciso sorte!

 

9. Voos com conexão são mais baratos que voos diretos
Isso ocorre porque muitos viajantes que vão a trabalho não querem perder tempo com paradas. Sabendo disso, as companhias aéreas aumentam o preço das passagens. Por isso, se você não se importa, prefira voos com conexão

 

10. Voe com companhias de baixo custo
Elas operam voos de rápida duração e fazem sucesso na Europa e na Ásia. Com elas, você paga apenas o preço da passagem. Serviços de bordo são cobrados à parte. Fique atento às condições de uso e à quantidade de bagagem permitida.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade