MUNDO ILUMINADO

Fascinação por luz e chamas é demonstrada em festivais únicos

Lanternas, velas e projeções de vídeo ocupam céu e terra durante eventos que celebram arte e religião. Conheça tradições que marcam datas do ano ao redor do planeta, que se enche de luzes e de fogo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/12/2016 09:00 / atualizado em 01/12/2016 17:45

Lillian Suwanrumpha/AFP

Símbolo de regeneração e purificação, o fogo é um elemento sagrado para muitas culturas. Se, por um lado, tem poder de destruição, por outro, possibilita o renascimento em um nível superior. Quem não se lembra da fênix, figura da mitologia helênica que depende dele para ressurgir das cinzas e voltar para Heliópolis? Na Grécia, o expoente no assunto é Apolo, cujo correspondente em Roma é Vulcano. O elemento é utilizado há milênios para iluminar caminhos, preparar a comida, espantar animais e maus espíritos. No Brasil, a fogueira é a representante maior das festas de São João. Em locais frios, é adaptada em lareiras para aquecer os ambientes. Em tribos árabes, até as cinzas são valorizadas: os nativos espalham o pó pelo corpo para purificá-lo.

 

A fascinação humana pela luz e pelas chamas tem lugar em manifestações tradicionais que perduram por séculos. São os festivais de lanternas realizados na Ásia, replicados em versões americanas. Na Europa, a paixão é reinventada em grandes eventos — neles, o protagonismo é todo da arte e da tecnologia. Quem se interessa pelo assunto não pode perder os festivais mais iluminados da Terra. A maioria tem cunho religioso, mas há opções onde predominam influências artísticas e a luz vem de projetores de vídeo. Confira os selecionados pelo Turismo.

 

Yi Peng (Tailândia)

Original da cultura lanna, o festival de lanternas acontece no distrito de Mae Jo, cidade de Chiang Mai, em novembro — período que marca o fim da quaresma budista. Todos os anos, os participantes se reúnem no templo Lanna Dhutanka e soltam lanternas feitas de papel e madeira iluminadas pelo fogo em direção ao céu. Ao se despedir do objeto, é costume fazer um pedido para o novo ciclo que começará. Além dos milhares de pontos de luz no firmamento, a festa conta com fogos de artifício, carros decorados e apresentações de dança tradicional.

 

Loy Krathong (Laos)

Go4Travel/Picasa/Reprodução

A festa ocorre em outubro e homenageia o espírito das águas. O objetivo é dar adeus à má sorte e enviar presentes aos que já morreram. Em vez de lanternas, barquinhos feitos de folhas de bananeira são deixados nos rios. Cada um carrega uma vela e é ornamentado com flores. Aprecie o espetáculo a bordo de um cruzeiro (o mais famoso é o Nava Mekong) ou jante em um dos restaurantes da orla do Rio Mekong, na cidade de Luang Prabang. Não perca: cada vila das redondezas prepara um barco de papel grande, com muitas velas. Eles guiam procissões até o templo de Vat Xienthong. De lá, cada barco segue para o leito do rio Mekong. A festa também é tradição na Tailândia.

 

Festival of Lights (Alemanha)

Britta Pedersen/AFP

Projeções de obras de arte em monumentos, prédios e pontos de referência transformam Berlim todos os anos, em outubro, durante o Festival das Luzes. Artistas nacionais e internacionais apresentam instalações, contam histórias e apresentam sua cultura por meio da arte em vídeo. Este ano, 70 construções serviram de tela para os concorrentes do 2º Berlin Festival of Lights Awards. A Ucrânia levou a melhor no prêmio — iluminou a Torre de TV da cidade com o tema Arte e Natureza. Para explorar a capital de diferentes maneiras, a dica é procurar pelo LightSeeing Program, que reúne passeios de ônibus, de barco e a pé entre as atrações.

 

Fête des Lumiéres (França)

Philippe Desmazes/AFP - 6/12/13

Durante três noites de dezembro, a partir do dia oito, Lyon ganha instalações iluminadas em prédios, ruas, praças e parques. A vitrine a céu aberto revela talentos e atrai milhões de visitantes. Os moradores colocam velas protegidas por redomas de vidro no parapeito das janelas e em varandas e saem para as ruas em homenagem à Virgem Maria. A tradição começou em 1852, quando o mau tempo impediu a realização de uma festa em homenagem à estátua da santa no monte Fourvière. A ideia era comemorar durante o dia, mas já que tempo ficou firme à noite as pessoas usaram velas para iluminar as ruas.

 

The Lights Festival (Estados Unidos)

Ticket Spice/Reprodução

A versão americana do festival de lanternas dá destaque à música e ocorre em várias cidades do país — Los Angeles, Washington, San Diego, Chicago, Las Vegas e outras — de dezembro a março. Sem fins lucrativos, o evento conta com ajuda de voluntários e tem o objetivo de reunir famílias para aproveitar a tarde e o início da noite ao som de bandas locais, degustando comida boa. Cada participante recebe, na entrada, uma mochila com uma lanterna dentro. A contagem regressiva indica o momento de lançar as luzes ao céu. É hora de mentalizar os sonhos e deixá-los voar junto com o fogo, para que se realizem.

 

Yuan Xiao (China)

Nicky Loh/Reuters - 28/2/10

Também celebrado em Taiwan, começa no último dia do ano chinês — equivalente, no calendário gregoriano, a algum dia de janeiro, dependendo do ano. A tradição está consolidada desde a dinastia Han, que esteve no poder de 206 a.C. até 220 d.C., e é voltada à diversão. As pessoas saem de casa durante a noite (costuma ser de lua cheia), com lanternas de diversas cores, tamanhos e formatos.
Os objetos também são pendurados nas ruas, em lugares altos, para decorar. O barato é assistir às danças do dragão ou do leão, solucionar enigmas e jogar em grupo. A comida típica do período são bolinhos de farinha de arroz com recheio doce — os mais divertidos são decorados com a cara do urso panda. Programe-se: o próximo Yuan Xiao será em 17 de fevereiro.

 

Vivid Sydney (Austrália)

Saeed Khan/AFP - 27/5/16

União de luz, música e ideias, o festival é completo. Do ponto de vista industrial, é um importante fórum de criatividade. É palco de eventos sobre tecnologia, design, arquitetura e cultura start-up. A parte musical conta com excelentes shows de música contemporânea. A iluminação fecha a tríade do evento. Prepare-se para ver uma exposição pública de luzes ao ar livre, só que com dimensões faraônicas. Os principais pontos turísticos da cidade ficam ainda mais atraentes. De 26 de maio a 17 de junho do ano que vem, Sydney será o paraíso das esculturas de light art e ponto de encontro de artistas que gostam de inovar.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.