MINAS GERAIS

Perto da capital, Lapinha da Serra é um paraíso repleto de belezas naturais

Lugarejo mineiro a 772 quilômetros de Brasília reserva cachoeiras, grutas e sítios arqueológicos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Júlio Resende/CB/D.A Press

A pouco mais de 770 quilômetros da capital, a pequenina Lapinha da Serra guarda os valores de educação e hospitalidade tipicamente mineiras. Mas a população, de cerca de 300 habitantes, exige que alguns costumes relacionados à tranquilidade e à manutenção do espaço sejam respeitados. Uma placa constantemente vista por lá diz: “Você está em Lapinha da Serra. No vilarejo não é permitido som alto, transitar com trajes de banho ou jogar lixo nas ruas, rios e matas. Respeite nossos costumes”.

 

Integrante da Área de Preservação Ambiental Morro da Pedreira (APA), cinturão de proteção do Parque Nacional da Serra do Cipó, Lapinha de Belém, como é chamada pelos moradores mais antigos, reserva muito verde, águas e trilhas para amantes da natureza e aventura. O pequeno vilarejo já ganhou fama entre pessoas ligadas em turismo, já que também é ponto de partida para uma das mais tradicionais travessias da região, que leva até Tabuleiro, a cachoeira mais alta de Minas Gerais e a terceira mais alta do Brasil. A caminhada de 25 quilômetros é realizada em dois dias.

 

Júlio Resende/CB/D.A Press

Entre Santana do Riacho e Lapinha da Serra há 13 quilômetros de estrada de terra. Chegar à vila no fim da tarde tem sua vantagem: o paredão de pedra ganha brilhos pela luz do sol e, por isso, é bom se lembrar de levar a câmera para registrar a cena. À noite, o povoado é o lugar de turistas e nativos se embaralharem no Centro, bares e restaurantes, entre tiragostos, cervejas e comidas. Depois do café, pela manhã, há várias opções de passeios. Além da travessia entre Lapinha e Tabuleiro, o local tem lagos, cachoeiras, grutas, rios, picos e sítios arqueológicos para agradar tanto a quem está atrás de sossego quanto a quem busca adrenalina.

 

Partindo do centro, indo em direção à montanha, existe trilha para a Cachoeira do Rapel, a primeira de muitas e que fica pertinho do Centro. Antes de chegar nela, a trilha passa por um poço raso de água escura e uma pequena queda d’água de apenas cinco metros, chamada por alguns visitantes de Cachoeirinha. De lá até a Cachoeira do Rapel é preciso subir cerca de 40 metros. A cachoeira oferece, de um lado, a vista da queda d’água de cerca de 25 metros e, do outro, parte da represa. O poço dela tem menos pedras, o que agrada a quem quer mergulhar.

 

Júlio Resende/CB/D.A Press

A cultura de Lapinha da Serra é marcada por festejos religiosos, como o Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, e a Festa de Nossa Senhora Aparecida. Tradicional por ali, o Batuque é realizado semanalmente pelos habitantes e mostra danças, palmas e tambor, além de toque do pandeiro e viola.

 

Se a ideia for passar mais que um fim de semana, atenção para o que não é encontrado no povoado: posto de gasolina, banco ou caixa eletrônico, hospital e oficina mecânica.

 

» Serviço
» Como ir
O acesso é pela BR-040/BR-050 e MG–10, até o distrito da Serra do Cipó. De lá são mais 41 quilômetros, 11 deles de estrada de terra.

 

» Onde ficar
Pousada Terra BrasilPreços sob consulta. Reservas pelos telefones: (31) 4062.7922 e (31) 98417.0009

Pousada Travessia
Preços sob consulta. Reservas pelo telefone: (31) 99107-3840 (WhatsApp)

» Guia

Júlio Resende

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.