SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

REINOS DO MUNDO

Conheça países que têm rei, príncipe ou grão-duque como chefes de Estado

Encante-se com riqueza cultural dos lugares onde a monarquia vai muito além dos reis e das rainhas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/12/2016 09:00 / atualizado em 26/12/2016 14:25

Iana Caramori - Especial para o Correio

Poul Laursen/Flickr

A história da monarquia dinamarquesa, fundada pelos reis viking Gorm e Harald I, remonta há mais de mil anos. Atualmente, o Reino da Dinamarca — composto também pela Groenlândia e Ilhas Feroe — é uma monarquia constitucional, ou seja, a rainha Margarida II precisa agir de acordo com a constituição, em vez de tomar decisões da maneira que desejar. A chefia de Estado é responsabilidade da monarca, e a de Governo, do primeiro-ministro.

 

Para entrar no clima da monarquia, não faltam construções da realeza para visitar — entre elas, os Palácios de Amalienborg e de Christiansborg, e os Castelos de Frederiksborg e de Rosenberg. Mas as atrações vão além dos locais que serviam e ainda servem como residência da família real dinamarquesa. Três parques nacionais — Thy, Wadden Sea e Mols Bjerge — fazem a alegria dos mais aventureiros. As crianças também têm diversão garantida nos parques temáticos da Dinamarca. A nação ainda é o destino ideal para os amantes de uma boa culinária. Os programas pela terra da rainha Margarida II são tão diversos que fica difícil não agradar a todos os gostos.

 

Para continuar o roteiro real pela Europa, o Turismo separou um grão-ducado e um principado que ficam próximos à Dinamarca.

 

» Luxemburgo

SanM./Flickr

Único Grão-ducado ainda existente, Luxemburgo é uma monarquia parlamentar representada pelo Grão-duque Henrique. Para entender melhor a história desse Estado soberano, vale a pena visitar, na cidade de Luxemburgo, as casamatas de Bock — passagens subterrâneas ligadas aos antigos centros militares — e outros monumentos históricos como o Palácio dos Grão-duques, Câmara Municipal, Praça Guillaume II, Praça Jan Palach. A maior cidade do Grão-ducado também é rica em contrastes: a arquitetura histórica está em harmonia com prédios mais modernos, como o do Museu de Arte Moderna Grand-Duc Jean (Mudam) e a Filarmônica, enriquecendo ainda mais a viagem. É possível visitar ainda castelos e fortificações — o Castelo Vianden e o Bourglinster, por exemplo.

 

» Liechtenstein

Gustaf/Flickr

Entre os alpes austríaco e suíço está o principado e microestado de Liechtenstein, uma das nações mais ricas da Europa. A monarquia constitucional tem como capital a cidade de Vaduz. Apesar de pequena, os monumentos são muitos: Castelo de Vaduz, Catedral, Palácio do Governo, Casa do Parlamento são alguns deles. Também vale a pena visitar o Museu de Arte Contemporânea, Museu Nacional e a Casa Vermelha. No inverno, Liechtenstein se torna ainda mais atrativa. As montanhas que o cercam se transformam em um tapete branco, ideal para a prática de esqui. O microestado pode passar despercebido por muitos turistas, mas a nação merece ser incluída no roteiro. É comum entre os viajantes passar apenas um dia no principado, que está próximo de cidades como Zurique, na Suíça; Milão, na Itália; e Munique, na Alemanha.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade