REINOS DO MUNDO

Monarquias da África e da Oceania guardam encantos dignos da realeza

Nesses territórios, a natureza é a maior atração. Saiba mais sobre os três últimos reinos africanos e as Ilhas Amigáveis, na Oceania

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2017 09:00 / atualizado em 04/01/2017 18:29

JerD/Flickr

A famosa frase do filme Casablanca cita Paris e o fato de Rick e Ilsa terem para sempre a memória do encontro na Cidade Luz, mesmo que não possam se ver novamente. Mas é na cidade marroquina que se passa o filme homônimo de 1942. Imortalizada no longa dirigido por Michael Curtiz, a cidade é a maior de Marrocos, uma monarquia constitucional, na qual o parlamento é eleito democraticamente e o rei também atua como chefe de Governo.

 

Os pontos turísticos da cidade são muitos: Mesquita Hassan II, calçadão La Corniche e a Feira de Casablanca são apenas alguns deles. Mas o reino tem outros destinos interessantes — como Marrakech, a aldeia do deserto Merzouga, Vale de Dadés e a Garganta de Toudra. O reino do Marrocos é um dos últimos três do continente africano. Conheça quais são os outros dois. Descubra também a última parada da série “Reinos do Mundo”, uma ilha extremamente hospitaleira na Oceania.

Suazilândia

TheLizardQueen/Flick

Esse reino africano é uma das três monarquias que sobrevivem no continente africano. Desde 1986 no poder, o rei Mswati III governa a nação com mãos de ferro. Apesar dos conflitos do governo, Suazilândia está sempre aberta aos turistas. As belezas naturais são de tirar o fôlego. A nação, sem saída para o mar, tem um terreno montanhoso, coberto pela savana. Entre os atrativos para os apaixonados pela natureza estão o Santuário Mlilwane Wildlife, no Vale de Ezulwini, e o Parque Nacional Hlane Royal, uma das reservas do Conservatório de Lubombo. Na Reserva de Mantenga, é possível descobrir sobre a cultura desse reino ao fazer uma visita à Vila Cultural Mantenga.

Lesoto

Damien du Toit/Flickr

A monarquia constitucional também tem nos cenários naturais um dos maiores atrativos. O enclave (território que está dentro de outro — no caso de Lesoto, o reino está dentro da África do Sul) é um dos locais mais altos da Terra, com 80% do território acima dos 1.400m de altitude. O ponto mais alto é o Monte Thabana Ntlenyana, na Cordilheira de Drakensberg. Para os mais aventureiros, a escalada até o local é um dos passeios incluídos no roteiro. Quem não procura por esse tipo de emoção pode conhecer a Catarata Maletsunyane, a Reserva de Bokong e as aldeias de Semonkong e Moahale’s Hoek, para aprender mais sobre a cultura e as dificuldades econômicas do reino.

 

Tonga

John Abel/Flickr

Conhecido como Ilhas Amigáveis, o reino é uma monarquia constitucional, que se tornou independente do Reino Unido em 1970. Um dos pontos mais atrativos do Tonga — onde o turismo tem fundamental importância econômica — são as praias paradisíacas e quase intocadas pelo ser humano. A nação tem mais de 170 ilhas, sendo 36 delas inabitadas. Cercado de tanta água, não surpreende que as atividades náuticas sejam muito procuradas no Tonga. Surfar, mergulhar e observar as baleias jubarte — entre maio e novembro — são algumas das atrações. Não deixe de visitar a capital Nuku’alofa, onde está o Palácio Real, e a Caverna Anahulu, na vila de Fatumu.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.