Publicidade

Estado de Minas ROTEIRO

Sem-fim de atrações culturais ajudam a ampliar visão sobre São Paulo

Para comemorar os 463 anos da capital paulista, música, arte, atividades em museus e muito mais. Espaços com acervo permanente narram a história da cidade e expõem obras de artistas célebres no país e no mundo


postado em 26/01/2017 12:30 / atualizado em 26/01/2017 12:25

(foto: Nelson Kon/Guia do Morumbi)
(foto: Nelson Kon/Guia do Morumbi)

Ir a exposições de arte é um excelente ponto de partida para conhecer uma cidade e ampliar sua visão sobre ela — e sobre o mundo. A cidade de São Paulo tem um sem-fim de museus, galerias, ateliês e espaços públicos com mostras temporárias e permanentes. Os acervos que não mudam a cada temporada são interessantes para quem não quer ir a uma exposição específica, mas deseja se aprofundar na história de um lugar e de quem deu vida a ele.

 

O Turismo selecionou espaços paulistanos com acervos e histórias incríveis. Guarde nome e endereço na memória para visitá-los hoje ou quando for à capital. A programação de aniversário está disponível no site. Uma opção diferente é participar da Oficina de Calçadas, organizada por Mirthes dos santos Pinto. A artista criou o modelo em preto e branco que forma o mapa do estado de SP. É preciso se inscrever pelo e-mail agendamento@mcb.org.br. A entrada é gratuita.

 

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano
O espaço é a antiga casa do casal, projetada no meio de um bosque. O acervo tem pinturas do holandês Frans Post, móveis, imagens do período colonial, retratos e objetos da família imperial brasileira e obras modernistas de Portinari e Di Cavalcanti.

» Av. Morumbi, 4.077, Morumbi.

» Aberto de terça a domingo, das 10h às 17h30.

» Ingressos: R$ 10


Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin

(foto: Blog Espassa/Reprodução)
(foto: Blog Espassa/Reprodução)

O espaço tem uma exposição permanente sobre a vida do casal Mindlin, conhecido por sua extensa coleção de livros raros, doados à USP. As publicações foram reunidas ao longo de 80 anos pela dupla e são o maior acervo particular de livros do Brasil, com 17 mil títulos (40 mil volumes). O lugar também abriga matrizes de gravuras em metal de artistas como Djanira, Goeldi e Renina Katz, além de gravuras de Alex Flamming, Lívio Abramo e outros.

» Av. Professor Luciano Gualberto, 18, Cidade Universitária.

» Aberta de segunda a sexta, das 13h às 17h.

 

Cemitério da Consolação

(foto: Artur Vítor Ianini/Flickr)
(foto: Artur Vítor Ianini/Flickr)

O cemitério mais antigo da cidade foi inaugurado em 1858 para evitar epidemias. Antes disso, a tradição era sepultar os mortos dentro das igrejas. No passado, a burguesia costumava decorar os túmulos com esculturas de artistas célebres. Além delas, o portão e a capela — projeto do arquiteto Ramos de Azevedo — são as estrelas do local. Outra atração são as sepulturas de Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Ruth Cardoso, Ademar de Barros e outras figuras notáveis.

» Rua da Consolação, 1.660, Cerqueira César.

» Aberto todos os dias das 7h às 18h.


Casa Modernista

(foto: Emaze/Reprodução)
(foto: Emaze/Reprodução)

Exemplar da arquitetura modernista, foi a primeira do Brasil a ser construída nesse estilo. O projeto é de Gregori Warchavchik e foi concluído em 1928. A casa ficou fechada para restauração e voltou ao circuito expositivo da cidade recentemente.

» Rua Santa Cruz, 325, Vila Mariana.

» Aberta de terça a domingo, das 9h às 17h.


Museu Anchieta

(foto: Onix Cultural/Reprodução)
(foto: Onix Cultural/Reprodução)

Parte do complexo histórico do Pateo do Collegio, onde São Paulo começou a ser construída, foi transformada em museu. O acervo de 500 itens inclui peças de arte sacra, quadros, fotografias, aquarelas, artefatos indígenas e mapas antigos.

» Praça Pateo do Collegio, 2, Centro.

» Aberto de terça a sexta, de 9h às 16h45. Aos sábados e domingos, funciona das 10h às 18h.

» Ingressos: R$ 8

Fundação Cultural Ema Gordon Klabin

(foto: Erick Diniz/SP Cultura)
(foto: Erick Diniz/SP Cultura)

A empresária que dá nome ao lugar criou uma coleção que abrange quase três mil anos de história da arte ocidental, passando pelas civilizações grega e etrusca e pelos grandes mestres europeus. As peças ficam expostas na casa onde Klabin viveu, em seus ambientes originais.

» Rua Portugal, 43, Jardim Europa.

» Aberto de quarta a domingo, das 14h às 17h.

» Ingressos: R$ 10. Entrada gratuita aos sábados e domingos.


Associação Paulista de Medicina

(foto: Tarsila do Amaral Site Oficial/Reprodução)
(foto: Tarsila do Amaral Site Oficial/Reprodução)

A Sala Modernista exibe mostra permanente com mais de 60 obras do período de 1930 a 2009, assinadas por Alex Flamming, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, Lasar Segall, Cândido Portinari e outros artistas de renome.

» Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 278, 8º andar, Bela Vista.

» Aberto de segunda a sexta, das 10h às 19h.

Palácio dos Bandeirantes

(foto: PalacesArchitecture/Reprodução)
(foto: PalacesArchitecture/Reprodução)

O acervo narra a trajetória cultural e política do Estado de São Paulo. Há obras de Henrique Bernadelli, Candido Portinari e Giovanni Oppido logo na entrada — todas em homenagem aos bandeirantes. No Hall Nobre, a expansão do estado é narrada desde sua origem rural com obras de Djanira e Clóvis Graciano.
» Av. Morumbi, 4.500, portão 2, Morumbi.

» Aberto de terça a domingo, das 10h às 17h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade