Publicidade

Estado de Minas ARQUITETURA

Há muito o que admirar quando se olha para cima em um monumento

Quem não dá uma conferida no teto de uma atração turística pode estar perdendo um dos detalhes mais bonitos do local. Conheça lugares em que olhar para cima é fundamental


postado em 30/01/2017 09:00 / atualizado em 25/01/2017 14:50

(foto: Sergey Mukhin/Flickr)
(foto: Sergey Mukhin/Flickr)

Já parou para pensar que o teto pode guardar as maiores belezas de um local? A Capela Sistina, no Vaticano, é a prova clássica de que existe muito para ser apreciado quando se olha para cima. Os afrescos da capela foram feitos por Michelangelo, que demorou quatro anos para terminar a obra, em 1512. Nas áreas triangulares do teto, o artista renascentista pintou as figuras de profetas e de personagens da mitologia greco-romana, os sibilas. Já nos espaços retangulares, Michelangelo recriou episódios do Gênesis.

 

Para não perder nada ao visitar uma atração turística, o Turismo selecionou outros locais, ao redor do mundo, que têm em seus tetos verdadeiras obras de arte.

Shah Cheragh (Shiraz, Irã)

(foto: David Holt/Flickr)
(foto: David Holt/Flickr)

A mesquita é um monumento funerário aos irmãos Ahmad e Muhammad, que morreram durante a perseguição aos xiitas no Califado Abássida. A decoração do teto da Shah Cheragh, importante ponto de peregrinação, é formada por pequenos mosaicos em vidro, o que causa um contraste quando a luz incide.

Castelo de Sammezano (Leccio, Itália)

(foto: Antonio Cinotti/Flickr)
(foto: Antonio Cinotti/Flickr)

Erguido em 1605 e reformado por um nobre espanhol no século 19, a construção chama a atenção pelo estilo neoislâmico de sua arquitetura. Após a Segunda Guerra, o castelo se transformou em um hotel e, atualmente, está aberto aos visitantes, que têm a chance de se encantar com os tetos coloridos do monumento.

Alambra (Granada, Espanha)

(foto: Jvwpc/Flickr)
(foto: Jvwpc/Flickr)

O monumento construído no ano de 889 D.C. já teve vários usos: de fortaleza a residência de famílias nobres. Erguido para um soberano muçulmano, Alambra tem várias influências da arquitetura islâmicas. Ao olhar para cima, o visitante é surpreendido pelo teto decorado com arabescos e muqarnas — abóbadas em forma de favos de mel.

Centro Heydar Aliyev (Baku, Azerbaijão)

(foto: Kyle Bryce/Flickr)
(foto: Kyle Bryce/Flickr)

Do lado de fora, a construção projetada pela arquiteta Zaha Hadid dá um show de arquitetura. No seu interior, o centro impressiona ainda mais. Dentro do complexo, é possível visitar uma galeria, espaços para exposições temporárias, um museu e um auditório — que encanta pelas linhas que formam o desenho do teto da sala.

Palácio de Topkapi (Istambul, Turquia)

(foto: Curious Expeditions/Flickr)
(foto: Curious Expeditions/Flickr)

Com tantos cômodos e tetos decorados, será difícil abaixar a cabeça durante a visita ao monumento turco. O palácio guarda ainda muita história, já que foi residência de sultões do Império Otomano por mais de 400 anos. Hoje, a construção é um museu e uma das principais atrações turísticas da cidade.

Templo do Céu (Pequim, China)

(foto: Robert/Flickr)
(foto: Robert/Flickr)

Construído entre 1406 e 1420 — durante o reinado do Imperador Yongle —, o templo foi considerado um Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1998, por ser uma obra de arte da arquitetura. Durante as Dinastias Ming e Qing, o monumento sediava anualmente cerimônias em que se pedia uma boa colheita.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade