AVENTURA

Cavernas pelo mundo surgiram com a erosão para revelar cenários alucinantes

As grutas mais impressionantes do planeta foram esculpidas pela ação da natureza ao longo de milhões de anos. Elas guardam segredos e revelam lindos cenários

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/03/2017 10:00 / atualizado em 29/03/2017 16:28

Deportes Alvarez/Flickr

Son Doong (Vietnã)

Um buraco sem fundo — o fim dessa caverna é desconhecido. Encoberta pela floresta, forma uma galeria com outros túneis de pedra no Parque Nacional Phong Nha-Ke Bang, a 500 km da capital do país (Hanoi). Expedições britânicas encontraram florestas, estalagmites com mais de 70 metros de extensão e um rio de dois quilômetros no interior do buraco de pedra. Em alguns locais, a altura é equivalente a um prédio de 40 andares. As dimensões colossais deram à caverna o título de maior do mundo.

 

Neil Wilkie/Flickr

Grutas de Mármore (Chile)

Não são feitas de mármore, mas lembram o material usado na construção civil. Os buracos na rocha foram criados pelo contato da água do Lago General Carrera com as rochas. As águas são glaciais — vêm do degelo da Cordilheira dos Andes. Por isso, a temperatura média é de nove graus. Para conhecer as grutas, vá até a divisa do Chile com a Argentina. Do lado chileno, a cidade mais próxima é Coyhaique; do argentino, a referência é Rio Gallegos.

 

Bernt Rostad/Wikimedia Commons

Caverna Reed Flute (China)

A erosão da água deu origem a estalactites, estalagmites e outras formações rochosas de diversos tamanhos e estilos nessa caverna, iluminada artificialmente com luzes coloridas. Estima-se que o lugar exista há 180 milhões de anos. Isso pode ser constatado com cerca de 70 pinturas rupestres preservadas no interior. Os escritos datam do ano 792 e teriam sido feitos pela dinastia Tang. A caverna é uma das atrações mais populares da China e fica a 5 km do centro da cidade de Guilin.


Nuno Gavina Couto/Flickr

Caverna de Gelo (Rússia)

Graças a um manancial de água quente localizado abaixo do solo congelado, a caverna de Kamchatka surgiu. As fumarolas, aberturas no solo que liberam gases vulcânicos, também são uma das origens possíveis da caverna. Os túneis subterrâneos têm mais de mil metros de extensão e ficam próximos do vulcão Mutnovsky. As geleiras da área estão em processo de derretimento e, por isso, o teto do lugar está fino a ponto deixar a luz do sol entrar. O fenômeno gera efeitos visuais coloridos do lado de dentro.

 

Bruno Carlos/Wikimedia Commons

Gruta de Benagil (Portugal)

A região portuguesa do Algarve tem uma coleção de grutas no currículo. A do Algar de Benagil é a mais famosa, acessível apenas pelo mar. Há barcos com passeios guiados saindo do Farol de Alfanzina e da Praia Nova, mas também é possível chegar lá remando, de caiaque. Os mais experientes arriscam ir a nado, mas é preciso ter cuidado com as pedras pelo caminho. Além das entradas no nível do mar, a gruta tem uma abertura redonda no topo — um algar: cavidade natural feita da erosão do vento e da água.

 

Uwe Aranas/Wikimedia Commons

Cavernas de Batu (Malásia)

O misticismo é presença certa por aqui. As cavernas da região recebem celebrações e rituais hindus com regularidade. No interior, templos e estátuas de deuses chamam a atenção. Para chegar à Cathedral Cave, os visitantes têm de subir uma escadaria com 272 degraus e, de bônus, cruzar com macacos pelo caminho. O passeio Dark Caves leva a cavernas menores e menos visitadas. Conheça: do centro da capital, Kuala Lumpur, são 13 km. Nos fins de semana e feriados religiosos, é o passeio clássico.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.