FRONTEIRA

Beleza grandiosa, os encantos da divisa entre Brasil, Paraguai e Argentina

Em Foz do Iguaçu (PR), o que não faltam são opções de passeio. Das Cataratas à Usina de Itaipu, são belezas que encantam a todos e surpreendem até os mais aventureiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/04/2017 10:00 / atualizado em 19/04/2017 18:37

Cataratas do Iguaçu/Divulgação
 

"Abençoado por Deus e bonito por natureza", é mais que uma declaração de amor ao Brasil, na música de Jorge Ben Jor. O país esbanja seus encantos por mais de oito milhões de quilômetros quadrados do seu território. Do sertão à floresta amazônica, passando pelo pantanal, cerrado, litoral, pampas e rios, um verdadeiro show de beleza natural e guarda esplendores como as Cataratas do Iguaçu — uma das sete maravilhas da natureza em todo o planeta.

 

O conjunto, formado por mais de 270 quedas d’água ao longo do rio Iguaçu, fica na divisa do Brasil com a Argentina. A área forma parques nacionais, que juntos somam mais de 250 mil hectares e são preservados com rigor. Apesar disso, nos dois lados da fronteira a visitação é permitida, além de diversas outras atividades.

 

Foz do Iguaçu, a cidade brasileira das Cataratas, conta com um sem número de atrações além do parque nacional. Na região, o turista pode aproveitar para visitar a usina de Itaipu — uma das maiores hidrelétricas do mundo —, o Vale dos Dinossauros, o Parque das Aves, um museu de cera e o marco das Três Fronteiras. Isso sem falar nas compras no lado argentino, em Puerto Iguazú e no Paraguai, na Cidade do Leste.

Com escala

Honda/Reprodução
 

Para chegar até a cidade paranaense, a melhor opção é ir de avião, mas prepare a carteira, pois a passagem não é muito barata. Saindo de Brasília, o preço médio do bilhete — no intervalo de uma semana — varia de R$ 700 a R$ 1 mil, com o inconveniente de ter defazer escalas. O aeroporto, apesar de ficar fora da cidade, é bem próximo do centro e de grande parte dos hotéis. Por ser bem turística, Foz conta com uma boa diversidade de hospedagem. Os valores das diárias variam de R$ 130 a R$ 880.

 

Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas, o visitante já sente o primeiro grande impacto: a temperatura é bem diferente da de Brasília e o calor convidapara passeios próximos às águas das cataratas. Enquanto na capital o clima é muito seco, na cidade paranaense a umidade é abundante. Andando pela ruas, um segundo impacto é a quantidade de carros com placa do Paraguai e da Argentina. Nem parece que estamos do lado brasileiro.

 

Vista em vários ângulos

Jorge Adorno/Reuters - 21/6/14

Antes de sair para explorar as diversas atrações da região, separe um bom dinheiro. Tudo é pago, inclusive a entrada para o Parque Nacional, que funciona todos os dias das 9h às 17h. Entre todos os lugares para visitar na Foz de Iguaçu, o parque é o mais procurado. Do lado brasileiro, é possível ver as cataratas de diversos ângulos — o mais famoso é no espaço Nipe, que além dos mirantes em vários níveis, conta com uma passarela praticamente dentro do rio.

 

Ao chegar, a magnitude das quedas d’água impressiona tanto quanto a altura. A força da natureza deixa qualquer um de boca aberta. No Nipe, é possível descer e avançar, pela passarela, rio adentro, o que permite um visual ainda mais eletrizante. A descida pode ser feita de escada ou pelo elevador. Em dias de excursão, vá com tempo, pois a quantidade de gente pode dificultar o deslocamento.

 

Outro ponto legal dentro do Parque é o Macuco Safari (este é pago à parte). Nele, é possível entrar na floresta, praticamente natural, em carrinhos elétricos. Um guia explica a história do lugar e destaca as plantas raras. Ao chegar próximo à água, o visitante pode alugar armários para guardar os pertences e se preparar para “enfrentar” o rio.

Honda/Reprodução
 

A melhor parte do Macuco vem em seguida. Vestidos de coletes salva-vidas, os visitantes entram em barcos — com capacidade para cerca de 23 pessoas. São duas opções de passeio, o seco e o molhado. Os nomes dizem tudo. Mas acredite, na segunda opção você fica encharcado mesmo, vá preparado. Uma coisa que impressiona é que, quanto mais perto do rio, mais quente fica. No entanto, assim que o barco começa a ganhar velocidade, o vento alivia todo o calor. Mas não tanto quanto a água.

 

O turista pode imaginar que o passeio molhado se deve aos respingos, mas não se engane. O condutor do barco — que leva a embarcação habilmente rio acima — se aproxima de uma pequena queda, apenas para "temperar" os turistas com a água fria. É a primeira fase do passeio molhado. No entanto, o melhor ainda está por vir. Subindo mais um pouco, o barco quase atravessa uma cachoeira. A água gelada bate fundo. Os navegantes ficam totalmente molhados, mas é simplesmente reconfortante. Por poucos momentos, a sensação é de paz. Ah!, não tente olhar para cima, a água bate sem dó no corpo inteiro.

 

Além do Espaço Naipi e do Macuco Safári, o parque conta com diversas trilhas para caminhada, como a do Poço Preto, onde é possível realizar caminhadas a pé, de bicicleta ou em carro elétrico por nove quilômetros. E a das Bananeiras, onde o visitante percorre um caminho de 1,5 quilômetro que passa por diversas lagoas. Ele também combina a trilha com uma navegação pelo rio até o cais do Poço Preto. No local, os visitantes podem ir até uma casamata para observar a Lagoa do Jacaré e a volta pode ser feita em caiaques infláveis. Há também voos de helicóptero e no Macuco uma opção de rafting.

Cataratas do Iguaçu/Divulgação

Três em um

 

Outro ponto turístico bastante procurado pelos visitantes em Foz do Iguaçu é o marco das Três Fronteiras, onde o Paraguai e a Argentina fazem divisa com o Brasil. Aberto de terça a domingo, das 14h às 23h, o local fica no encontro dos rios Paraná e Iguaçu, conta com um mirante, onde é possível avistar toda região das três fronteiras e é perfeito para apreciar o pôr do sol. Como no Parque Nacional, os ingressos podem ser comprados pela internet.

 

No marco, existe um obelisco construído há mais de 100 anos e pintado nas cores da bandeira brasileira. Além disso, o local conta com restaurantes, estacionamento, lojas de conveniência, bicicletário, três praças — da Entrada, das Missões e das Três Fronteiras —, o próprio mirante, um parque infantil e um memorial, o Cabeza de Vaca, que conta a história do Marco das Três Fronteiras.

 

De Foz do Iguaçu, além dos passeios, o visitante pode fazer uma das atividades preferidas dos turistas: compras. São duas opções, Argentina e Paraguai. Do lado dos hermanos, há um outlet após a aduana brasileira e antes da Argentina. Como fica a vinte minutos do centro de Foz, é uma opção mais rápida, mas, se você preferir produtos mais baratos, o local é a Cidade do Leste.

Marco das Três Fronteiras/Divulgação
 

A cidade paraguaia fica a 30 minutos do centro de Foz do Iguaçu e conta com uma variedade enorme de lojas e produtos — todos mais baratos que no Brasil e na Argentina. Para entrar em qualquer um dos dois países é preciso levar um documento de identificação válido (pode ser identidade — lembrando que este tem que ter menos de dez anos de emissão —, carteira de motorista ou passaporte) e é preciso se identificar nas duas fiscalizações de fronteira, no lado brasileiro e no lado vizinho.


Por ser um local de grande movimentação de compradores, o aeroporto de Foz do Iguaçu é totalmente diferente dos demais Brasil afora. Antes do embarque é preciso passar pela fiscalização da Receita/Polícia Federal, onde todas as malas são escaneadas e o passageiro e as bagagens podem ser revistados aleatoriamente. Apenas após esse procedimento é possível prosseguir para o check-in e embarque.

 

Programe-se

 

Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu
» Adulto: R$ 37 (brasileiros); R$ 50 (Mercosul); R$ 63 (outros países)
» Infantil: R$ 10 (preço único)
» Idosos: R$ 10 (preço único)

Marco das Três Fronteiras
» Adulto: R$ 18
» Meia; R$ 9
» Passaporte semanal: R$ 25
» Passap. Semanal meia: R$ 12
» Pass. Família: R$ 60

Macuco Safari
» Adulto: R$ 107,70
» Criança: R$ 53,85
» Idosos: R$ 53,85

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Simony
Simony - 25 de Abril às 17:21
Cheguei de Foz semana passada! È simplesmente espetacular. As cataratas tanto do lado brasileiro quanto argentino são perfeitas! Porém por ser mas "selvagem" o lado argentino me encantou mais. Podemos ficar mais perto das quedas e a sensação de estar de frente para a Garganta do Diabo é inexplicável. Porém alguns preços acima estão desatualizados, no site das cataratas por exemplo, quanto dos macuco safari e marco das três fronteiras os valores estão corretos! O macuco por exemplo esse valor de R$ 107,70 é para crianças, adultos R$ 215,40!