COPA DO MUNDO RÚSSIA 2018

Preparando o caminho: como planejar a ida à Copa do Mundo na Rússia

Assistir aos jogos do Mundial exige investimento e planejamento. O torcedor pode contratar uma agência ou organizar tudo sozinho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Anthony McEvoy/Flickr
 

Quem pretende assistir aos jogos da Copa do Mundo precisa saber que não é barato. A logística para chegar à Rússia não é fácil. Não existe voo direto e, chegando lá, os valores terão padrão Fifa. Os torcedores podem ir por conta própria, ou contratar uma agência autorizada. No Brasil, a Stella Barros é a agência oficial chancelada pela entidade internacional do futebol para a comercialização do Programa Oficial de Hospitality. Uma das vantagens da agência é não se preocupar com a compra dos ingressos para os jogos do Brasil.

 

A empresa garante os bilhetes para as partidas. Quem  viajar por conta própria, precisa participar do sorteio — que começará logo após o fim da Copa das Confederações, em julho. A compra seguirá os mesmos critérios adotados para a venda no Brasil: o torcedor compra as entradas no site, sem saber qual jogo será realizado naquela data e se conseguirá.

 

A comodidade de contratar uma agência tem seu preço. O pacote para assistir à primeira fase custa 3.990 euros (R$ 14.683, aproximadamente) para hotel, transfers, city tour, guias turísticos. Para a Copa completa, os valores chegam a 18.200 euros (R$ 66.967). Já o Hospitality, que é o pacote com ingressos — em categoria 1  — com alimentação, entre outros serviços, custa US$ 2.550 (R$ 8.364), para os três primeiros jogos e US$ 11 mil (R$ 36.080) para todas as partidas até a final do Mundial. Além desses valores, é preciso comprar a passagem de ida e volta para a Rússia, em média US$ 1,8 mil (R$ 5.904).

Renato Alves/CB/D.A Press

De acordo com a CEO do Núcleo de Lazer da Stella Barros, Renata Franco, é preciso tomar cuidado na hora de contratar uma agência de turismo. Segundo ela, existem muitos operadores que estão vendendo pacotes para a Copa sem a garantia da Fifa, o que pode ser perigoso. “Se a pessoa tiver dúvida quanto à agência, basta entrar em contato com a Stella Barros e perguntar se ela é realmente um agente oficial. Se não for, a pessoa pode não ter garantias dos ingressos, hospedagens e traslados”, alerta.

 

Cálculos
Ir por conta própria, porém, pode render uma experiência bem mais barata. Uma diária em Moscou, pelo site de busca Booking.Com, varia de R$ 80 a R$ 5.806, dependendo do tipo, tamanho e qualidade do hotel. Outro ponto é a alimentação. Segundo o Expatistan, plataforma que calcula o custo de vida em diversas cidades do mundo, em Brasília o valor é, em média, 12% mais caro que na capital russa. Um lanche em fast-food, por exemplo, custa aproximadamente 293 rublos, ou R$ 17. Dessa forma, ao decidir ir sozinho, é preciso colocar todos os valores na balança e calcular o gasto diário.

Quem for à Rússia — e isso vale para qualquer época do ano — precisa ficar atento à moeda e ao idioma. Segundo Renata Franco, é difícil encontrar alguém que fale inglês. “Por ser uma língua completamente diferente, é bom ir minimamente preparado”. Já no caso do dinheiro, eles não aceitam Euro. A moeda circulante é o Rublo. “O ideal é levar uma quantia em Euro e, chegando lá, trocar pela moeda local”, completa a CEO.

Alexander Nemenov/AFP - 6/4/12
 

Um alento é que, segundo o governo russo, o transporte terrestre entre as cidades sede da Copa do Mundo será gratuito para quem tiver ingresso para os jogos. Para ter acesso ao benefício é preciso se cadastrar no site tickets.transport2018.com (em russo e inglês). No entanto, até o momento, o serviço só está disponível para a Copa das Confederações. Para o Mundial, a data de cadastramento ainda não foi divulgada. Outra opção é fazer os traslados de avião, mas aí o custo sob exponencialmente.
 
Um detalhe importante é que, para períodos de até 90 dias, brasileiros não precisam de visto para entrar na Rússia, basta estar com o passaporte em dia. Mesmo assim, durante a Copa do Mundo, o país europeu não exigirá a autorização de entrada para quem portar ingressos para os jogos. Dentro do assunto, se o Brasil cair no grupo G, o terceiro jogo será em Kaliningrado. A cidade não fica dentro do território russo, mas entre a Polônia, Bielorrússia, Lituânia e o Oceano Báltico, para ir de carro de Moscou até a cidade, por exemplo, é preciso passar por, pelo menos, dois dos países, mas nenhum deles exigem visto, se o brasileiro não for ficar mais de 90 dias.
 

Ingressos para a Copa do Mundo 2018

 

Abertura
US$ 220 (R$ 721)
US$ 390 (R$ 1.279)
US$ 550 (R$ 1.804)

Jogos de grupo

US$ 150 (R$ 344)
US$ 165 (R$ 541)
US$ 210 (R$ 688)

Oitavas de final
US$ 115 (R$ 377)
US$ 185 (R$ 606)
US$ 245 (R$ 803)

Quartas de final
US$ 175 (R$ 574)
US$ 255 (R$ 836)
US$ 365 (R$ 1.197)

Semifinal
US$ 285 (R$ 934)
US$ 480 (R$ 1.574)
US$ 750 (R$ 2.460)

3º lugar
US$ 175 (R$ 574)
US$ 255 (R$ 836)
US$ 365 (R$ 1.197)

Final
US$ 455 (R$ 1.492)
US$ 710 (R$ 2.328)
US$ 1.100 (R$ 3.608)

*Com dólar a R$ 3,28

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.