ROMARIAS

Conheça a cidade onde nasceram São Franciso de Assis e Santa Clara

As lições de humildade de São Francisco em Assis estão nas ruas do centro histórico da cidade, que é o símbolo da simplicidade pregada pelo filho ilustre e por Clara, que seguiu os passos dele

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/08/2017 10:00 / atualizado em 08/08/2017 13:07

...Onde houver ódio, que eu leve o amor; 
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; 
Onde houver discórdia, que eu leve a união; 
Onde houver dúvida, que eu leve a fé; 


Onde houver erro, que eu leve a verdade; 
Onde houver desespero, que eu leve a esperança; 
Onde houver tristeza, que eu leve alegria; 
Onde houver trevas, que eu leve a luz...


(Trecho da oração de São Francisco de Assis)

Aline Isabel Costa Carvalho/Flickr


São duas horas e vinte minutos de distância entre Roma e a cidade de Assis. Contudo, cruzar a divisa entre as regiões de Lazio e da Úmbria é fazer uma nova viagem no tempo. As ruínas milenares saem de cena para dar lugar às sacadas floridas dos imóveis medievais. Entre uma planície e o monte Subásio, Assis é um convite à contemplação da simplicidade. Tal qual a história do seu mais célebre filho, faz-se um bate-volta imperdível, mesmo abrindo mão de luxo em sua arquitetura e sem ceder às tentações da vida moderna. Assis não almeja figurar no Instagram dos visitantes, está mais preocupada em preservar os princípios.

Ainda na planície, antes mesmo de cruzar os oito pórticos abertos entre a muralha que circunda o centro histórico, os visitantes são convidados de forma implícita a dar os três nós franciscanos: pobreza, no sentido de desapego voluntário da ostentação — a melhor forma de conhecer Assis é subindo e descendo ladeira com os próprios pés, já que a entrada de carro na parte histórica é limitada; obediência, para abaixar as câmeras ao entrar no templos religiosos — fotografias só das partes externas; e pureza de coração, para, ainda que não seja católico, admirar a história que circunda o povoado.

Carlos Ramirez/Flickr


Assis é a terra de dois santos. Francisco, jovem filho de ricos comerciantes de tecido, que abriu mão da riqueza e saiu em peregrinação por várias cidades italianas, incluindo Roma. E Clara, filha da nobreza que vendeu até os dotes do casamento para doar aos pobres e seguir os preceitos de São Francisco.

Por ano, cinco milhões de pessoas visitam a cidade. Um dia é suficiente para conhecer o Patrimônio Mundial pela Unesco. De Roma, é possível chegar ao povoado de carro e ônibus em rota de cerca de 195km, ou trem, saindo da estação Termini e chegando a Assis duas horas depois, por cerca de 13 euros.

 

Os templos de Assis 

 

Roberto Wilson/Flickr

1) Basílica de Sta. Maria dos Anjos    

A cúpula do templo, vista ao longe, junto ao casario de pedras, chama a atenção. Dentro dela, segue erguida uma pequena capela, local predileto e para onde São Francisco de Assis ia nos momentos de refúgio. Na porciúncula, como é chamado o lugar, São Francisco e Santo Antônio se encontraram, supostamente,  pela primeira vez. Também foi onde Santa Clara se consagrou a Deus, e para onde Francisco pediu para ser levado, no leito de morte.

Não deixe de ver

Por trás da basílica, há um roseiral com obras de arte, no qual estão rosas sem espinhos em referência a uma passagem da vida de Francisco; a capela onde passou os últimos dias de vida, museu e loja.

Carlos Andres Ferreyra/Flickr

2) Basílica de Santa Clara     

Segunda parada dentro do roteiro religioso por Assis, a Basílica de Santa Clara é uma bela forma de receber as boas-vindas à cidade alta. De construção iniciada em meados de 1257, o santuário está próximo a um dos oito pórticos de entrada e faz fronteira lateral com um dos mirantes do município. A basílica guarda relíquias da santa, como cabelos, roupas e sapatos usados por ela. No subsolo estão os restos mortais de Clara.

Não deixe de ver
A basílica de Santa Clara também é local de repouso do crucifixo de São Damião, obra sobre a qual o então jovem Francisco se prostrou a rezar em momento de angústia espiritual. Retrata o Cristo vivo diante da cruz.

Moisés Nazário/Flickr

3) Basílica de São Francisco    


Depois de percorrer a Assis alta, deixando-se perder pelos corredores e admirar sacadas floridas, a Basílica de São Francisco surge como grand finale do passeio. É recomendado dedicar tempo para conhecer o santuário, dividido entre a basílica inferior e a superior. Sob o altar-mor está o túmulo de São Francisco, circundado por paredes de pedra. Ao redor dele estão sepultados alguns dos seus companheiros de fé.

Não deixe de ver

Dentro da basílica superior está o ciclo de afrescos do pintor italiano Giotto de Bondone. São 28 cenas, com passagens importantes da vida de São Francisco. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.