ASSUSTADORES

Teatros antigos convidam para uma visita guiada cheia de suspense

Um no Brasil, quatro espalhados pelo resto do mundo. Eles têm tradição não só na arte, mas no mistério. Viaje para conhecê-los e divirta-se com as lendas por detrás das cortinas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/08/2017 10:00 / atualizado em 16/08/2017 17:00

Justin Mier/Flickr

Teatros estão entre os lugares favoritos dos fantasmas. Por incrível que pareça, a visita de alguns deles é encarada como sinal de boa sorte pelos atores, da mesma forma que é comum antes da estreia de peças teatrais, musicais, apresentações artísticas, os integrantes desejarem boa sorte e sucesso com a expressão em inglês “break your leg”, algo como “quebre a sua perna.”


Pode soar estranho, mas a alma de artista é movida por mistérios. É a mesma lógica, incompreensível para os não-artistas, que integra as lendas e crenças na rotina de trabalho às conversas e até discussões em frente ao espelho do camarim. Fatos considerados inexplicáveis como a queda de um lustre, luzes que se acendem sozinhas, ruídos e espíritos que circulam entre as coxias, palcos, plateias e camarins são considerados corriqueiros e absolvidos pela criatividade dos atores, atrizes e integrantes das equipes e se transformam em histórias que mantém vivo o encanto das casas teatrais. Conheça alguns exemplos.

 

» Palácio Garnier (França)

Junto com a Ópera da Bastilha, o teatro forma a Ópera Nacional de Paris. O espaço recebe, além dos espetáculos, noites de gala abertas ao público. A história do lugar inspirou a criação do espetáculo O Fantasma da Ópera, de Andrew Lloyd Webber. Durante a construção do teatro, um lustre caiu e matou uma pessoa — fato que serviu de inspiração para uma das partes do livro. O corpo do funcionário nunca foi encontrado. Outra história misteriosa é que haja um lago subterrâneo secreto ali (outra referência presente na obra).

» Informações: www.operadeparis.fr/en/visits/palais-garnier


Wikipedia/Reprodução

Theatro Municipal de São Paulo

Os fantasmas do teatro têm fama de viciados em trabalho. A lenda, reforçada por vigias e funcionários do turno da noite, diz que artistas que se apresentaram ali fazem visitas ao local com frequência. As roupas dos espíritos aparentavam ser do século 19. Além dos fantasmas, muitos sustos — os trabalhadores disseram ter visto luzes acenderem sozinhas, pianos sendo tocados por ninguém e movimento em camarins aparentemente vazios. Inspirado na Ópera de Paris, o teatro é considerado um dos mais relevantes do Brasil.
» Informações: www.theatromunicipal.org.br

Wikimedia Commons/Divulgação

Teatro Royal Drury Lane (Inglaterra)

O teatro foi inaugurado no século 17 e comandou por séculos a produção artística da cidade. O lugar tem tanto sucesso quanto fama de assombrado. O fantasma mais famoso de lá é o “homem de cinza”, que aparece vestido como um nobre do século 18. Conta-se que ele é o espírito de um homem que foi morto a facadas, que teve o corpo enterrado dentro de uma das paredes do prédio. Os fantasmas do ator Charles Macklin e do palhaço Joseph Grimaldi também vagam pelo teatro. O último dá sorte — principalmente aos comediantes.
» Informações: www.reallyusefultheatres.co.uk/our-theatres/theatre-royal#

Want Tickets/Reprodução

Teatro Belasco (Estados Unidos)

O palco novaiorquino recebeu uma das maiores produções da Broadway — A Grand Army Man. À época (1907), o lugar era equipado com o que havia de mais moderno em iluminação e estrutura. O produtor teatral David Belasco frequentava o local e era conhecido por vestir-se como um monge. Há quem acredite que ele circula pelo teatro com esses trajes. Alguns atores dizem terem sido perturbados por ele durante performances. Em outras peças, os diretores invocaram a presença do fantasma para garantir sucesso.
» Informações: www.thebelasco.com

Deidre Hayes/Flickr

Teatro Oriental (Estados Unidos)
O antigo Iroquois Theatre, localizado na cidade de Chicago, foi protagonista de um incêndio que matou mais de 500 pessoas um mês após a inauguração, em 1926. Há quem diga que os espíritos dos mortos não abandonam o prédio e ficam passeando por um beco próximo dali, local exato onde os corpos foram empilhados após a tragédia. O teatro recebe espetáculos da Broadway desde os anos 1980, quando foi reinaugurado com o musical Ragtime. No passado, a decoração inspirada no oriente era outro motivo para visitá-lo.
» Informações: www.chicago-theater.com/theaters/ford-center/theater.php

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.