CAMPOS DO JORDÃO

Tire o casaco do armário e desbrave os encantos da suíça brasileira

Para quem gosta de curtir as coisas boas do inverno, o momento de conhecer a cidade é agora, antes que a temperatura volte a subir. Ainda dá tempo de aproveitar um fim de semana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/08/2017 10:00 / atualizado em 16/08/2017 18:27

Dori Mello/Flickr


Você conhece a “Suíça brasileira”? O apelido não foi dado à toa. Campos do Jordão, cidade de aproximadamente 51 mil habitantes e localizada na Serra da Mantiqueira, faz jus ao título devido à arquitetura europeia do seu Centro turístico e às temperaturas baixas – a temperatura média anual gira em torno dos 14 graus. Mais perto de São Paulo (180 quilômetros) do que de Belo Horizonte (500 quilômetros), Campos do Jordão atrai todos os públicos, desde os casais apaixonados que buscam aproveitar o frio até os jovens animados que movimentam os bares e as baladas locais. Ou seja, neste inverno aconchegante, Campos do Jordão torna-se o lugar ideal para se aproveitar um fim de semana.


Situada a 1.628 metros acima do nível do mar, a cidade é guarnecida pelas montanhas da Serra da Mantiqueira e pelos belos bosques floridos, que lhe dão um tom europeu, principalmente no inverno. Inclusive, o inverno é considerado a estação perfeita para se conhecer Campos do Jordão. Alguns programas típicos da estação são atrativos para os turistas, como as oficinas temáticas Viva o Folclore.

Danilo Yamamoto/Flickr


Cerejeiras


Nos meses de julho e agosto (nos dias 12 e 13) ocorre a Festa da Cerejeira. Trata-se de da tradição japonesa hanami, que nada mais é que a contemplação da beleza das flores. O sakura, como são chamadas as cerejeiras na língua nipônica, são as mais admiradas. Neste período, a florada está no auge e atrai milhares de pessoas que se encantam com a paisagem em tons de rosa e aproveitam para participar das festividades da cidade.

O turista pode experimentar um pouco da cultura japonesa, com shows e apresentações artísticas de danças e músicas, além de exibições de artes marciais. Não dá para deixar de experimentar os quitutes. A culinária tradicional japonesa também é um ponto forte.

A festa é beneficente e contribui para a manutenção do Recanto de Repouso para Idosos Sakura-Home. No local há um bazar com produtos que vão desde artesanato a brinquedos, e gadgets japoneses muito curiosos.

 

Encantos além do frio

Fernanda Stephanie/Flickr


Mas as atrações de Campos do Jordão não provêm apenas da estação fria. A cidade oferece uma série de lugares que enchem os olhos do turista, principalmente pela beleza natural dos parques, jardins e mirantes. É possível conhecer uma parte turística da região apenas caminhando, já que são dezenas de opções de caminhos para todos os gostos. O Horto Florestal, por exemplo, como é carinhosamente conhecido o Parque Estadual de Campos do Jordão, oferece nove opções de caminhadas, variando de trilhas bem leves e gostosas, como a da Cachoeira do Galharada, até a Trilha da Cachoeira Clandestina, uma rota puxada, com tempo médio de cinco horas de duração e a necessidade de se contratar um guia.

Aos amantes da emoção e do visual fora do comum que forem visitar o parque, um passeio imperdível é à Pedra do Baú. Considerada a caminhada mais intensa, o programa leva a pessoa até os 1.850 metros de altitude da pedra para contemplar as belezas da Serra da Mantiqueira. O mountainbike também é uma atratividade em Campos do Jordão. São dezenas de trilhas próprias para a realização do esporte, com variadas distâncias e níveis de dificuldade.

Pellufa/Flickr


Mudando o foco do turismo, pode-se deixar de lado um pouco a aventura e as belas paisagens para ingressar na cultura local. A Casa da Xilogravura é uma das grandes atrações culturais, por exemplo. Esse é o único museu no país dedicado exclusivamente à técnica de fazer gravuras em relevo e dentro dele estão reunidas mais de 5 mil obras de 400 artistas.

Jardins
Há também outro museu bastante visitado. Trata-se do Felícia Leirner, que reúne esculturas da artista de nacionalidade polonesa e que viveu no Brasil de 1927 até 1962, data de seu falecimento. Um conjunto de 85 obras de Felícia Leirner, de bronze, cimento branco e granito, está distribuído ao ar livre, sobre gramado e à beira de alamedas, no jardim do espaço que divide com o Auditório Claudio Santoro, sede do Festival Internacional de Inverno, compreendendo uma área de mata com 35 mil metros quadrados.

Camila Malara/Flickr


No dia 22 deste mês, o museu comemora o Dia Nacional do Folclore e desenvolverá diversas atividades voltadas para o público escolar. Cada estudante fabricará sua pipa, brinquedo popular. Em seguida, todos poderão soltá-la e realizar manobras acrobáticas no céu. Os visitantes poderão contribuir com a doação de alimentos não perecíveis e agasalhos, que serão destinados a instituições de caridade do município

Outra atração imperdível é o Parque Amantikir Garden. São vários jardins de várias partes do mundo em um só lugar na Serra da Mantiqueira. Inaugurado há quase 10 anos, o parque tem 28 jardins e contém mais de 700 espécies de plantas. As visitas são diárias, das 8h30 às 17h, sendo permitida a permanência dentro do parque para ver o pôr do sol.


Serviço

Festa das flores

  • Horário: a partir das 9h
  • Local: Vila Albertina
  • Endereço: Av. Tassaburo Yamaguchi, 2173, V. Albertina
  • Preço: R$ 16

Dia do Folclore
  • Classificação etária: Livre
  • Endereço: Avenida Dr. Luis Arrobas Martins, 1880, Alto da Boa Vista.
  • Mais Informações: (12) 3662-6000
  • Preço: Gratuito
  • www.museufelicialeirner.org.br
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.