NO MAR

Viajar sobre as ondas: cruzeiros pelos mares da América do Sul

A temporada de cruzeiros na América do Sul começará em novembro. Conheça os principais pacotes para aproveitar uma aventura em alto-mar com muito conforto e sofisticação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/10/2017 20:00 / atualizado em 11/10/2017 13:28

Knut Erik Haaheim/Flickr
 

Desde que os homens se lançaram ao mar em busca de novos horizontes, as embarcações conquistaram um papel importante no processo de desenvolvimento das civilizações. Vieram as descobertas e com elas a necessidade de transporte para os novos continentes. Ao longo dos anos, milhões de pessoas foram transportadas pelas águas dos oceanos de todo o mundo. Atualmente, viajar de navio é uma experiência diferente que tem atraído cada vez mais adeptos. Quem experimenta quer voltar. Essa é a vontade de 88,8% dos brasileiros que viajaram em cruzeiros no ano passado, segundo pesquisa da Associação Brasileira dos Cruzeiros Marítimos (Clia-Brasil) em parceria com a Fundação Getulio Vargas.



Viajar de navio foi a opção de 24,7 milhões de turistas em todo o mundo, de acordo com dados da Associação Internacional de Cruzeiros (Cruise Lines International Association — Clia). A estimativa da entidade é que neste ano o número de viajantes atinja os 25,8 milhões. Entre os destinos mais procurados estão: Caribe (35%), Mediterrâneo (18.3 %), Europa(11.1 %), Asia (9.2 %), Austrália/Nova Zelândia/Pacífico (6.1 %), Alasca (4.2 %) e América do Sul (2.5 %).

Na costa brasileira, a temporada de cruzeiros começa em novembro e se estende por todo o verão.  De acordo com o Ministério do Turismo (MTur), a expectativa é que 427 mil passageiros embarquem até o começo de abril de 2018, quando se inicia o outono no hemisfério sul. Participar de um cruzeiro vai além de conhecer os destinos do roteiro: o próprio navio é uma grande atração. Hoje as embarcações são verdadeiros complexos. Teatros, cinemas, piscinas, restaurantes, academias, cassinos, playgrounds, toboáguas e lojas fazem parte dos atrativos dos grandes navios. Alguns oferecem outros mimos ao passageiro, como aula de ioga ou spa e outras atividades.

Os navios também são uma alternativa para aqueles que têm medo de viajar de avião ou temem os perigos das estradas. As tecnologias e o avanço da engenharia contribuíram para a redução dos riscos de acidentes. Agora, o mapeamento das rotas marítimas é muito mais preciso e em tempo real, o que evita rotas conturbadas, mares agitados e colisões com bancos de corais ou pedras.

 

Arquivo pessoal
 

Para a estudante Renata Bernabé, 24 anos, a primeira viagem num cruzeiro foi maravilhosa. “Nossa cabine era a mais humilde e mesmo assim atendeu a todas as nossas necessidades, era superconfortável. A alimentação era ótima, o buffet ficava aberto durante todo o dia, só fechava de madrugada. O almoço era sempre no buffet, à noite a refeição era em outro restaurante, mais sofisticado e pratos à la carte. A programação de entretenimento do navio era espetacular! De dia o pessoal da animação normalmente ficava na piscina e toda noite tinha shows no teatro, que são imperdíveis. Os funcionários eram muito atenciosos e bem-educados”, conta ela que embarcou em fevereiro para Santos, passando por Punta del Leste, Buenos Aires e Montevidéu no MSC Music.

Já para o empresário Frederico Serôa, 26 anos, foi uma experiência única com os amigos. “Foi a primeira vez que eu fiz e gostei muito. É muitíssimo luxuoso e bem organizado. Não tive a impressão de que balança e me senti bem. Além de ter tudo no navio, cassino, teatro, ótimos restaurantes. Achei o preço justo, paguei R$ 5 mil para curtir o navio com os amigos na época do carnaval, só lamento ter ficado pouco tempo nos locais de destino”, lembra ele, que navegou pelo MSC Preziosa.

 

Opções para todos os bolsos

Costa Cruzeiro/Divulgação
 

Os cruzeiros estão sempre se reinventando. Eles podem dar a volta ao mundo, durar meses, semanas ou poucos dias. Podem ser temáticos e também emblemáticos, como o famoso do “rei” Roberto Carlos.  A grande dúvida é saber qual escolher. O concierge de viagens Marcelo Barone explica alguns pontos que devem ser analisados antes de fechar um pacote e dá algumas dicas para a escolha da embarcação ideal.

É preciso pesquisar qual o porto de saída da viagem. Há navios que partem de várias cidades do mundo e muitas vezes as pessoas escolhem um roteiro, mas o embarque é feito em um local complicado que exige várias conexões para chegar até ele.

Se o objetivo é desfrutar do conforto e também economizar um pouco, a dica é procurar cruzeiros que partem em épocas de baixa temporada. Os navios de natal, réveillon, carnaval e férias amargam as maiores taxas. Se você optar por viajar fora dessas datas,  pode economizar até 70% no valor final. Embarcando do porto de Miami ou de Fort Lauderdale, por exemplo, é possível conseguir um pacote por R$ 1.900 por pessoa, que inclui bebidas não alcoólicas e refeição completa.

 

Arquivo pessoal
 

Para as pessoas que sofrem de claustrofobia, é importante escolher uma cabine externa que tenha janelas, que podem ser viradas para o mar ou não. As cabines internas são oferecidas pelas companhias marítimas com preços menores, mas são totalmente fechadas e não possuem luz solar, o que pode causar desconforto para aqueles que se sentem mal em locais fechados.

É importante esclarecer se o navio é temático ou não para avaliar o tema proposto pela viagem. São várias opções, como roteiro fitness, empresariais, jovens, para a melhor idade. Os cruzeiros temáticos são muito comuns na costa brasileira, por isso é preciso adequar o seu gosto pessoal com os serviços oferecidos.

O que levar para os cruzeiros também gera muitas dúvidas, mas claro que não podem faltar roupas de banho, roupas leves para passar o dia (se a viagem for realizada no verão). É aconselhável levar um traje mais fino pra homens e mulheres.

Os navios têm duas opções: all inclusive com e sem bebidas alcoólicas. É importante saber que a qualidade das bebidas oferecidas nos pacotes all inclusive pode não agradar ao viajante, por isso existe, em alguns navios, a possibilidade de adquirir um pacote de bebidas para toda a estadia.

 

* Estagiária sob supervisão de Taís Braga

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.