EUROPA

Se encante com a arquitetura antiga de Amarante, em Portugal

Localizada em um dos trechos do Rio Tâmega, a cidade foi fundada em 350 a.C.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/10/2017 10:00 / atualizado em 11/10/2017 13:30

SPimenta/Flickr


Localizada em um dos trechos mais bonitos do Rio Tâmega, no Norte de Portugal, a ancestral Amarante está a 600 metros de altitude, abraçada pelas serras do Marão e da Ababoeira. Distante pouco mais de meia hora de viagem da cidade do Porto, foi fundada em 350 a.C. É destino certo para quem gosta da detalhada arquitetura antiga.


Amarante tem uma história complexa e bela, que inclui inúmeras batalhas e ruínas preservadas, como o Solar dos Magalhães, incendiado pelas tropas francesas em 1809. É também espaço para a contemplação. Lugar onde a importância do legado (cultural, arquitetônico, gastronômico...) é evidente, Amarante se orgulha das personalidades lá nascidas: os poetas Teixeira de Pascoaes, Abade de Jazente, os escritores Agustina Bessa-Luís e Alexandre Pinheiro Torres, os pintores António Carneiro, Acácio Lino e Amadeo de Souza Cardoso e o político António Cândido. O frade dominicano São Gonçalo, embora não fosse natural, deixou uma marca tão forte na cidade que o mosteiro e a ponte principal levam o seu nome e são duas das mais famosas atrações turísticas.
Nuno Coimbra/Flickr

Nas mesas aramantinas, a tradição é o cabrito assado, regado com o vinho verde local, acompanhado do estaladiço pão de padronelo, que deve ser degustado no Restaurante Lusitana (Rua 31 de Janeiro, 65), apelidado de Amores, sobrenome dos irmãos gêmeos que gerem a casa. O restaurante dispõe de um pequeno deque sobre o Rio Tâmega. Para comer o afamado leitão bísaro (raça autóctone de suíno), a dica é se deslocar até uma aldeia (São Pedro de Aboim), onde fica o restaurante Filhos de Moura. O Quinta da Lama é um restaurante todo em pedra e pitoresco, pois a sala de jantar fica dentro de um antigo lagar de azeite, que foi, inclusive, apresentado num programa de Anthony Bourdain (chef, escritor e apresentador de televisão americano. Tornou-se conhecido por seu livro Kitchen confidential: Adventures in the culinary underbelly —  Cozinha confidencial: aventuras na barriga culinária). Localização: Vila Meã, Amarante, Portugal.
Phil Richards/Flickr

A doçaria amarantina, à base de ovos, amêndoa e calda de açúcar, é conventual, com origem no Convento de Santa Clara. As doçarias mais importantes, pela tradição, são a Confeitaria da Ponte e a Confeitaria Tinoca, na Rua 31 de Janeiro; e Doçaria Mário, na Rua Cândido dos Reis. Todas as três oferecem confortável salão de chá com vista para o Rio Tâmega. Vale citar ainda o Café Bar São Gonçalo, que integra a Rota dos Cafés de Portugal com História, sendo o único café da região nesse roteiro de âmbito nacional.

Paisagem

Para além das margens do Tâmega e de suas ruas pitorescas, a cidade de Amarante dispõe de um parque florestal de mais de cinco hectares de terreno densamente arborizado e que se estende até as margens do Rio Tâmega. Esse parque urbano, fundado em 1916, por iniciativa do presidente da Câmara no período, António do Lago Cerqueira, teve como objetivo principal a florestação do Marão e da Serra da Meia Via, para o que forneceu milhares de árvores nos anos 1920.
Rufino Lasaosa/Flickr

Pousada do Marão, na freguesia de Ansiães, a poucos quilômetros do Centro da cidade de Amarante, é um hotel cercado por grande beleza natural. Das janelas e varandas do hotel avista-se o esplendoroso Vale da Serra do Marão e o Vale do Rio Tâmega. No verão, apresenta um cenário verde deslumbrante e, no inverno, um enorme manto branco de neve.

Quinta de Pousadela, localizada na freguesia de Ôlo, a oito quilômetros de Amarante, é um empreendimento de turismo rural. Um aglomerado de casas de pedra em ruínas, depois de recuperadas e adaptadas ao turismo, proporciona ao visitante o contato íntimo com a natureza e a aventura nos passeios de jipe, moto ou bicicleta.

Andre Bonsch/Flickr
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.