SIGA O
Correio Braziliense

PM tenta desocupar Torre Palace Hotel e invasores reagem com fogo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/06/2016 15:00 / atualizado em 09/11/2016 01:07

Uma operação surpresa montada pelas forças de segurança do Distrito Federal tenta desocupar, na manhã desta quarta-feira (1°/6), o Torre Palace Hotel, conhecido nacionalmente como o Hotel do Crack. No entanto, os invasores resistem com barricadas de pneus queimados. Também jogam pedras e restos de material de construção. O edifício abriga cerca de 150 familias, com 60 crianças. Além de usuários de drogas, há integrantes do Movimento Resistência Popular (MRP). 

 

Homens do Batalhão Operações Especiais (Bope) já estão posicionados para subir no edifício. Três deles estão em frente à escada que dá acesso aos nove pavimentos. O clima é de tensão. Invasores se concentram no terraço e ameaçam resistir a qualquer custo. O comando da PM mandou aumentar a área de isolamento, porque há botijões em posse dos manifestantes.

 

Para garantir a segurança no local, a PM fez um cordão com cerca de 35 homens no Eixo Monumental, em frente ao prédio. Os militares estão equipados com capacetes, cassetetes e spray de pimenta. Todas as forças de segurança foram escaladas para a operação, autorizada pelo Governo do Distrito Federal e coordenada pela Secretaria de Segurança Pública. Ao todo, são 250 policiais militares e 360 agentes das forças de seguraca no local.

 

O chefe da comunicação social da polícia militar, o coronel Antônio Carlos Freitas, explicou que, no início da manhã, homens da Defesa Civil vieram ao prédio para colocar veneno de rato no local. Pouco mais de 30 pessoas estavam no edifício no momento, contando com crianças. Segundo a versão da polícia, eles conversaram com os presentes e pediram que saíssem . Cerca de 20 pessoas deixaram o prédio, mas o restante preferiu ficar.

 

De acordo com a PM, são, aproximadamente, 12 pessoas com duas crianças, uma de colo e outra com cerca de 5 anos. O MRP fala em 80 pessoas dentro do prédio. "A Defesa Civil pediu nosso apoio. Vimos que há material inflamável dentro do prédio e decidimos iniciar a Operação Gerente para desocupar o local. Eles têm objetos inflamáveis lá dentro, incluindo colchões, pneus e piche. Há suspeita que tenham gasolina também", disse. 

 

"Acionamos todas as forças de segurança para garantir a integridade física das pessoas. Nossa intenção é a desocupação e usaremos todas as técnicas necessárias e possíveis. Nós temos obtido êxito nessas operações. Não podemos permitir que coloquem as crianças em risco", explicou o coronel.

Ordem judicial

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, a operação está amparada por decisão judicial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) em 2ª instância, ela autoriza o Estado a entrar e tomar as medidas legais de saúde e segurança do prédio. O acórdão é do desembargador Sebastião Coelho e foi proferido no dia 24 de maio. 

 

Mulheres e crianças

Um manifestante, parado no quinto anadar, comecou a gritar com os policias dizendo que todos ali são trabalhadores e que a polícia pode subir. O homem fez gestos chamando os policiais. No mesmo pavimento, uma mulher apareceu com uma criança de colo.

Segundo um levantamento da PM, dentro do prédio, no momento, há cerca de 15 adultos além de crianças. O GDF também destacou uma equipe do Conselho Tutelar para amparar os mais jovens após a desocupação. Funcionários da secretaria de segurança pública e paz social fotografam o prédio e helicópteros dos bombeiros e da pm sobrevoam a região.

Policiais militares contam com apoio do Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito (Detran). Fortemente armados, a Tropa de Choque tenta entrar no prédio, um esqueleto na área central de Brasília. Todas as vias de acesso do Setor Hoteleiro Norte e do Eixo Monumental estão fechadas.

 

Policiais militares contam com forte aparato. São sete ônibus, quatro carros do choque e diversas viaturas, além de homens do Batalahão de Policiamkento com Cães (BPcães). Uma empilhadeira retira veículos do estacionamento atrás do prédio. O equipamento é operado por profissionais do Detran.

 

Os hotéis vizinhos não foram evacuados. Homens da CEB também chegaram ao local para dar apoio caso seja preciso. Um manifestante do quinto começou a gritar com os policias dizendo que os ocupantes do prédio são trabalhadores e que a polícia poderia subir. Homens do Batalhão Operações especiais já estão posicionados e o clima é de tensão. Há manifestantes na cobertura do prédio.

Ordem judicial
Em março deste ano, a juíza Mara Silda Nunes de Almeida, da 8ª Vara de Fazenda Pública, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), deferiu, em caráter liminar, ação protocolada pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF), por ordem do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), contra a Torre Incorporações e Empreendimento Imobiliário Ltda., dona do Torre Palace.

A magistrada deu um prazo de 20 dias para que a empresa fizeesse a remoção das pessoas que estavam no local, bem como o cercamento do perímetro da edificação, a retirada das telhas quebradas ou soltas e a correção do telhado para evitar infiltrações, entre outras providências necessárias em caráter de urgência.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.